agenciaestado74 Na tarde dos zumbis, Marcelinho/Lucas salvou o clássico no Pacaembu...

Marcelinho ou Lucas.

Tenha o nome que tiver...

O garoto de 19 anos acabou com a monotonia do clássico.

Palmeiras e São Paulo faziam o que prometiam.

Uma partida de muita marcação e sem emoção.

Ficava mais uma vez explicado no frio Pacaembu porque os dois clubes caminham como zumbis no Brasileiro.

Dois times irmanados na limitação.

O Palmeiras sem Kléber não tinha vibração, sangue.

Uma equipe sem jogadas pelas laterais.

Aliás, o clube só pode ter contratado o irmão gêmeo de Vitor do Goiás.

O verdadeiro deve estar milionário na Ucrânia, atuando com o apelido de Zé.

Não é o mesmo jogador.

Incrível sua falta de confiança de cruzar ou chutar para o gol.

Ele se livra da bola da intermediária: chuta para a área e der o que quer.

Da outra lateral é injusto comentar.

Fabrício é zagueiro, joga improvisado porque o clube não tem um lateral esquerdo.

O volante Rivaldo, que também atua fora de posição não jogou por estar machucado.

Tadeu e Ewerthon correram de um lado para o outro, sem coordenação, técnica.

Dois jogadores fracos.

Valdívia continua fora de forma e sem a menor condição de ser o que se espera dele.

O Palmeiras vivia à espera de uma falta para Marcos Assunção.

Justiça foi feita: ela não veio.

Para completar o quadro, a infanfil expulsão de Felipão.

Ele gritou para Tadeu falar para José Henrique de Carvalho acertar a distância da barreira do São Paulo na hora das faltas.

Expulsão boba, a troco de nada.

O São Paulo que vinha das derrotas para o Botafogo e para o Inter se propôs a contragolpear.

Sabia que o fraco Palmeiras, empurrado pela sua torcida, teria de buscar os gols.

A troca de Cléber Santana por Casemiro foi uma benção.

Assim como a volta de Alex Silva.

Ilsinho mostrava que iria ajudar bastante quando, outra vez, se machucou.

A briga estava muito forte no meio de campo, quanto apareceu Marcelinho/Lucas.

O garoto se aproveitou muito bem do desvio de bola de cabeça de Fernandão e fez um belíssimo gol.

Depois, deu o segundo para Fernandão.

Pronto: decidiu o clássico.

O resultado não vai mudar a vida dos dois zumbis no Brasileiro.

Vão continuar lutando por posições intermediárias, ávidos para o ano acabar.

Tanto Palmeiras quanto São Paulo farão grandes reformulações nos seus elencos.

Está mais do que demonstrado que precisam.

Mas enquanto 2011 não vem e o Brasileiro não acaba, vamos comemorando um garoto de futuro.

Marcelinho, Lucas, seja lá como ele quiser ser chamado.

Mostrou hoje no Pacaembu que valeu a pena os dirigentes do São Paulo mostrarem o Centro de Treinamento de Cotia a ele e ao seu pai.

Logo o cover de Marcelino Carioca se esqueceu do Parque São Jorge e trocou o Corinthians pelo São Paulo.

Mudou até o apelido para romper com tudo que lembre sua passagem pelo clube branco e preto, como adoraram os dirigentes.

E tem tudo para brilhar com a camisa tricolor.

Uma boa notícia para o São Paulo neste Brasileiro esquecível.

Para o Palmeiras de Scolari, nem isso...

Ah, e Mano Menezes foi ao Pacaembu.

Dizem que estava com o radinho de pilha ouvindo Inter e Vasco.

Mas deve ser maldade...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/MhuG