110 Luxemburgo tentou surpreender Carille. Colocou o Sport no ataque, em Itaquera. Deixou o jogo mais fácil. Vitória corintiana por 3 a 1. É o primeiro time da história a não perder um jogo em todo primeiro turno do Brasileiro...
Vanderlei Luxemburgo tentou mostrar que não está ultrapassado. E tentou surpreender Fabio Carille, que tem idade para ser seu filho. Colocou o seu Sport com quatro jogadores ofensivos, tentando surpreender o líder invicto, em seus domínios, em Itaquera. Tudo que conseguiu foi deixar a partida ainda mais fácil. Ajudou o adversário. Com muito espaço para articular suas jogadas, o Corinthians venceu sem correr riscos. 3 a 1 foi muito pouco. Os pernambucanos escaparam da goleada por sorte.

E o time de Carille conseguiu ainda mais recordes. É o único da história dos pontos corridos a passar todo o primeiro turno invicto, 19 partidas. Foram 14 vitórias, cinco empates. Nenhum adversário teve força suficiente para vencê-lo. Aproveitamento fantástico de 82,5%. Chegou a 34 partidas sem derrotas. E hoje, inovou, passou toda a primeira etapa sem cometer sequer uma falta. Foram apenas duas faltas corintianas durante todo o jogo. Resultado do quase perfeito preenchimento de espaço do líder do Brasileiro.

O Corinthians deu uma aula de modernidade a Luxemburgo.

Venceu e colocou mais pressão ainda no Grêmio, no Santos, no Palmeiras. Os três têm de vencer amanhã, Atlético Mineiro, Avaí e Atlético Paranaense.

"Temos que confirmar esse rendimento no segundo turmo. São 19 jogos, 57 pontos em disputa, não pode afrouxar. Mas se continuar com essa determinação e entrega não só nos jogos, mas no dia a dia, tem muita coisa boa a acontecer lá na frente", disse Carille, finalmente, deixando escapar a possibilidade de seu time ser campeão do Brasil. Algo que evitou o máximo que pôde.

2agenciacorinthians1 Luxemburgo tentou surpreender Carille. Colocou o Sport no ataque, em Itaquera. Deixou o jogo mais fácil. Vitória corintiana por 3 a 1. É o primeiro time da história a não perder um jogo em todo primeiro turno do Brasileiro...

"A fase do Corinthians é muito surpreendente, mas mostra valorização do trabalho, do grupo. Me sinto abençoado por ter o grupo que tenho na mão, os caras mostram e vão a campo e cumprem. Não só 11, ficamos sem alguns jogadores por um tempo e todos que entraram retribuíram. Estamos muito felizes e vamos continuar jogo a jogo.

"O primeiro turno do Brasileiro foi perfeito, um dos três melhores jogos do ano contra o Atlético Mineiro. Gostei dos jogos contra Palmeiras e Grêmio, São Paulo também, nos colocando para buscar a vitória. Um primeiro turno maravilhoso e que temos que nos sentir orgulhosos", resumia, sorrindo, o técnico corintiano.

"Não é o Sport que perdeu. Ninguém conseguiu ganhar do Corinthians. Eles têm uma característica própria. É um time cirúrgico, que não tem posse de bola, se fecha e sai no contra-ataque para matar o adversário. Aconteceu isso com a gente.

"Tivemos um domínio enganoso no primeiro tempo, porque eles se fecham e saem no contra-ataque. Eles fecham a casinha, jogam em 25 e 30 metros na parte defensiva. Não podemos querer crucificar o time porque perdeu para o Corinthians. Temos que bater palmas para eles", reconhecia, incrivelmente humilde, Vanderlei Luxemburgo. Na verdade, não tinha como disfarçar o quanto seu time foi inferior diante do líder do Brasileiro.

43 Luxemburgo tentou surpreender Carille. Colocou o Sport no ataque, em Itaquera. Deixou o jogo mais fácil. Vitória corintiana por 3 a 1. É o primeiro time da história a não perder um jogo em todo primeiro turno do Brasileiro...

