531 O Brasil festeja o volúvel ranking da Fifa. Mas deveria prestar atenção ao ranking da corrupção no mundo. Este é muito mais preocupante. A começar por tudo que acontece no futebol...
O Brasil venceu a Colômbia por 1 a 0.

É o segundo no volúvel ranking da Fifa.

Mas o ranking que deveria ser analisado é outro. O divulgado ontem pela Transparência Internacional aponta em 79º lugar quando o assunto é corrupção. As notas dos brasileiros a seus políticos e governantes fazem 78 países mais confiáveis que o nosso.

Todas as instâncias demonstram o quanto a corrupção se transformou em endêmica. Mas o futebol é uma especialmente despudorada, vergonhosa.

Exemplos não param e estão cada vez mais ofensivos. O primeiro é o Maracanã. Cuja reforma levou para cadeia, o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Ela custou o dobro do previsto, R$ 1,2 milhões. Mas a Odebrecht e Andrade Gutierrez pagaram 5% de propina a Cabral, R$ 30 milhões para ficarem com a obra.

E a Odebrecht ainda ganhou a concorrência do consórcio, da administração do estádio. Depois de R$ 137 milhões de prejuízo, a construtora tentou se aproveitar da Olimpíada e da Paraolimpíada para se livrar do compromisso de 30 anos. Alegou que o Maracanã não foi devolvido em perfeitas condições.

E deixou o estádio abandonado neste final de ano.

Largado.

De propósito.

Para chocar a sociedade.

Além gramado, parou de pagar a eletricidade, a água. A segurança.

Um convite para os vândalos.

Cadeiras foram roubadas.

231 1024x576 O Brasil festeja o volúvel ranking da Fifa. Mas deveria prestar atenção ao ranking da corrupção no mundo. Este é muito mais preocupante. A começar por tudo que acontece no futebol...

A estátua de Bellini pichada.

É assim que a construtora que está com seu grupo gestor preso na operação Lava Jato, cuida do Maracanã. Pior, a Justiça obriga que o estádio mais tradicional do Brasil continue segue administrado por uma empresa assumidamente corruptora. Enquanto Flamengo e Fluminense imploram para terem, juntos, o controle do estádio.

A corrupção tirou do Flamengo hoje seu vice-presidente de futebol, Flávio Godinho. Ele sempre foi braço direito de Eike Baptista.

O dirigente é acusado de participar de ocultação e lavagem de dinheiro das propinas que eram recolhidas das empreiteiras que faziam obras públicas no Rio de Janeiro. Foi preso pela Polícia Federal.

Godinho tratou de transações milionárias no Flamengo. Ele passou todo 2016 cuidando das finanças do clube. Diego, Romulo, Conca. Acertou a venda de Jorge por R$ 28,8 milhões ao Mônaco, anunciada hoje, dia que era conduzido à cadeia.

A primeira declaração do presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, homem que deu o cargo a Godinho, foi desastrosa.

"No Flamengo continua tudo absolutamente normal. Nossa administração no Flamengo, não só no futebol, mas em outras áreas, é profissional. Então não existe problema nenhum e vamos seguir a nossa vida. Ele está impedido no momento de exercer a vice-presidência e quando isso acontece o presidente assume."

Traduza impedido como preso.

330 1024x768 O Brasil festeja o volúvel ranking da Fifa. Mas deveria prestar atenção ao ranking da corrupção no mundo. Este é muito mais preocupante. A começar por tudo que acontece no futebol...

A corrupção domina áreas inimagináveis, como a partida entre Brasil e Colômbia, ontem no Engenhão, Rio de Janeiro. Estado e estádio completamente errados para o jogo em benefício da Chapecoense. Fosse em Santa Catarina ou em Medellin, qualquer arena estaria lotada.

Mas no Rio, além de não chegar nem à metade da lotação, 18 mil onde cabem 46 mil torcedores, a arrecadação de R$ 1,2 milhão não pode ser comemorada. Cambistas fizeram a festa, faturaram em cima da tragédia. Diante de policiais acostumados a não enxergá-los. A endemia da corrupção.

