reproducaocaras Lucas comete o mesmo estúpido erro de Robinho. Prometer ser o número um do mundo. É a pior das armadilhas para um jogador brasileiro chegando na Europa. Wagner Ribeiro já deveria ter aprendido...
"Não tenho medo da pressão, jogador de futebol vive disso.

Vim aqui para fazer o meu melhor.

Vou jogar contra grandes times e grandes jogadores.

Farei de tudo para alcançar o objetivo de ser o número um."

Pronto, Lucas caiu na mais estúpida das armadilhas.

Para que servem assessores de imprensa, agentes?

A frase que o jogador de 20 anos não poderia falar, falou.

Repete exatamente a mesma história de Robinho.

O jogador tinha 21 anos quando saiu brigado do Santos.

Era considerado em 2004 como o melhor do Brasil.

Viu o Manchester United, Chelsea, Bayern de Munique e Milan brigarem por ele.

No final, ele e seu empresário Wagner Ribeiro escolheram o Real Madrid.

A primeira declaração de Robinho ao fechar com os espanhóis foi essa mesma.

"Eu quero ser o melhor jogador do mundo, o número um."

Havia uma panela no clube comandada por Raúl.

O elenco estava bem entrosado.

A declaração de Robinho foi encarada como uma provocação.

Como se fosse usar o clube merengue.

E se achasse melhor do que todos que jogavam pelo Real.

Tudo o que conseguiu foi se queimar.

Ser isolado pelo elenco.

Só as pessoas mais próximas do brasileiro sabem o que ele sofreu.

E descontava a raiva na direção do clube que o cobrava.

A situação ficou insuportável.

Sua carreira acabou terrivelmente prejudicada pela declaração.

A imprensa espanhola comprou a versão dos demais jogadores do Real.

E dos dirigentes.

Robinho acabou rotulado como individualista, sem espírito de grupo.

Sonhava em ir para o Barcelona.

Lógico que seu caminho foi travado.

Depois, acertou tudo com o Chelsea de Luiz Felipe Scolari.

Mas a direção do Real ao perceber a sua felicidade, impediu o negócio.

Ele teve de engolir o Manchester City.

Irritado, descontou em Wagner Ribeiro.

E os dois romperam definitivamente.

No clube inglês não fez o menor esforço para se adaptar.

Acabou sendo emprestado para o Santos.

E de lá, vendido ao Milan.

Com desempenhos irregulares, decepcionou os italianos.

Eles o querem empurrar de volta para o futebol brasileiro.

O Flamengo já desistiu.

Mas o Santos, o Atlético Mineiro e o Grêmio negociam.

Em sete anos, Robinho deverá estar de volta.

Nestes anos de Europa ninguém pensou em apontá-lo como um dos melhores do mundo.

Quanto mais o número um, o melhor.

Robinho pagou feio pela boca.

Agora, Lucas comete o mesmo desatino.

No PSG, Ibrahimovic é o intocável no time francês.

O sueco representa o que Raúl significava ao Real em 2004.

Ele foi comprado por cerca de 20 milhões de euros ao Milan.

Cerca de R$ 54 milhões.

Seu ego é imenso.

Ele ficou que queixo caído com a compra de Lucas.

O brasileiro custou 43 milhões de euros.

Aproximadamente R$ 116 milhões.

Ou seja, o dobro de Ibrahimovic.

Ele não deixou por menos ao saber da transação.

"Sei que ele foi muito caro.

Não conheço muito bem, sei que ele está vindo em janeiro.

Se custou tanto assim é porque é bom."

Fez questão de falar em tom provocador para a imprensa francesa.

Estava demarcando território.

Lucas teria de provar que vale o dobro do melhor jogador do PSG.

Teria, porque agora se impôs o pior dos desafios.

O de mostrar ter condições de ser o melhor do mundo.

A cobrança da imprensa europeia acompanhará a promessa.

Será sempre ferrenha.

Assim como o dos próprios companheiros.

Capitaneados pelo egocêntrico Ibrahimovic.

Entre Robinho e Lucas existe um mesmo fator que os une.

Wagner Ribeiro.

O empresário precisa diminuir essa mania de grandeza de seus atletas.

Essa obsessão de querer impressionar imprensa e dirigentes é suicida.

E completamente desnecessária.

O Paris Saint-Germain enfrentou Manchester United, Juventus e Real Madrid.

Pagou R$ 118 milhões.

Já credencia Lucas como um dos melhores do mundo.

Não precisa falar, se elogiar.

Colocar o maior dos obstáculos pela frente.

É muita arrogância colocar como meta ser o mais talentoso do planeta.

É algo que se consegue jogando e não falando.

Basta analisar a trajetória de Messi, por exemplo.

Uma pena.

A história se repete.

Outro jogador de Wagner Ribeiro é comprado a peso de ouro.

Outra vez promete ser o melhor do mundo.

Pode ser interpretado como alguém disposto a usar o clube como trampolim.

E que se considera melhor do que todos no elenco.

O exagero tem tudo para custar caro.

Quem conhece Lucas de perto sabe que ele não é arrogante.

A frase foi encomendada na entrevista.

Dada para chocar.

Mas é um tiro no pé.

Resta apenas aos jornalistas franceses cruzarem os braços e esperar.

E a Ibrahimovic cobrar o brasileiro em todas as partidas.

Se Lucas não tiver desempenho de melhor do mundo, vai se arrepender.

Isso só mostra que dinheiro não significa nada.

Ainda falta visão a quem cerca os grandes jogadores brasileiros.

Sobra ganância.

Neymar deverá ir para o Barcelona em 2014.

Adivinha quem é o seu empresário?

Wagner Ribeiro.

Que o jogador santista não siga pelo mesmo caminho.

A cobrança é terrível.

Qualquer dúvida, pergunte ao parceiro Robinho.

O atacante circula pelo Brasil esperando um clube que o contrate.

Ele mesmo.

Aquele que iria ser o melhor do mundo em 2004...

(Para quem não viu nada demais na declaração de Lucas.

A resposta de Ibrahimovic.

"Ele não vai precisar de mim para se adaptar.

Tem todas as qualidades para jogar e ganhar na Europa."

A cobrança já começou.)

ae32 Lucas comete o mesmo estúpido erro de Robinho. Prometer ser o número um do mundo. É a pior das armadilhas para um jogador brasileiro chegando na Europa. Wagner Ribeiro já deveria ter aprendido...

http://r7.com/Fucn