Os conhecimentos 'vanguardistas' de Luxemburgo ficaram no início dos anos 2000. Tem é de agradecer aos céus sua luta para tentar ficar na zona da Libertadores, o que está longe de estar garantida. Os tempos que criava equipes campeãs nacionais passaram.

A partida é muito fácil de ser resumida. O Corinthians se manteve fiel ao seu estilo. Obediência germânica ao esquema tático de Carille, entrando quem for. Todos sabem o que fazer e cumprem duas, três funções táticas diferentes durante os jogos. Atitudes que exigem concentração, preparo físico e dedicação exemplares. O que não é nada comum em equipes brasileiras.

Luxemburgo tentou deixar o Sport arrojado, surpreendente. Quis aproveitar os fortes holofotes da imprensa paulista. Distribuiu cumprimentos a repórteres, abraços, parecia um político tentando fazer que não fosse esquecido. E procurou usar o seu time pernambucano para mostrar que ainda deveria ser levado em consideração como treinador de ponta.

Só que se deu muito mal.

Com Diego Souza, Osvaldo, André e Everton Felipe, quatro jogadores sem poder de recomposição, ofereceu o jogo ao Corinthians. O que na sua cabeça era ousadia, na verdade, foi ingenuidade. O Corinthians fiel ao seu 4-1-4-1, não tomou conhecimento do adversário, que muitas vezes buscava atacar com quatro jogadores, sem noção de marcação. Era uma viagem ao passado, o 4-2-4, que imperou na década de 70 e começo dos anos 80.

Lógico que o Corinthians se aproveitou desse espaço. Um presente. Aos cinco minutos, Cássio lançou à frente. O Sport, sem recomposição, estava com seu sistema defensivo aberto. A bola caiu com Romero que ajeitou para Rodriguinho obrigar Magrão a uma grande defesa. Três minutos depois, o primeiro gol corintiano. Fagner fez o que quis de Osvaldo, passou por Sander e cruzou. Maycon furou e a bola sobrou para um chute sensacional de Guilherme Arana. Forte, cruzado, indefensável. Corinthians 1 a 0.

O Sport tinha mais posse de bola, mas da intermediária para trás. O Corinthians dava aula de eficiência na marcação, no preenchimento dos espaço. É muito mais complexo do que tentar resumir em se defender e contragolpear. Esteve muito mais próximo de ampliar do que o time nordestino empatar.

Mas o segundo tempo começou e o Corinthians mostrou o que significa concentração, atenção à partida. Mal os times entraram em campo, os donos da casa retomaram a bola no meio de campo e ela chegou até Rodriguinho, com toda a liberdade, ele desceu em velocidade e bateu da entrada da área. No ângulo de Magrão. 2 a 0, aos 19 segundos. O gol acabou com qualquer fantasia que Luxemburgo pudesse ter em relação ao jogo.

3agenciacorinthians1 Luxemburgo tentou surpreender Carille. Colocou o Sport no ataque, em Itaquera. Deixou o jogo mais fácil. Vitória corintiana por 3 a 1. É o primeiro time da história a não perder um jogo em todo primeiro turno do Brasileiro...

Seus jogadores se abateram. A confiança dominava a torcida que lotou outra vez a arena e o time. O terceiro gol nasceu de um escanteio. Clayson cobrou e Pedro Henrique cabeceou forte, para o chão. Sem chances para Magrão. 3 a 0, aos 20 minutos.

A torcida enlouquecia. O Corinthians mostrava a diferença da eficiência contra o estéril domínio da bola. Rodriguinho atrapalhou duas vezes Jô, que poderia ter ampliado para cinco a zero o jogo.

André desperdiçou dois vacilos da zaga corintiana. Mas coube a Thallyson arriscar de longe, escorregar, e por sorte, mandar a bola no ângulo de Cássio. 3 a 1.

Placar modesto diante da diferença dos times.

E da competência atual dos treinadores.

Que Luxemburgo observe bem o teipe do jogo.

E estude o que significa modernidade...

37 Luxemburgo tentou surpreender Carille. Colocou o Sport no ataque, em Itaquera. Deixou o jogo mais fácil. Vitória corintiana por 3 a 1. É o primeiro time da história a não perder um jogo em todo primeiro turno do Brasileiro...

http://r7.com/8bsw