divulgacao0234 O desorientado Fluminense mergulha com gosto na crise. Está a um passo da eliminação da Libertadores. Cadê o campeão do Brasil?
Desesperadora.

Essa palavra resume a situação do Fluminense na Libertadores.

Logo na primeira fase o sonho do título está por um triz.

De três partidas, duas em casa, o time conseguiu apenas dois pontos.

O líder Argentino Juniors tem sete.

O América do México, seis.

Já são quatro pontos que separa o time de Muricy Ramalho da classificação.

Terá de vencer os três próximos jogos da Libertadores.

Dois deles fora do Brasil, um na Argentina e outro no Uruguai...

Não é aceitável que o elenco campeão brasileiro tenha sido ainda reforçado e está jogando tão mal.

O América fez o que quis no México.

Ganhou a partida por apenas 1 a 0 por erros seguidos de finalização.

E, como bem me lembra um torcedor tricolor, graças a excelentes defesas de Ricardo Berna.

Se não fosse por isso, a derrota seria desastrosa.

Outra vez o Fluminense foi uma equipe confusa.

Com péssima saída de bola.

Sem poder de articulação.

Conca parece ter se aposentado.

Só com Rafael Moura lutando por ele e por toda a parte ofensiva do time carioca.

Mariano, Carlinhos os dois laterais travados.

O Fluminense foi pura ansiedade, afobação.

Outra vez pareceu que não treinou.

Os jogadores se encontraram e ficaram sabendo que precisavam desesperadamente ganhar.

E tome chutões a esmo, da defesa para o ataque.

O time nem usou a marca registrada de Muricy, os chuveirinhos.

Pelo simples motivo que não tinha jogadores na área.

A decadência se explica na péssima avaliação feita do elenco.

O Fluminense continua sem volantes com a mínima qualidade de sair com a bola dominada.

Se Conca está marcado ou sem inspiração, como hoje, o clube não tem outro grande meia.

Deco era veterano e sujeito a contusões, como está acontecendo.

Quando o time mais precisa dele, está no departamento médico.

Não há triangulações, jogadas pelas laterais, deslocamentos, infiltrações de jogadores na área adversária.

Nem parece que o time tem Muricy Ramalho como seu treinador.

Como birra por não ter indicado Araújo e Souza, os dois entraram no segundo tempo.

E nada fizeram diante do fraco e desorganizado time do Fluminense.

Para piorar as coisas, o vice de futebol Alcides Nunes tem falado muito mal de Muricy Ramalho.

A relação entre os dois é péssima.

E por isso deve ser demitido assim que chegar ao Rio.

O presidente da Unimed, Celso Barros, não sabe o que fazer.

Chegou a conclusão que só dinheiro não adiantou.

O Fluminense está a um passo da eliminação precoce na Libertadores.

O futebol do clube campeão do Brasil mergulhou em uma profunda crise.

Mesmo com a demissão de Alcides Nunes, Muricy está muito aborrecido.

Não gostou dos reforços e principalmente da pressão que sofre da diretoria para ser campeão da Libertadores.

Tudo deu errado.

E a eliminação logo na primeira fase da Libertadores muito possível.

A situação se resume mesmo em uma palavra cruel para o campeão brasileiro.

Desesperadora.

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/6wrL