- Blog do Cosme Rímoli - http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli -

O apelo de Neymar foi à toa. A torcida santista não perdoa Paulo Henrique Ganso. Já prepara as moedas e o coro que ele mais detesta: o de ‘mercenário’. Domingo na Vila Belmiro, o inevitável reencontro…

Postado por Cosme Rímoli em 1 de fevereiro de 2013 às 06:12 em Sem categoria | 77 Comments

ae O apelo de Neymar foi à toa. A torcida santista não perdoa Paulo Henrique Ganso. Já prepara as moedas e o coro que ele mais detesta: o de mercenário. Domingo na Vila Belmiro, o inevitável reencontro... [1]
O banco adversário é infernal na Vila Belmiro.

Estádio histórico, mas ultrapassado.

Encalacrado em um bairro residencial, não tem onde crescer.

Ficou pequeno demais para o Santos.

Tudo é muito apertado, os torcedores ficam grudados nos alambrados.

E torturam os adversários.

"Tive de trabalhar com um copo de água e jogando na minha camisa.

Só para amenizar as cusparadas que levei dos torcedores.

Na Vila Belmiro é sempre assim.

Um desrespeito só", desabafou Tite.

Neymar sabe bem que o estádio é um inferno para os adversários.

A proximidade da torcida do gramado é terrível.

Ainda mais para os desafetos dos torcedores santistas.

Por isso implorou.

Quer os torcedores poupem Paulo Henrique Ganso.

Fez questão, pediu para dar entrevista ontem.

Mesmo sabendo que enfrentaria as perguntas sobre racismo.

O jogador de 20 anos detesta brigas.

Ainda mais tocar em temas polêmicos.

Disfarçou, aceitou não ter entendido bem o que o técnico Roberto Fonseca falou.

Em vez de 'macaco', ficou 'cai cai' mesmo.

Colocou uma pedra nesta história mal contada.

Nunca foi o motivo de querer falar ontem.

Enfrentou jornalistas pelo grande amigo.

Com gênios opostos, são próximos de verdade.

Padrinhos um do filho do outro.

Nem o disparate de salários, quando atuavam juntos, os distanciou.

Neymar embolsava R$ 3 milhões e o meia R$ 130 mil quando deixou o Santos.

A amizade dos dois veio da categoria de base.

Quem testou a sua intensidade acabou se dando mal.

Como Fábio Costa.

Neymar e Ganso detestavam a maneira com que ele os tratava quando juniores.

Muito amigo do ex-presidente Marcelo Teixeira, o goleiro era rude.

Não fazia a menor questão de proximidade com os garotos.

Os cobrava aos gritos, era péssimo o relacionamento.

E tudo ficou pior quando resolveu gritar com Ganso.

O meia estava começando a ganhar espaço no time.

Ele falhou contra o Goiás, perdeu a bola e a equipe tomou um gol.

O goleiro o humilhou nos vestiários.

Não sabia o que estava fazendo, com quem estava mexendo.

Neymar comprou a briga.

Ele ficou de um lado e Ganso e Neymar de outro.

Os três não se falavam.

A nova geração de atletas santistas ficou contra o goleiro.

Era maio de 2009.

Em novembro do mesmo ano, Luís Álvaro foi eleito.

Ele sabia da situação.

Assim como da profunda ligação de Fábio Costa e Marcelo Teixeira.

O ex-presidente lhe deu um contrato de R$ 300 mil mensais.

Até o final de 2012.

O presidente queria liberá-lo.

Mas o jogador não aceitou, topou prorrogar o vínculo até 2013.

E o Santos pagaria menos mensalmente.

Acordo feito, veio a confirmação.

Laor entendeu.

Neymar e Ganso e os outros jovens jogadores não o queriam no time.

De jeito nenhum.

E Fábio Costa nunca mais jogou pelo time.

Essa vitória uniu ainda mais as duas maiores promessas santistas.

Assim como não terem sido chamados por Dunga em 2010.

