cosme ok1 Luiz Adriano pensa que é esperto. Mas está só fazendo mal a ele e, principalmente, à imagem do País no exterior. Cada vexame seu é um vexame brasileiro, antes de mais nada...

"O choro é livre."

Luiz Adriano acaba de resumir no seu twitter.

Essa é a sua análise do gol que fez ontem.

Deixa claro que foi esperto, mais inteligente do que todos.

Só que sua atitude não foi de esperteza.

Foi vergonhosa.

Se aproveitou da honestidade alheia.

Luiz Adriano estava na Dinamarca ontem com o Shakhtar.

Seu time enfrentava o Nordsjaelland.

Perdia por 1 a 0.

Quando a partida foi paralisada quando houve um choque entre dois jogadores adversários.

O árbitro deu bola ao chão para reiniciar a partida.

O meia Willian, ex-Corinthians, chutou a bola para a defesa do time dinamarquês.

Fair play clássico, já que o adversário estava com ela quando o jogo foi paralisado.

A bola foi lenta em direção da área.

O goleiro do Nordsjaelland já ia na direção dela, quando Luiz Adriano resolveu agir.

Com todos os adversários parados, ele correu, chegou antes do goleiro na bola.

E empatou o jogo.

Gol legal, mas completamente imoral, ilegal.

Os próprios jogadores do Shakhtar não o cumprimentaram pelo gol.

Ele foi cercado pelos atônitos jogadores dinamarqueses.

Ninguém esperava tamanha falta de esportividade.

Se aproveitar de um time parado.

O estádio inteiro vaiou.

Sites, jornais, televisões e rádios de todo o mundo o massacram.

É apontado como vilão, um espertalhão.

Tudo o que Luiz Adriano fez foi envergonhar sua equipe.

Manchar a imagem do jogador brasileiro no exterior.

Além de não gostar de treinar, desistir dos contratos com grande facilidade...

Agora o jogador brasileiro ganha a fama de oportunista.

Oportunismo canalha é bem verdade.

O árbitro não pôde fazer nada para punir o atacante.

Em mais uma prova de que a vida não é justa, Luiz Adriano marcou mais dois gols.

Mostrou que não precisaria do gol malandro.

A partida acabou com vitória dos ucranianos por 5 a 2.

Mircea Lucescu, técnico do Shakhtar, pediu desculpas pelo gol do brasileiro.

Ele não quis dar entrevistas.

Apenas fez questão de colocar no Twitter a sua maneira de ver a vida.

"O choro é livre."

Luiz Adriano faz questão de mostrar que com ele é assim.

Não há esportividade, fair play.

O importante é levar vantagem em tudo, certo?

Há uma outra situação que mostrava esse espírito.

Quando postou uma foto sua no mesmo Twitter.

Quis mostrar para amigos o quanto politicamente incorreto ele poderia ser.

Se deixou fotografar com duas armas.

E ainda escreveu: 'O dono da Serrinha voltou'.

Um amigo seu, com o peculiar apelido de guipuracadência, o alertou.

"Para com isso, maluco."

Ele sabia o quanto a foto era negativa para a imagem de Luiz Adriano.

A mensagem violenta era a pior possível.

A foto continuou pública por algum tempo.

Quem quis, a reproduziu.

Depois, ele a apagou.

Só que era tarde.

Tive acesso a ela.

Me foi passada por um amigo.

A princípio, pensei em não publicá-la.

A reprodução de tuítes é legal e amplamente usada nos veículos de comunicação.

Mas diante do gol de ontem.

E, muito pior, da postura depois da péssima repercussão, resolvi mostrá-la aos leitores.

Para que sirva também de reflexão a Luiz Adriano.

Ele tem apenas 25 anos.

É mais um jogador de talento na Europa.

Precisa acordar para a vida.

Havia uma palavra antes do seu próprio nome antes da notícia do “gol da malandragem”.

A palavra é brasileiro.

Ele está representando o Brasil em tudo o que faz.

Suas atitudes fazem mal a ele e a todos os jogadores que saem daqui para o exterior.

Cada vexame seu é um vexame dos brasileiros...

(Mas a Uefa vai lhe dar uma merecida lição.

Ele será processado por conduta antidesportiva.

Com certeza será suspenso.

E terá tempo para pensar na sua covarde atitude.)

http://r7.com/Rw8m