Serão 45 mil e 11 homens vestidos de azul.

A fórmula...

Insanidade dos torcedores mais a incompetência dos dirigentes...

E uma pitada de falta de vontade de fazer justiça dos nossos políticos.

Pronto: o estádio do Sabiá será no domingo todo dos cruzeirenses.

No importantíssimo clássico, a mesma sensação desconfortável do primeiro turno.

Em um dos duelos mais importantes do futebol brasileiro, uma só equipe terá apoio.

Quando o Atlético Mineiro caminhava para o abismo com Luxemburgo, não adiantou o caldeirão da Arena do Jacaré.

O Cruzeiro venceu.

No domingo, muito mais do que uma mera revanche.

O Atlético Mineiro precisa desesperadamente dos pontos.

E também travar a caminhada do rival para o título brasileiro.

Dorival Júnior e seus jogadores sabem o quanto tudo será difícil.

Até os olhares de Sandro Meira Ricci tendem a ser mais benevolentes aos comandados de Cuca.

A arbitragem no Brasil já tem uma tendência covarde a ser caseira.

Ainda mais nessa situação, não estranhe o que acontecer domingo.

O segredo que Dorival Júnior não falará a ninguém.

Mesmo sendo amarrado à cadeira e tendo de assistir por 24 horas à entrevista de Neymar ao Fantástico...

Que pediu desculpas ao treinador pela demissão.

Espontâneo...espontâneo... espontâneo...

Mas vamos ao segredo, que importa.

No planejamento para a salvação do Atlético Mineiro não constam pontos nesse clássico.

A previsão é de uma derrota.

Ou seja: Dorival e seus jogadores darão a alma para vencer.

Mas na intimidade de quem planeja o futuro do Atlético Mineiro, não há a esperança nem de um empate.

Não há como apostar nada em um jogo com um cenário tão contrário.

O Cruzeiro venceu no primeiro turno com a caótica condução do Atlético Mineiro por Luxemburgo.

Agora que é a sua vez, os comandados de Cuca sabem que são mais do que favoritos.

Têm a obrigação de vencer o clássico.

Na frieza da equidistância, o Cruzeiro não é melhor do que o Atlético.

É muito melhor.

Todos sabem disso.

Até os jogadores do Atlético Mineiro.

Mas precisam se superar como ainda não fizeram no Brasileiro.

Estão quase na situação do goleiro na hora de um pênalti.

A responsabilidade toda é do batedor.

Essa pressão em cima de Montillo e companhia limitada é a única esperança de Dorival Junior.

Se acontecer o óbvio, sem drama.

O atual Atlético Mineiro nunca sonhou em sair vivo do estádio do Sabiá no domingo...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/pMcg