111 Leila aceita, com prazer, dar o dinheiro da Crefisa para o Palmeiras contratar Valdivia. O jogador deseja voltar. Mas enfrenta um inimigo poderoso demais no Palestra Itália. Alexandre Mattos. O executivo não quer nem ouvir falar no chileno...

Um milhão de dólares por ano, cerca de R$ 3,2 milhões.

São R$ 266 mil mensais.

De acordo com a imprensa chilena foi esta a pedida de Valdivia ao Colo Colo. O clube chileno aposta na negociação. Mas quer reduzir o dinheiro pedido pelo meia de 33 anos. Há quase a certeza por parte de jornalistas andinos que a transação será fechada.

O 'quase' fica por conta do Palmeiras.

Repórteres têm a certeza que ele priorizaria atuar mais um ano no Brasil, antes do seu retorno definitivo para o Chile.

Sem a presença do seu inimigo número um, Paulo Nobre, Valdivia faz campanha sem constrangimento nas redes sociais. Se oferece de corpo e alma ao Palmeiras. Um torcedor perguntou ao jogador se ele voltaria pela terceira vez ao Palestra. A resposta.

"Só ligar que eu vou ..!"

Isso aconteceu na segunda-feira.

O Palmeiras de Cuca já estava mal.

Jogou na quarta-feira pior ainda e perdeu para o Coritiba. Quarta partida sem vitória. Sem conseguir marcar um mísero gol.

As redes sociais voltaram a mostrar o sonho de inúmeros palmeirenses. Eles querem a volta de Valdivia. E não pedem apenas para o chileno. Vão na fonte de dinheiro do futebol do clube. Leila Pereira.

Ela diz que não aguenta mais pedidos por Valdivia.

E que só depende dos dirigentes do Palmeiras.

Se quiserem, ela contrata.

Aliás, Leila e seu marido, José Roberto Lamacchia, não se esquecem como foram bem tratados pelo chileno. O trio se encontrou em Dubai, no reveillon de 2016. Até posaram para foto juntos.

Só que era Paulo Nobre o presidente do clube.

E ele detestava Valdivia.

Não o perdoava por causa dos relatos dos médicos.

Contundido, tomando remédios e com a obrigação de repouso, o chileno era visto em festas. Bebendo. Sua recuperação costumava demorar o dobro dos companheiros de time.

E não aceitava cobrança de treinadores, dirigentes.

Mas sempre foi dono de enorme habilidade.

Tivesse mais responsabilidade teria feito sucesso na Europa.

Os pedidos por Valdivia chegaram a Mauricio Galiotte e Cuca.

O presidente e o treinador se mostraram contrários.

27 Leila aceita, com prazer, dar o dinheiro da Crefisa para o Palmeiras contratar Valdivia. O jogador deseja voltar. Mas enfrenta um inimigo poderoso demais no Palestra Itália. Alexandre Mattos. O executivo não quer nem ouvir falar no chileno...

O dirigente por ter acompanhado a trajetória de Valdivia com Nobre.

E considerar o meia problemático, de difícil trato.

Cuca também não tem as melhores recordações de Ronaldinho Gaúcho.

As recomendações de Valdivia no Palmeiras não o animam.

Mas Guerra não está rendendo.

Assim como Raphael Veiga e Hyoran.

Moisés ainda se recupera de rompimento dos ligamentos no joelho esquerdo.

A previsão de volta aos jogos é, no mínimo, em agosto.

Leila Pereira deixa claro a amigos.

Gostaria de ver Valdivia de volta.

Seria o ídolo, o camisa 10 que os torcedores pedem.

Mas Alexandre Mattos se tornou o grande obstáculo.

Na saída do jogador, em 2015, foi Mattos quem convenceu Paulo Nobre a exigir um contrato de produtividade para o meia, se ele desejasse ficar. O que foi prontamente recusado.

Vale lembrar a proposta: R$ 120 mil fixos. Mais R$ 60 mil a cada partida. Com o Palmeiras atuando, em média, seis jogos por mês, seriam R$ 360 mil mais R$ 120 mi. Um salário de R$ 480 mil a cada 30 dias.

38 Leila aceita, com prazer, dar o dinheiro da Crefisa para o Palmeiras contratar Valdivia. O jogador deseja voltar. Mas enfrenta um inimigo poderoso demais no Palestra Itália. Alexandre Mattos. O executivo não quer nem ouvir falar no chileno...

Só que o chileno estava mal acostumado.

Recebeu entre luvas e salários, R$ 450 mil.

Por cinco anos.

Contrato feito pelo ex-presidente Luiz Gonzaga Belluzzo.

Valdivia soube que Mattos estava por trás da proposta por produtividade.

E passou a evitá-lo.

Nem se cumprimentavam.

Mattos vetou até a ideia de um jogo de despedida do chileno.

O tempo passou, mas o rancor ficou.

Alexandre Mattos não quer a volta de Valdivia.

Cuca tem outras prioridades.

Prefere a contratação de Richarlyson, atacante do Fluminense.

Ou Bruno Henrique, ex-volante do Corinthians, que está no Palermo.

Não precisa pensar em Valdivia.

Alexandre Mattos vetou.

Apesar de o jogador estar livre.

Acabou seu contrato com o Al Whada, dos Emirados Árabes.

Mas esse veto será novamente colocado à prova amanhã.

O Palmeiras enfrenta o Fluminense, na sua arena.

Pressionado pelos maus resultados, o time terá de vencer.

Em caso de novo tropeço ou fraco futebol...

Os torcedores já sabem qual nome gritar.

Valdivia...

42 Leila aceita, com prazer, dar o dinheiro da Crefisa para o Palmeiras contratar Valdivia. O jogador deseja voltar. Mas enfrenta um inimigo poderoso demais no Palestra Itália. Alexandre Mattos. O executivo não quer nem ouvir falar no chileno...

http://r7.com/_B89