1reproducao2 Juvenal Juvêncio travou o motim contra Lúcio. Nada de afastamento ou rescisão de contrato. A hora é de perdoar. Deve até jogar contra o Corinthians. Depois da Libertadores a história poderá ser outra...
Juvenal Juvêncio travou o motim contra Lúcio.

Ao contrário da maioria da sua diretoria, ele quer a continuidade do jogador.

O recado chegou a Ney Franco.

Ele deve escalá-lo normalmente contra o Corinthians.

Todos devem se comportar como se ele não tivesse feito nada ontem.

Como se sua expulsão não tivesse facilitado, aberto o caminho à vitória atleticana.

E colocado o São Paulo a um passo da eliminação da Libertadores.

Já está previsto um pedido de desculpas do jogador ao grupo.

E à torcida.

As coisas vão seguir.

Foi assim quando Lúcio foi expulso contra o Palmeiras no Paulista.

O São Paulo estava muito melhor, quando ele resolveu dar uma cotovelada em Valdivia.

E também assim quando foi substituído contra o Arsenal na Argentina.

Não ficou no banco de reservas, foi direto tomar banho.

E de lá para o ônibus esperar o time.

Foi quando soube da derrota são-paulina.

Ao ser perguntado pela imprensa o que havia acontecido, foi direto.

"Quando saí o jogo estava 0 a 0."

O São Paulo perdeu a partida.

De uma vez só ele desrespeitou os companheiros e Ney Franco.

Ficou fora de alguns jogos insignificantes.

Para Ney mostrar sua força.

E voltou nas partidas importantes.

No confronto mais importante do ano, ele conseguiu ser expulso em 35 minutos.

Tomou cartão amarelo por reclamação e em seguida deu um pontapé em Bernard.

Juvenal Juvêncio sabe que o vice João Paulo de Jesus Lopes ficou revoltado.

Assim como o diretor e piloto Adalberto Baptista.

Eles queriam a punição, o afastamento do veterano zagueiro.

Mas Juvenal avisou que se isso acontecesse, o ambiente implodiria.

Ainda mais às vésperas da semifinal do Paulista contra o Corinthians.

Daria ao Atlético Mineiro mais vantagem psicológica para quarta-feira.

E tornaria ainda mais inseguro o elenco.

A mensagem passada aos jogadores seria que a diretoria não tolera erros.

Juvenal tomou a frente e está protegendo Lúcio.

A sua postura surpreendeu o próprio jogador.

Ele está arrasado pelo que aconteceu.

E até aceitaria se o São Paulo pedisse sua rescisão.

Mas o zagueiro e Juvenal se acertaram.

Ele será novamente perdoado.

Apenas terá de dar entrevistas se mostrando arrependido.

E pedindo desculpas aos torcedores.

A primeira providência do presidente são-paulino é esta.

Segurar a raiva, que ele também ficou do zagueiro.

Esperar o que acontecerá contra o Corinthians.

E principalmente diante do Atlético Mineiro.

Juvenal não quer reclamações contra o jogador.

Adalberto e João Paulo foram avisados.

O presidente que tanto perdoou Luís Fabiano decidiu pelo mesmo caminho.

O clima no clube ficou mais leve depois que Lúcio não foi punido.

Os jogadores o defenderam para Ney Franco.

Nem precisava.

O treinador foi o primeiro a perdoá-lo ainda no vestiário ontem.

Se o clube foi magnânimo com o veterano zagueiro, a torcida não foi.

Muito pelo contrário até.

E vai cobrar muito do beque.

Ele não tem a moral de Luís Fabiano.

Mal acaba de chegar e já causou todo esse prejuízo...
1reproducao3 Juvenal Juvêncio travou o motim contra Lúcio. Nada de afastamento ou rescisão de contrato. A hora é de perdoar. Deve até jogar contra o Corinthians. Depois da Libertadores a história poderá ser outra...

http://r7.com/doMR