1futurapress2 Mais do que ganhar do pobre Asa de Arapiraca, houve outra vitória mais significativa. Acabou a exploração do torcedor. O Palmeiras não cobrará mais R$ 200,00 por ingresso na Segunda Divisão...
Policiais tiveram de proteger o ônibus do Palmeiras.

O trajeto entre Maceió e Arapiraca registra.

Houve cinco assaltos a ônibus de times de futebol.

A notícia ficou no noticiário local.

Os 120 quilômetros de estrada consumiram duas horas e meia.

A estrada tem crateras.

Caminhões andam na contramão para evitar os buracos.

Assim o Palmeiras chegou à Arapiraca.

Ao estádio Coaracy da Mata Fonseca.

Ou Fumerão para os íntimos.

Gramado péssimo, vergonhoso.

Time fraquíssimo pela frente.

Gilson Kleina tem história por lá.

Ganhou o Campeonato Alagoano em 2006 com o Coruripe.

Aliás, é o seu único título como técnico.

Analisando o Asa de Arapiraca, ele sabia.

O caminho para a vitória estava no meio de campo.

Colocou três volantes.

Márcio Araújo, Charles e Wesley.

Tinha certeza de que ganharia o jogo nos contragolpes.

Os empolgados alagoanos tentariam vencer a partida.

Seria o jogo de maior repercussão na série B.

Ricardo Silva sonhava com uma consagradora vitória.

E mandou seu ingênuo time para o ataque.

Foi presa fácil.

Kléber, Juninho e Thiago Real levaram 42 minutos para decidir a partida.

3 a 0 no primeiro tempo.

Na etapa final, o Palmeiras desperdiçou outros três gols.

Mas a vitória ontem já estava consolidada.

O time começa bem sua caminhada na Segunda Divisão.

Dentro do campo, tudo previsível.

Fora, está pior do que os dirigentes esperavam.

A televisão aberta não mostra o menor interesse pelo Palmeiras.

Globo e Bandeirantes têm mais o que mostrar.

No sábado passado, concorrência desleal.

Final da Champions League entre Bayern e Borussia.

Ficou impossível para Palmeiras e Atlético Goianiense.

A partida de ontem, terça-feira, também foi desprezada.

A de sábado contra o América Mineiro, em Itu, idem.

O São Paulo reencontra o Atlético Mineiro.

Talvez, a Bandeirantes mostre Sport e Palmeiras dia 8 de junho.

Talvez.

No mesmo dia e hora, o São Paulo enfrenta o Grêmio.

A Globo continuará com a Série A.

Isso é péssimo para a direção do clube que busca patrocinadores.

Hoje a camisa do Palmeiras não tem.

O mercado que instiga uma empresa a colocar dinheiro no clube é a tevê aberta.

A fórmula encontrada é não oferecer a camisa do time só para 2013.

Mas casar o patrocínio com o ano do centenário, 2014.

Só que não está fácil.

A direção da Caixa Econômica Federal já foi mais entusiasmada com o clube.

Ela é um dos alvos.

O próprio Paulo Nobre está envolvido nestes contatos.

A sorte é que a disputa na Série B é injusta.

Os clubes que caíram da primeira divisão são protegidos por contratos.

Recebem sua cota integral de Série A.

O Palmeiras tem R$ 80 milhões da Globo para o Brasileiro de 2013.

Com esse dinheiro será necessária muita incompetência para não subir.

O Sport recebe R$ 20 milhões.

Os demais, R$ 3 milhões.

Com essa verba desproporcional, o clube paulista busca reforços.

Velásquez, atacante, e Mendieta, meia, ambos do Libertad interessam.

 Mais do que ganhar do pobre Asa de Arapiraca, houve outra vitória mais significativa. Acabou a exploração do torcedor. O Palmeiras não cobrará mais R$ 200,00 por ingresso na Segunda Divisão...

O manager José Carlos Brunoro tenta trazer os dois.

Brunoro teve uma derrota significativa.

Ele deu a absurda ideia dos preços dos jogos do Palmeiras em Itu.

R$ 60 e R$ 200 contra o Atlético Goianiense.

O manager acreditou que poderia explorar o torcedor.

O raciocínio foi tão simplista quanto cruel.

O palmeirense pagaria alto para ver seu time subir.

Passou vergonha.

Pouco mais de quatro mil foram ao estádio.

Até os obedientes Gilson Kleina e os jogadores reclamaram.

"Faltou apoio do nosso torcedor", deixou escapar o técnico.

Conselheiros palmeirenses queriam fritar o manager em óleo quente.

Paulo Nobre percebeu que teria de corrigir o rumo das coisas.

Sob a ameaça de perder apoios significativos dentro do clube.

"Erramos a mão.

Os preços dos ingressos vão baixar.

Queremos os torcedores ao nosso lado."

Para a partida contra o América Mineiro no sábado começa a valer.

Serão R$ 40 e R$ 120.

E diante do Avaí, por ser na terça-feira, R$ 20 e R$ 80.

Por enquanto apenas esses dois.

Mas o clube não voltará aos ridículos preços de R$ 60 e R$ 200.

A ganância exagerada se mostrou um fracasso.

A grande parte dos conselheiros do clube se acalmaram.

Mas a imagem de Brunoro ficou ainda mais desgastada.

Já foi assim na saída de Barcos.

Marcelo Moreno foi anunciado.

E ninguém da diretoria havia sequer conversado com ele.

A manutenção de Bruno no gol da Libertadores foi sua ideia.

Não quis contratar goleiros experientes para seguir na competição.

Afirmou orgulhoso que teve "30 à disposição".

E Bruno tirou o Palmeiras da competição falhando contra o Tijuana.

Agora foi ideia do manager cobrar R$ 200 dos torcedores.

Em jogos da Segunda Divisão.

Os questionamentos crescem rapidamente.

Mas Nobre já avisou.

Brunoro é intocável...
 Mais do que ganhar do pobre Asa de Arapiraca, houve outra vitória mais significativa. Acabou a exploração do torcedor. O Palmeiras não cobrará mais R$ 200,00 por ingresso na Segunda Divisão...

http://r7.com/1yQD