2ae6 Levir Culpi é mais um treinador que espera a ligação de Leco. Assim como Aguirre, Bauza e Paulo Autuori. O presidente conseguiu abafar os escândalos de Aidar e a sede de sangue após a goleada por 6 a 1 para o Corinthians...
Carlos Augusto Barros e Silva havia dito para Ataíde Gil Guerreiro ter calma. Pouco importava a pressão da torcida e da imprensa para que o clube anunciasse novo treinador. Só que o vice de futebol se sentia incomodado, pressionado. As ameaças de membros das organizadas de ir para frente de sua casa apavoravam sua família. Leco garantiu que era 'fogo de palha'. E todos se esqueceriam do 6 a 1 para o Corinthians. Sem ter de afastar jogador algum e contratar treinador 'de afogadilho'.

No entender do presidente, o São Paulo tem dois adversários fracos pela frente no Brasileiro. Figueirense no Morumbi e Goiás, em Goiânia. Duas vitórias e o clube, quarto no Brasileiro, sacramenta sua classificação para a Libertadores. O elenco que foi execrado domingo no Itaquerão agora pode até ganhar premiação especial. Bastam que a equipe some mais seis pontos.

A reformulação acontecerá. Luis Fabiano, Rogério Ceni, Edson Silva, Pato, Luiz Eduardo, o goleiro Léo já sabem que não ficarão. Conselheiros e torcedores imploram para que Wesley também vá embora. Ganso só sai se tiver uma proposta que seja muito lucrativa para o jogador. Leco segue na dúvida, apesar da negativa de Ataíde em relação a Lugano.

Quanto ao novo treinador que será contratado, o cenário vem mudando, como havia previsto o presidente. A saída de Levir Culpi do Atlético Mineiro colocou na praça um técnico importante, com títulos importantes, vivido e agora desvalorizado. Sem poder cobrar uma fortuna de salário.

Além disso, Levir foi campeão no Morumbi. Em 2000 venceu o Campeonato Paulista e chegou à vice da Copa do Brasil.

Seu trabalho no Atlético Mineiro foi relevante. Reformulou o time que venceu a Libertadores e fracassou no Mundial. Juntou os cacos da péssima e fulminante passagem de Paulo Autuori pela cidade do Galo. Ganhou a Copa do Brasil, classificou o time para a Libertadores. Venceu o Mineiro. E tem praticamente assegurado o vice brasileiro. Deixa como herança a vaga à Libertadores de 2016.

Para Levir um convite do São Paulo seria recebido com muito entusiasmo, garantem jornalistas mineiros. Extraoficialmente garantem que seu seu salário era de R$ 300 mil, algo dentro dos planos do Morumbi.

4ae12 Levir Culpi é mais um treinador que espera a ligação de Leco. Assim como Aguirre, Bauza e Paulo Autuori. O presidente conseguiu abafar os escândalos de Aidar e a sede de sangue após a goleada por 6 a 1 para o Corinthians...

Seu discurso emocionado de despedida esta manhã, repercutiu no Morumbi. Leco ouviu de conselheiros e importantes membros da diretoria que Levir é um homem trabalhador, honesto e com enorme currículo. Exigente com os jogadores, a ponto de ter tido coragem de mandar Ronaldinho Gaúcho embora do Atlético. Poderia formar o grupo competitivo e de personalidade que tanto deseja a direção do São Paulo.

Não há unanimidade no clube. Quando Ataíde jurou que o clube anunciaria o treinador nesta semana, ele estava pensando em Diego Aguirre. O vice é muito próximo do empresário do técnico, o uruguaio Juan Figer. Mas Leco tratou de acalmar os ânimos. Insistiu para seu comandado ter um pouco de tranquilidade.

Há vários boatos circulando entre os dirigentes. O novo é que Cuca conseguiria se livrar da multa com seu time na China, o Shandong Luneng. O trabalho do brasileiro caríssimo não estaria agradando. Ele recebe R$ 1,5 milhão a cada 30 dias.

O presidente teve uma conversa com Juan Pablo Osório. O colombiano e atual treinador do México falou sobre alguns técnicos promissores da América do Sul. Mas quem interessaria mesmo o presidente seria Alejandro Sabella, o argentino vice campeão da Copa de 2014. Desde que o Mundial terminou, não voltou a trabalhar. O ex-presidente Carlos Miguel Aidar tentou contratá-lo e fracassou. Uma nova tentativa não está descartada.

5ae8 Levir Culpi é mais um treinador que espera a ligação de Leco. Assim como Aguirre, Bauza e Paulo Autuori. O presidente conseguiu abafar os escândalos de Aidar e a sede de sangue após a goleada por 6 a 1 para o Corinthians...

Além de Sabella, o também argentino Edgardo Bauza está sendo oferecido a grandes clubes brasileiros. Ele foi campeão da Libertadores de 2014, com o San Lorenzo. Havia vencido a competição com a LDU do Equador em 2008. Também trabalhou no Peru. E estaria atraído pelos altos salários por aqui. Flamengo e Atlético Mineiro também estariam interessados. Ele anunciou oficialmente que não renovará seu contrato com o San Lorenzo. Seu time foi vice do Argentino que terminou no início do mês. Está livre.

Leco só corta qualquer conselheiro ou diretor que deseje falar sobre Muricy. Ele não o quer de volta ao Morumbi. De jeito algum. Os dois não se falam. São inimigos desde 2009, quando o treinador impediu que o dirigente entrasse com amigos no vestiário para conversar com os jogadores e pegar autógrafos.

Paulo Autuori estará no Morumbi, dia 11 de dezembro. Ele, Muricy, Renê Santana (filho de Telê) e Milton Cruz serão os treinadores dos times campeões do mundo, na festa do final de carreira de Rogério Ceni. Paulo Autuori também está à mão. Ele se desligou do Cerezo Osaka, clube da Segunda Divisão do Japão. Desempregado e, de acordo com conselheiros, 'louco para voltar ao São Paulo'. Ele quer desfazer a péssima impressão que deixou em 2013, quando chegou a bater o recorde do clube de partidas sem vitórias. Foram 14 partidas.

1ae22 Levir Culpi é mais um treinador que espera a ligação de Leco. Assim como Aguirre, Bauza e Paulo Autuori. O presidente conseguiu abafar os escândalos de Aidar e a sede de sangue após a goleada por 6 a 1 para o Corinthians...

Da mesma maneira que havia prometido abafar os escândalos de Carlos Miguel Aidar, Leco contornou com calma a tensão depois para o 6 a 1 diante do Corinthians. Ganhou fôlego para estudar com calma o comandante do futebol do São Paulo para 2016.

É muito estranho e merece destaque, o esquecimento de Leco nos protestos das torcidas organizadas do São Paulo. Assim como Juvenal e Carlos Miguel Aidar, o novo presidente do São Paulo sempre é poupado quando a hora é de cobranças e mesmo palavrões. Essa é uma original tradição que impera no Morumbi. Presidente tem um escudo invisível que o livra de queixas, reclamações, cobranças e ameaças. É uma verdadeiro enigma...

http://r7.com/0S0E