O último relatório do Tribunal de Contas da União sobre o legado da Copa do Mundo de 2014 foi direto. Os estádios neste país foram superfaturados em pelo menos R$ 2,1 bilhões. Custaram mais caro do que o previsto. Chegaram a R$ 8,3 bilhões.

Vale lembrar sempre a frase do corrupto Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa. Ele afirmou que bastariam oito estádios para o Brasil fazer a Copa. Mas o então presidente Lula quis 12 arenas. "Para equilíbrio político no país."

E foram construídos os elefantes brancos, estádios absolutamente desnecessários. Em Manaus, Cuiabá, Natal e Brasília. Escândalos que ficam mais revoltantes com o país mergulhado na recessão.

O ex-presidente da CBF, José Maria Marin, circula em Nova York com uma tornozeleira eletrônica. Acusado pelo FBI e pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos de participar de um esquema de propinas envolvendo transmissão de futebol. Ele e dezenas de dirigentes ligados à Fifa.

Depois de pagar um milhão de dólares, R$ 3,19 milhões, de fiança, em dinheiro, Marin teve o direito de esperar pelo julgamento em prisão domiciliar.

525 O Brasil festeja o volúvel ranking da Fifa. Mas deveria prestar atenção ao ranking da corrupção no mundo. Este é muito mais preocupante. A começar por tudo que acontece no futebol...

Que não está nada mal.

"Às terças, quintas e sábados, das 12 horas às 17 horas, e aos domingos, das 12 horas às 18 horas, Marin está autorizado pela Justiça dos EUA a sair da residência para “comprar alimentos, acompanhar eventos religiosos e participar de atividades recreativas, como caminhadas”.

Tudo desde que permaneça dentro de um raio de cerca de 3 km de distância de seu apartamento, e esteja acompanhado de um segurança durante todo o trajeto. Às segundas, quartas e sextas-feiras, ele tem de ficar no prédio. Nesses dias da semana, Marin aproveita para ir à academia para fazer exercícios físicos."

A revelação é da revista Veja.

O presidente da CBF, Marco Polo del Nero, não viaja para fora do Brasil desde que Marin foi detido na Suíça pela polícia norte-americana. O nosso país não tem acordo de extradição com os Estados Unidos. Del Nero segue investigado, mas feliz no Rio de Janeiro. Não participa de nenhuma reunião da Fifa que o obrigue a sair do território nacional.

A novidade do dia envolvendo Neymar e sua venda do Santos para o Barcelona é um vídeo obtido pelo jornal El Confidencial. No tribunal, Neymar reitera que não sabia o conteúdo do contrato que assinou. Apenas o fez porque confiava no seu pai.

O vídeo é de fevereiro do ano passado.

A Justiça Espanhola ordenou em dezembro de 2016 que o caso fosse reaberto. O grupo DIS alega fraude na venda. Ele teria direito a receber 40% do valor pago do Barcelona ao Santos pelo brasileiro, mas afirma só ter recebido montante referente a 17,1 milhões de euros. A justiça espanhola apontou que o valor total foi de 83,3 milhões de euros.

Apesar de só ter ido para a Espanha em 2013, em 2011, o pai de Neymar já havia recebido 10 milhões de euros, como sinal do Barcelona, prática proibida pela Fifa. E que ficou mais indecente porque o Santos disputou a final do Mundial de Clubes contra o clube catalão.

Atitude descabida, imoral.

Assim que Neymar surgia no futebol, Eike Baptista quis administrar sua carreira. Quase conseguiu.

Diante desses episódios esporádicos, só no futebol, há a certeza. Cada vez menos os brasileiros acreditarão nos seus políticos, governantes e dirigentes.

Se Tite fez a Seleção chegar em segundo no ranking da Fifa, a desconfiança dos brasileiros em relação à corrupção fará o país afundar ainda mais no respeitado ranking da Transparência Internacional.

Quem não enxerga a sombra da corrupção no futebol deste país?
419 O Brasil festeja o volúvel ranking da Fifa. Mas deveria prestar atenção ao ranking da corrupção no mundo. Este é muito mais preocupante. A começar por tudo que acontece no futebol...d

http://r7.com/dWhI