115 O desprezo do campeão Fluminense à Primeira Liga demonstra que o torneio está morto. Em vez de revolucionar o futebol brasileiro, se dobrou à CBF e a Globo, que prioriza os Estaduais. Ganhar para quê? Só para dizerem que somos fodas? Vamos atrás do Estadual, decreta Abel Braga...
"Não temos que ir para a linha de frente da batalha brigar pelo futebol brasileiro. Pra quê? Só para dizerem que criamos uma liga autônoma e somos fodas? Raramente essa competição vai chegar a um nível bom porque não há clubes paulistas na disputa. O Fluminense já ganhou a Primeira Liga (em 2016). Agora tem que ir atrás do Estadual, que não ganha desde 2012. No momento, o Estadual é a prioridade.

"É uma competição que a gente não consegue entender. Se fala tanto em calendário no Brasil e temos essa liga independente. Começou com 12 clubes (em 2016), agora são 16. Antes era Sul-Minas, agora tem time do Nordeste. Não dá para entender.

"Conversei com os dirigentes no vestiário. Falamos de logística. Domingo tem Carioca, depois Copa do Brasil no Nordeste. Depois tem uma data que a gente não sabe se terá Primeira Liga. E já pensamos em Sul-Americana. Não tem mágica nisso. O Grêmio, que ajudou criar, foi com time reserva e nem levou treinador. Vim para Porto Alegre com oito jogadores que tinha de observar. Perdemos uma semana de treino. Nunca se teve tão pouco tempo Vim aqui (Porto Alegre) com oito jogadores que tinha de observar. Perdemos uma semana de treinos. Nunca se teve tão pouco tempo. Para que tanto desgaste?"

As queixas de Abel Braga em entrevista coletiva e depois, à minha amiga Marluci Martins, deixou claro o que os treinadores forçados a disputar a Primeira Ligas pensam. O torneio que seria o embrião da revolução dos clubes contra a CBF está morto.

CBF, Globo, Federação Carioca e Eurico Miranda venceram.

O tornaram um campeonato fantasma.

Sem a independência que os dirigentes prometiam.

Encavalado entre os Estaduais e a Libertadores.

E sem autonomia.

Coritiba e Atlético Paranaense já desistiram.

Seus dirigentes assumiram a desilusão.

Fizeram companhia ao Vasco e Botafogo, que não entraram.

A ideia inicial era substituir os estaduais.

Mas os clubes não resistiram à pressão da Globo.

E passaram a fazer o inverso que prometiam.

Em vez de reservas nos Estaduais, suplentes na Primeira Liga.

E titulares nos ultrapassados torneios estaduais.

Uma tristeza.

Desde o ano passado, Marco Polo de Nero sorri.

Conseguiu acabar com a prometida revolução.

A Globo deu uma colaboração imensa.

Avisou que não aceitaria reservas nos Estaduais.

A lei dos 28 inscritos.

Diante dos constantes pedidos de empréstimos, adiantamentos, os clubes resolveram não enfrentar a Globo. O comando do futebol na emissora carioca é mais silencioso, porém menos amistoso com os clubes. O perfil mudou muito com a aposentadoria de Marcelo Campos Pinto. Que foi aposentado logo depois que surgiram os escândalos na Fifa e que custaram a detenção do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, de quem ele era muito próximo.

310 1024x586 O desprezo do campeão Fluminense à Primeira Liga demonstra que o torneio está morto. Em vez de revolucionar o futebol brasileiro, se dobrou à CBF e a Globo, que prioriza os Estaduais. Ganhar para quê? Só para dizerem que somos fodas? Vamos atrás do Estadual, decreta Abel Braga...

A competição perdeu todo o apelo.

E parece clandestina.

Pouca gente sabe, mas em 2017, será disputada entre fevereiro e outubro.

Por isso, Abel Braga está tão revoltado. Ele sabe o quanto atrapalhará seu Fluminense. Pior para os que estão na Libertadores.

Coritiba e Atlético Paranaense se juntaram aos paulistas.

Ao Botafogo e ao Vasco de Eurico.

Por pressão da FPF, Palmeiras, São Paulo, Santos e Corinthians nem pensaram em fazer parte da ameaça de motim, que seria a competição em 2016. Em 2017, pior ainda. Não quiseram nem ouvir falar. Preferiram ficar politicamente próximos da CBF, FPF e Globo. O torneio fantasma só atrapalharia a todos. E não levaria a nada. Disseram não novamente.

É uma tristeza.

Os números consolidados de 2016 falam por si.

A média de torcedores foi de 11.842 torcedores.

Uma vergonha.

Já que clubes como Flamengo, Fluminense, Cruzeiro, Atlético Mineiro, Internacional, Grêmio a disputaram.

O campeão foi o Fluminense, para quem não se lembra.

Abel Braga não tem gana nenhuma de ser bicampeão.

Pelo contrário.

Não vê a hora de seu time se livrar desse torneio inútil.

Que a covardia dos dirigentes matou...
4reproducao2 O desprezo do campeão Fluminense à Primeira Liga demonstra que o torneio está morto. Em vez de revolucionar o futebol brasileiro, se dobrou à CBF e a Globo, que prioriza os Estaduais. Ganhar para quê? Só para dizerem que somos fodas? Vamos atrás do Estadual, decreta Abel Braga...

http://r7.com/ahr6