Lava Jato investiga. Vice do Corinthians poderia ter recebido R$ 500 mil de propina da Odebrecht pelo Itaquerão. A detenção do ex bicheiro e amigo íntimo de Andrés Sanchez, André Negão, é um desastre para o clube...
"Estão querendo incluir (o Itaquerão) de qualquer jeito, por causa de minha amizade com o Lula. E eu quero que ponham. Quero que o estádio vá para Lava-Jato. Investiguem. Me chamem e vou falar tudo."

Premonição, desejo ou informação privilegiada.

A verdade é que o deputado do PT e homem que manda no Corinthians, Andrés Sanchez, acertou na mosca. Sua previsão do mês passado, à revista Isto É, se tornou realidade.

A operação Lava Jato chegou ao Itaquerão. Mas não só pela amizade de Andrés com o ex-presidente Lula.

De acordo com investigações do Ministério Público, o estádio só foi construído para a abertura da Copa do Mundo graças à propinas. O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima é direto. A diretoria da Odebrecht, empreiteira que construiu o estádio, teria pago de R$ 500 mil a representantes do Corinthians. Mais propriamente, alguém muito próximo de Andrés Sanchez.

O diretor de contrato da Odebrecht Infraestrutura, Antônio Roberto Gavioli, aparece em planilhas. Ele, de acordo com o Ministério Público, seria quem distribuiria os dinheiro. Em espécie. A pessoa quem cobra a propina está identificada apenas como 'Timão'.

A Polícia Federal acaba de levar para depor, em condução coercitiva, o vice presidente do Corinthians, André Luiz de Oliveira. O André Negão, ex-bicheiro, chefe de gabinete e amigo íntimo de Andrés.

Quando o ex-presidente corintiano era coordenador da CBF, deu um grande presente do seu 'irmão'.

 Lava Jato investiga. Vice do Corinthians poderia ter recebido R$ 500 mil de propina da Odebrecht pelo Itaquerão. A detenção do ex bicheiro e amigo íntimo de Andrés Sanchez, André Negão, é um desastre para o clube...

Ele foi chefe da delegação da Seleção Brasileira sub 20 que disputará a Copa Mediterrâneo em Barcelona. O ex-bicheiro foi o representante da CBF na competição.

De acordo com a Polícia Federal, Negão teria recebido pelo menos R$ 500 mil da Odebrecht.

E ainda acabou preso.

Na sua casa foi encontrada duas armas com licenças vencidas.

141 Lava Jato investiga. Vice do Corinthians poderia ter recebido R$ 500 mil de propina da Odebrecht pelo Itaquerão. A detenção do ex bicheiro e amigo íntimo de Andrés Sanchez, André Negão, é um desastre para o clube...

"Descortinou-se um esquema de contabilidade paralela no âmbito do grupo Odebrecht, destinado ao pagamento de vantagens indevidas a terceiros, vários deles com vínculos diretos ou indiretos com o poder público em todas as esferas", revela o procurador Carlos Fernando.

Ele foi além, na explicação desta 26ª fase da Lava-Jato.

Como detalha a Folha de São Paulo.

"Com base em planilhas e cruzamento de dados, investigadores da Operação Lava Jato afirmam que a Odebrecht montou uma "estrutura profissional" de pagamentos sistemáticos de propina no Brasil e no exterior.

610 Lava Jato investiga. Vice do Corinthians poderia ter recebido R$ 500 mil de propina da Odebrecht pelo Itaquerão. A detenção do ex bicheiro e amigo íntimo de Andrés Sanchez, André Negão, é um desastre para o clube...

"O "sistema estruturado" de corrupção, nas palavras do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, envolvia funcionários com divisão clara de atribuições, um sistema informatizado para controle da entrada e saída de milhões de reais e toda uma estrutura de contabilidade clandestina

"Segundo ele, os pagamentos se referiam a obras públicas do governo federal e de governos dos Estados.

"Segundo os investigadores, a estrutura incluía até uma área específica na empreiteira, chamado de "Setor de Operações Estruturadas", que operava as práticas ilegais. Esta fase foi batizada de "Xepa".

"Entre os contratos suspeitos de propina, além da Petrobras, estão o aeroporto de Goiânia, as obras do Trensurb (trem metropolitano de Porto Alegre), estradas e o estádio do Corinthians em São Paulo.

