divulgacao023 O injustiçado Fábio foi outra vez sensacional. E Cuca conseguiu, novamente, travar o Cruzeiro contra o Tolima...
A segurança com que Fábio saltou no canto direito foi impressionante.

Foi como se ele tivesse combinado com Medina.

A cobrança do pênalti foi violenta e o goleiro encaixou a bola.

E salvou o Cruzeiro da derrota diante do Tolima.

O gramado ruim de Ibagué não pode ser considerado como o grande culpado da fraca partida do time mineiro.

Depois de duas goleadas, contra o Estudiantes e diante do paraguaio Guarani, a expectativa era de outra vitória.

O Tolima eliminou o Corinthians na pré-Libertadores por pura incompetência de Tite, que não escalou sequer um meia.

E porque tinha de carregar Ronaldo parado na frente.

Mas o peso da eliminação corintiana alertou o impressionável Cuca.

E ele colocou o Cruzeiro com os mesmos jogadores das goleadas.

Mas com a postura completamente diferente.

Entrou para não perder.

E se a sorte ajudar, encaixar um contragolpe e marcar um gol.

Foi com essa tradicional e irritante falta de ambição que o Cruzeiro, muito mais forte, entrou para a partida.

O jogo foi truncado.

Sem chances claras de gol.

Com os dois times insistindo nos chutes de longe.

No segundo tempo, empurrado pela torcida e pela covardia mineira, o Tolima criou algumas oportunidades.

A maior delas veio no pênalti muito discutível de Pablo em Medina.

Eram 31 minutos do segundo tempo.

Se Medina marcasse, pelo que o Cruzeiro não estava jogando, não empataria.

Mas o goleiro desprezado de Mano Menezes fez uma defesa absurda.

Incrível a segurança com que ele voou no seu canto direito.

Impressionante.

O Cruzeiro é líder do seu grupo com sete pontos.

Mas, infelizmente, não dá para acreditar de olhos fechados na equipe.

Isso por causa do seu treinador.

Cuca tem um time técnico ao extremo nas mãos.

Mas fora de casa sofre de síndrome do pânico.

E amarra a equipe.

Esse foi o grande pecado do Cruzeiro no Brasileiro de 2010.

Agora o repete na Libertadores.

Alguém precisa falar para Cuca que não vale a pena se contentar com boas campanhas.

É preciso ser ousado para ganhar na vida.

Talvez seja exatamente por isso que ele comemorou tão pouco a conquista de um campeonato.

É uma pena o que ele faz com o Cruzeiro.

Tão grande quanto Mano Menezes que fecha os olhos em relação a Fábio...

E só fixa seu pensamento em Júlio César...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/P507