1reproducao13 O furacão se aproxima de Neymar. Em 2016, além de Olimpíada, Copa América, Champions, Eliminatórias, os tribunais o aguardam. Processos na Espanha, Brasil e na Fifa. E sem solidariedade dos espanhóis, como seu pai esperava...
"Quando acreditávamos que alguns avanços democráticos não tinham como voltar atrás e confiávamos que todos os cidadãos percebiam com clareza o papel dos impostos em uma sociedade avançada ou a diferença entre obrigação e opressão, brotam numerosos delírios retrógrados próprios de sociedades pré-ilustradas.

"(...) O pai do jogador do Barcelona, Neymar, diz que “se não tivermos uma situação confortável para trabalhar, não poderemos ficar na Espanha e teremos que sair”. O conforto a que se refere é fiscal; estão pendentes as consequências tributárias de seu maçante contrato com o Barça.

"Bem, a resposta a Neymar pai não é complexa: se não estiverem você, seu filho e sua empresa (de imagem) dispostos a acatarem as normas fiscais espanholas, o que implica em inspeções, perguntas e contradições, o melhor é irem embora. E é preciso dar a mesma resposta a quem puser sobre a mesa a ameaça de ir embora se não tiver conforto fiscal. Os impostos não estão concebidos, nem na Espanha nem em nenhum outro país, como fatores de comodidade. O contribuinte tem que aceitar os desconfortos fiscais e pronto. Além disso, que significa confortável? É possível que Neymar pai esteja pedindo impunidade tributária ou que a empresa dos Neymar não seja submetida a inspeções de agora em diante, mesmo que existam razões objetivas para isso."

Assim, de maneira indignada, o maior e mais respeitado jornal da Espanha, o El País, respondeu às ameaças do pai de Neymar. Ele está repetindo em todos os veículos de comunicação que está pensando em levar o filho para jogar futebol em outro país. O motivo: as acusações da justiça por sonegação de impostos na confusa venda de Neymar do Santos para o Barcelona.

O contrato do jogador vai até 2018. Mas já há negociação para que o contrato seja prorrogado até 2020.

"Estamos conversando sobre a renovação, mas existem coisas pendentes para resolver que nos deixam um pouco inquietos. Não pode ser esta intranquilidade tributária que estamos passando de não saber se estamos fazendo as coisas bem. Devemos saber se a Espanha aceita nossa situação. É duro para nós, pois estamos recebendo muitos ataques, no Brasil e na Espanha, por conta dos assuntos de tributação fiscal.

"Neymar é um jogador midiático e trabalhamos sua imagem desde o Brasil. Estamos conversando com todos para saber o que devemos fazer em relação a este assunto, porque não queremos ficar na Espanha dois, três, quatro, cinco ou dez anos e depois nos pegarem de surpresa dizendo que nossa estrutura não é correta.

"Devemos fazer as coisas direito e saber se na Espanha nos deixam trabalhar ou saímos. Não quero falar de perseguição mas se não temos uma situação confortável para trabalhar, não podemos ficar na Espanha e temos que sair. Se estamos criando problemas para a Espanha, não poderemos ficar. Nunca tivemos problemas fiscais tão grandes."

3reproducao5 O furacão se aproxima de Neymar. Em 2016, além de Olimpíada, Copa América, Champions, Eliminatórias, os tribunais o aguardam. Processos na Espanha, Brasil e na Fifa. E sem solidariedade dos espanhóis, como seu pai esperava...

Ao contratar Neymar, o clube catalão divulgou ter pago 57 milhões de euros. Depois, questionado, admitiu que o negócio havia ultrapassado 86 milhões de euros. O Santos teria recebido 17 milhões de euros, e a empresa do pai de Neymar, 40 milhões de euros. A suspeita é que, com a suposta maquiagem dos números, o prejuízo do Tesouro espanhol com a sonegação tenha sido de 13 milhões de euros.

A Justiça brasileira autorizou o bloqueio de R$ 188,8 milhões do jogador Neymar, da família e das empresas ligadas a ele. O atacante é acusado de sonegar impostos entre 2011 e 2013, sobretudo nas transações que selaram a transferência do jogador do Santos para o time europeu Barcelona. O valor é referente ao total devido pelo atleta à Receita, mas o bloqueio atingiu apenas bens móveis e imóveis e não diretamente os valores da conta corrente do jogador.

O bloqueio foi proposto por uma medida cautelar da auditoria-fiscal da Receita Federal e encaminhada à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), que entrou com o pedido na Justiça. Inicialmente, Neymar é acusado de sonegar o equivalente a R$ 63,6 milhões. O valor alcança os R$ 188,8 milhões por conta de uma multa de 150%.

As primeiras audiências tanto na Espanha como no Brasil devem acontecer em 2016. O próximo ano não deverá ser fácil para Neymar, seu pai e até para sua mãe, sócia da empresa N&N que cuida dos negócios do jogador.