Sofreram e se consolaram juntos.

Neymar tentou aproximar Ganso de Luís Álvaro.

Só que o meia guardou muita mágoa do dirigente.

Se sentiu desprezado quando teve de se submeter à segunda operação nos joelhos.

Foi quando o presidente estava quase acertando o mesmo projeto que ofereceu a Neymar.

O meia disse ao atacante que Luís Álvaro sumiu.

Justo quando estava no processo de recuperação.

Os empresários da DIS, donos de 45% dos seus direitos, foram cruéis.

Como tinham péssimo relacionamento com Luís Álvaro, insistiram no abandono.

Convenceram Ganso que o dirigente não tinha consideração por ele.

De nada adiantou depois, o presidente oferecer por três vezes o plano de carreira.

Ganso estava convencido que o dirigente não acreditava nele como atleta.

Esteve mesmo disposto a ir para o Corinthians em 2011.

Mas Andrés Sanchez não quis comprar uma briga nos tribunais.

Por isso tem a gratidão de Laor até o final dos tempos.

Ganso já estava propenso a trocar de time em 2012.

Seu relacionamento com os dirigentes era péssimo.

E ficou insuportável em agosto do ano passado.

Após uma derrota por 3 a 1 contra o Bahia.

Na acanhada Vila Belmiro, ele recebeu uma chuva de moedas.

Torcedores revoltados com a sua falta de empenho desabafavam.

"Ganso mercenário.

Não quer jogar no Santos.

Vai para a casa do ca..."

O jogador rebateu nas rádios e televisões.

"Mercenário, eu?

Sou o salário mais baixo no Santos."

E era mesmo, ganhava R$ 130 mil.

Seu desafeto, Fábio Costa, embolsava R$ 170 mil sem jogar.

Foi neste dia que decidiu não continuar no clube.

A proximidade dos torcedores do gramado da Vila Belmiro foi decisiva.

Ouviu todos os palavrões.

Via a feição daqueles que o xingavam.

Várias moedas caíram aos seus pés.

Neymar sabe o quanto o amigo ficou humilhado.

E por isso implorou ontem aos torcedores que poupem Ganso.

O meia deve ficar no banco de reservas de Ney Franco.

O que torna tudo muito pior.

Estará ainda mais perto dos rancorosos santistas.

No banco que Tite odeia.

E será alvo fixo no aquecimento, já que deverá entrar na partida.

O cenário para este primeiro reencontro não é nada animador.

Membros das torcidas organizadas santistas já avisaram.

Usaram as redes sociais para se manifestar.

Não respeitarão o pedido de Neymar.

Muito pelo contrário.

Reservaram mais moedas, vão protestar.

Não perdoaram Ganso por preferir jogar em um rival.

Não estão nem um pouco preocupados com sua péssima fase.

Com a apatia que lhe trava o começo de vida no São Paulo.

Querem vingança por ele haver desprezado a camisa 10 santista.

E vão sim usar o coro que o jogador mais detesta.

O de 'mercenário'.

O amor a Neymar não é tão grande quanto o rancor a Ganso...

(Ney Franco acaba de confirmar que mudou de ideia.

Ganso será titular.

Melhor para a integridade do jogador.

Escapará das cusparadas.

Mas não das moedas.

E nem dos gritos de mercenário.

Mas pelo menos terá a chance de mostrar.

Fazer com que os santistas lamentem o que perderam...)


Artigo impresso de Blog do Cosme Rímoli: http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli

Endereço do artigo: http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/o-apelo-de-neymar-foi-a-toa-a-torcida-santista-nao-perdoa-paulo-henrique-ganso-ja-prepara-as-moedas-e-o-coro-que-ele-mais-detesta-o-de-mercenario-domingo-na-vila-belmiro-o-inevitavel-reencont-01022013/

Endereços neste artigo:

[1] Imagem: http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/files/2013/02/ae.jpg

© 2011 Nicolau Marmo. Todos direitos reservados.