"Era uma estrutura profissional de pagamento de propina, não se limitava a casos esporádicos, mas a pagamentos sistemáticos", disse a procuradora Laura Tessler, uma das integrantes da força-tarefa do Ministério Público Federal, do Paraná."

Além de comandar o Corinthians com mão de ferro, Andrés se colocou como o responsável pelo Itaquerão. E tratou de tentar desvincular o depoimento de seu parceiro, André Negrão, na Polícia Federal com o estádio. Tentou mostrar ter sido mera coincidência.

522 Lava Jato investiga. Vice do Corinthians poderia ter recebido R$ 500 mil de propina da Odebrecht pelo Itaquerão. A detenção do ex bicheiro e amigo íntimo de Andrés Sanchez, André Negão, é um desastre para o clube...

"Não tem nada a ver. Ele foi tratar de suas coisas", diz Sanchez.

Foi-se o tempo em que suas palavras eram tratadas como decretos.

Vale sempre lembrar a sua descontração em 2011. Em entrevista à Época, ele travou o seguinte diálogo.

Andrés - "O estádio do Corinthians custa 780 milhões. É mais de 1 bi, e vamos pagar 780. Ponto. A parte financeira ninguém mexeu. Só eu, o Lula e o Emílio Odebrecht (presidente do Conselho de Administração da Odebrecht e pai de Marcelo Odebrecht, preso na Lava Jato).

ÉPOCA - O dia em que essa história vier a público, vai ficar feio para quem?

Andrés - "Não vai ficar feio pra ninguém. Vai ficar, talvez, não imoral, mas difícil para o Lula.

Depois de saber do depoimento e, possível detenção, de Negão, Andrés tentou manter a arrogância. Foi irônico com a Folha de São Paulo.

"Nunca soube e para mim nunca teve [propina]. E se teve também quero saber para conseguir um desconto no valor da obra. A arena vai custar menos.

"Espero que se investigue logo tudo para pôr fim nessas especulações. Se alguém fez merda, que se pague."

"Não tenho nada a temer, nem o Corinthians, nem a arena."

Andrés nega a realidade.

Age como se não estivesse enxergando.

O vice-presidente do Corinthians está na Polícia Federal.

A acusação de ter recebido R$ 500 mil de propina é pública.

Mesmo se as investigações ficarem só nele, o prejuízo ao estádio é enorme.

O sonho de conseguir R$ 420 milhões de naming rights morre de vez.

O Itaquerão seguirá sendo Itaquerão.

Até mesmo o patrocínio master da camisa corre risco.

O clube abriu mão dos R$ 30 milhões da Caixa Econômica.

Esperava fazer um pacote pelo naming rights.

Conselheiros corintianos sabem que não deu certo.

Agora explode essa bomba envolvendo propina ao vice presidente corintiano.

O clube acaba de publicar um comunicado oficial.

Superficial, fugindo das gravíssimas acusações.

244 Lava Jato investiga. Vice do Corinthians poderia ter recebido R$ 500 mil de propina da Odebrecht pelo Itaquerão. A detenção do ex bicheiro e amigo íntimo de Andrés Sanchez, André Negão, é um desastre para o clube...

Andrés tenta manter a pose.

Mas sabe que também deverá dar suas explicações.

No mínimo assumir sua incompetência.

Negão era seu amigo.

O representava nas festas que o deputado do PT era convidado.

Afinal, era o chefe do gabinete do petista.

Além disso, era vice presidente corintiano.

Vice de Roberto Andrade, homem que Andrés colocou na presidência.

Negão sonhava um dia ser presidente do Corinthians.

Gostava de dizer que seria o "Obama do Parque São Jorge."

Sanchez sempre assumiu ser o responsável pela arena.

É possível que não soubesse do esquema de Negão.

Mas tudo aconteceu debaixo das suas barbas.

André, o ex-bicheiro, está detido e depondo.

A Polícia Federal tem certeza.

Ele tem muitas histórias para contar...

(Por R$ 5 mil, André Negão pagou fiança. E responderá pelas armas com licença vencida na rua. Ele disse que, apesar de estar citado formalmente na operação Lava-Jato, não teve nem de responder sobre o Itaquerão. Então, tá...)
426 Lava Jato investiga. Vice do Corinthians poderia ter recebido R$ 500 mil de propina da Odebrecht pelo Itaquerão. A detenção do ex bicheiro e amigo íntimo de Andrés Sanchez, André Negão, é um desastre para o clube...

http://r7.com/RkbN