Parte da imprensa espanhola acredita que o pai do atleta está tentando comover a população. Principalmente a catalã. Ameaçando tirar o filho do Barcelona. Ele sabe que lugar para o filho jogar não falta. Como a Inglaterra ou a França. Manchester United e o PSG já sondaram essa possibilidade.

O artigo de Jésus Motta no El País repercutiu não só na Espanha, como no mundo. Tudo ficou ainda pior. O principal jogador brasileiro, além de acusado de sonegação, agora estaria fazendo 'chantagem emocional' para tentar escapar do julgamento da justiça. A postura foi clara, dura. Se não quiserem se submeter a pagar imposto, como todo trabalhador. "O melhor é irem embora."

Neymar adota na Espanha a mesma estratégia dos jogos contra a Argentina e Peru pelas Eliminatória. Está calado. Não dá entrevistas. Não fala sobre a situação que tira a paz de sua família. Nem mesmo à parceira Globo.

4ae3 O furacão se aproxima de Neymar. Em 2016, além de Olimpíada, Copa América, Champions, Eliminatórias, os tribunais o aguardam. Processos na Espanha, Brasil e na Fifa. E sem solidariedade dos espanhóis, como seu pai esperava...

O jogador também teria ficado 'chocado' quando a atual diretoria santista foi à Fifa no mês passado. O clube protocolou acusação contra o jogador, alegando que ele agiu de má fé na sua ida ao Barcelona.

O texto original é duríssimo. Exige que o jogador seja incluído no artigo 62, que trata de 'corrupção'. Exige que fique seis meses sem entrar em campo. E devolva ao Santos 55 milhões de euros de sua ida para o Barcelona.

"Neymar Jr. violou os artigos 17(3), 17(5) do RSTP e o artigo 62 do Código Disciplinar. Tendo em vista a má fé de Neymar Jr. e todas as outras circunstâncias agravantes, incluindo a violação múltipla dos estatutos da Fifa e regulamentos durante o período protegido, o jogador precisa ser sancionado com uma restrição de seis meses para atuar em qualquer partida oficial de acordo com o artigo 17(3) do RSTP. Além disso, de acordo com artigo 62(4) do Código Disciplinar da Fifa, o jogador deverá estar sujeito ao confisco de todos os valores - direta ou indiretamente - recebidos como parte da transferência de seus direitos econômicos e federativos."

2016 será um ano de muita pressão para Neymar. O Barcelona quer de qualquer maneira a sexta Champions. O Brasil disputará Eliminatórias, Copa América centenária nos Estados Unidos. E ele será o principal jogador na Olimpíada, que o país entra com a obrigação de ganhar a inédita medalha de ouro.

Tudo isso acontecerá enquanto Neymar responderá aos tribunais espanhóis, brasileiros e da Fifa.

Não é por acaso que seu pai está muito preocupado.

6ae O furacão se aproxima de Neymar. Em 2016, além de Olimpíada, Copa América, Champions, Eliminatórias, os tribunais o aguardam. Processos na Espanha, Brasil e na Fifa. E sem solidariedade dos espanhóis, como seu pai esperava...

Seu filho tem apenas 23 anos.

Está tenso.

Sabe que vai mergulhar em um furacão.

Tudo pela estranha ida do Santos para o Barcelona.

Vale repetir um trecho de matéria publicada no blog, em janeiro de 2014. E que previa que o furação chegaria.

"Tudo parece estar fugindo do controle. A contratação derrubou o presidente Sandro Rosell. Ele dizia ter gasto apenas 57 milhões de euros. Cerca de R$ 188 milhões. O amigo de Ricardo Teixeira insistia em valores que se provaram não ser verdadeiros. Josep María Bartomeu, seu sucessor, não caiu no mesmo erro. Mostrou que o clube gastou 86,2 milhões de euros. Cerca de R$ 284,5 milhões. E detalhou publicamente tudo.

"Chamou demais a atenção do planeta quanto o pai do jogador recebeu. Foram R$ 132 milhões à empresa N&N. Mais R$ 6,6 milhões para monitorar novas promessas no Santos. Descobrindo ou não jovens talentos, o dinheiro é o mesmo. Acordo do Instituto Barcelona com o Instituto Neymar, mais R$ 8,2 milhões. Direito de imagem de Neymar, R$ 13,2 milhões. Luvas ao atacante, R$ 8,9 milhões. Pai e filho receberam a bolada de R$ 193 milhões. O Santos Futebol Clube, R$ 57,2 milhões. O grupo DIS, R$ 22,6 milhões. O Teisa, R$ 2,8 milhões. E R$ 8,9 milhões foram pagos aos empresários, os intermediários."

Tudo muito desproporcional.

Demorou, mas está chegando a hora de prestar contas.

Neymar pode ganhar Bola de Ouro, Champions, clássicos contra o Real.

Se seu pai esperava solidariedade da Espanha, já sabe.

Não terá...
1afp O furacão se aproxima de Neymar. Em 2016, além de Olimpíada, Copa América, Champions, Eliminatórias, os tribunais o aguardam. Processos na Espanha, Brasil e na Fifa. E sem solidariedade dos espanhóis, como seu pai esperava...

http://r7.com/q7vr