censasional Maxi López. O Grêmio não percebeu. Essa Barbie não era assim tão inocente...Uma enorme confusão.

E em jogo não está simplesmente o fato de ir atuar na Europa, na Itália.

E a direção do Grêmio não tem um fetiche especial por Maxi López.

Muito pelo contrário.

O que está na disputa é dinheiro.

A situação é complexa.

Maxi López estava no FC Moscou.

No Leste europeu não era valorizado para a elite do futebol mundial.

O Grêmio aceitou trazê-lo de volta para a América do Sul.

O sonho era com ele ganhar a Libertadores da América.

O time gaúcho não conseguiu, mas Maxi López virou um ídolo da torcida.

De acordo com Barbie, seu apelido, o acordo era simples.

O empréstimo com o Grêmio terminaria no final do ano passado.

O argentino garantiu que os russos aceitariam US$ 1 milhão para liberá-lo.

E ele queria dos gaúchos 1,5 milhão de euros por 50% dos seus direitos federativos.

Disse que estava apaixonado pelo Brasil...

Pela torcida do Grêmio...

Acordo fechado em reuniões e em vários e-mails.

Mas...

Sempre o mas...

Surgiu o interesse da Lazio.

Os dirigentes italianos não sabiam de acordo nenhum e foram direto ao dono dos direitos federativos: o FC Moscou.

Ofereceram o nigeriano Makinwa e mais US$ 3 milhões.

E ainda conversaram com representantes de Maxi López.

O jogador de 25 anos ficou fascinado com a oportunidade de jogar em um time de tradição da Itália.

E simplesmente falou aos dirigentes gaúchos que a transação estava desfeita.

Mandou um fax no início da semana

Só que a direção do Grêmio, percebendo a movimentação, já havia depositado em juízo o 1,5 milhão de euros.

Desmoralizada, a direção gaúcha promete ir à Fifa.

Até porque sabe que se tivesse os direitos federativos de Maxi Lópes era ela quem poderia vendê-lo à Lazio.

Só que os russos voltaram atrás ao que haviam combinado com o argentino.

E a reação em cadeia foi o atacante quebrar a palavra dada ao Grêmio.

O departamento jurídico gremista pensa se vale a pena levar o caso adiante.

"As chances do Grêmio são mínimas, para não dizer zero", disse um jurista do esporte ao blog.

"O que eles estão fazendo é tentar justificar a perda do Maxi López para a torcida.

Eles deveriam ter assinado um contrato quando o argentino deu sua palavra.

Agora só resta chiar, reclamar, xingar."

Mais uma situação que deixa bem claro: não existe nenhum santo no futebol.

Ainda mais envolvendo dinheiro.

Não se pode confiar em ninguém.

Até mesmo na Barbie...

http://r7.com/o75G