1ae42 No Corinthians, a frustração. Carlitos Tevez vendido à Juventus por R$ 35 milhões. Cinco milhões mais barato que o clube pagou por Alexandre Pato. A sensação é que a volta do argentino era possível. Faltou planejamento...
Momento de reflexão no Corinthians.

E mais cobrança velada a Alexandre Pato, à Nike.

Ao entusiasmado Mario Gobbi.

Os R$ 40 milhões gastos pelo jogador do Milan passaram a valer mais.

Ainda mais quando se sabe que em futura venda, ele ficará com 40%.

Não bastasse a instabilidade técnica e emocional do jogador...

Tudo ficou mais pesado por uma negociação na Europa.

Carlitos Tevez deixou marcas no Parque São Jorge.

É um dos grandes ídolos da história.

Bastaram 18 meses, ano e meio.

Foi a primeira e mais impactante contratação da MSI.

O iraniano Kia Joorabchian o tirou do Boca Juniors.

Pagou US$ 19,5 milhões.

A quantia foi espantosa na época.

A mais cara transação de um clube brasileiro até 2005.

Tevez foi o escudo de Kia.

O empresário queria investir o dinheiro de Boris Berezovisky.

Nos melhores jogadores da América do Sul, comandar vários clubes.

E principalmente formar uma rede independente de transmissão dessas equipes.

Bateu de frente com dois inimigos.

A TV Globo e a Polícia Federal.

Foi o fim da MSI.

Mas no ano e meio que ficou no Parque São Jorge, Tevez virou ídolo.

Foram 76 partidas marcantes e 46 gols.

A identificação com o jogador raçudo, rápido, talentoso foi total.

Tudo ruiu porque Carlitos encarava o clube como trampolim para a Europa.

Ele chegou para classificar o time à Libertadores.

Conseguiu liderar a equipe até o título brasileiro.

Já queria ir embora na janela do início de 2006.

Kia implorou para que continuasse e disputasse a Libertadores.

O argentino já tinha péssimo ambiente com o vice de futebol, Andrés Sanchez.

A relação degringolou porque Andrés tentou controlar suas declarações.

Veio a decepção com a Libertadores de 2006.

2ae9 No Corinthians, a frustração. Carlitos Tevez vendido à Juventus por R$ 35 milhões. Cinco milhões mais barato que o clube pagou por Alexandre Pato. A sensação é que a volta do argentino era possível. Faltou planejamento...

A derrota para o River Plate no Pacaembu.

E a revolta da iludida torcida que esperava o título.

À eliminação teve consequências com a infeliz contratação de Leão.

O treinador ultrapassado nunca escondeu seu rancor com os argentinos.

Foi a oportunidade.

Logo se desentenderam.

Leão tirou a faixa de capitão do jogador.

Magoada, a torcida o cobrava pela queda na Libertadores.

Tudo acabou quando estava sendo vaiado no Morumbi.

Era uma partida contra o Fortaleza.

Ao marcar, ele se vingou, mandando os corintianos se calar.

Há quem garanta que foi de caso pensado.

3gazeta1 No Corinthians, a frustração. Carlitos Tevez vendido à Juventus por R$ 35 milhões. Cinco milhões mais barato que o clube pagou por Alexandre Pato. A sensação é que a volta do argentino era possível. Faltou planejamento...

A reação foi automática.

Torcedores chutaram seu carro.

E a relação acabou.

Ele foi para o West Ham, sem drama de consciência.

Nestes sete anos, o Corinthians tentou seu retorno quatro vezes.

Foram tentativas insistentes, marcantes.

Logo após a conquista do Mundial, em dezembro, houve a chance.

Kia, grande amigo de Andrés, avisou que ele não continuaria no Manchester City.

O jogador queria uma transação.

Estava interessado em ganhar luvas e ter aumento de salários.

A princípio, não desejava voltar à América do Sul.

Mas tudo dependeria do esforço corintiano.

Foi quando surgiu o plano envolvendo Alexandre Pato.

A Nike intermediando a transação.

Pato querendo disputar a Copa do Mundo.

O Corinthians buscando um ídolo para agradar a torcida.

E, principalmente, os patrocinadores.

A transação foi fechada por R$ 40 milhões.

Com o trato dele ficar com 40% de uma possível saída.

A alta cúpula corintiana sabe que a prioridade é do Milan.

O seu relacionamento com a família Berlusconi vai além da amizade.

Ele tem um namoro com Barbara, filho de Silvio, dono do clube italiano.

A adaptação de Pato no Corinthians está difícil.

Primeiro houve a recuperação total física.

Dentro do campo produzia menos que Guerrero e Emerson.

Romarinho faz um trabalho de composição que ele não consegue.

Por isso, Alexandre amargou o banco.

Perdeu convocações, deixou de ser levado em consideração por Felipão.

Não foi chamado nem para a reserva na Copa das Confederações.

Está jogando muito mal.

E não teve a sonhada identificação com os torcedores.

Nem despertou a paixão dos patrocinadores.

Tudo vem à tona de novo agora.

Carlitos Tevez, o dom Sebastião corintiano, saiu do Manchester City.

Foi para a Juventus da Itália.

O preço é que incomoda no Parque São Jorge.

R$ 35 milhões.

Mais barato do que Alexandre Pato.

Perfeitamente dentro dos padrões do novo rico do futebol brasileiro.

A sensação é de desperdício.

Não será tornada pública.

Mas pessoas ligadas a Andrés Sanchez lamentam.

No atual momento de reconstrução...

Com Sheik leiloando seu passe...

Guerrero sonhando com volta à Europa...

E Pato decepcionando, a contratação seria fantástica.

Serviria para revigorar o clube.

Tevez escapou pelos dedos dos corintianos.

De nada adiantou a amizade entre Kia e Andrés.

O gosto de frustração domina a garganta de quem manda no Parque São Jorge.

Não há quem não sonhe com a volta do argentino.

Ela poderia acontecer agora.

Faltou planejamento, visão.

E apostar de cabeça em Alexandre Pato...
2gazeta1 No Corinthians, a frustração. Carlitos Tevez vendido à Juventus por R$ 35 milhões. Cinco milhões mais barato que o clube pagou por Alexandre Pato. A sensação é que a volta do argentino era possível. Faltou planejamento...

http://r7.com/Es3i