reuters28 Júlio César: ame o ou deixe o...
Ele não tem nada de modesto.

Muito pelo contrário.

Cobrir qualquer evento que ele seja o goleiro não é fácil.

Talento tem de sobra.

Mas prepotência também.

Sua autoconfiança exagerada nasceu com ele nas categorias de base do Flamengo.

Talentoso, sempre se destacou.

A ponto de ser contratado por um dos clubes mais poderosos do mundo.

A Seleção Brasileira para ele sempre misturou sonhos como decepção.

O acompanhei na emocionante Copa América do Peru em 2004, quando o Brasil tirou o título dos argentinos nos minutos finais.

Todos se lembram do gol de Adriano...

Mas se esquecem que na decisão por pênaltis, Júlio César defendeu o de D'Alessandro...

Estive com ele também na Alemanha, na Copa de 2006.

E o vi desmotivado, frustrado como terceiro goleiro de Parreira.

Treinou o tempo todo na linha, com um estranho boné...

Fugia das entrevistas, irritado...

Do Flamengo foi para a Inter, fazendo um rápido estágio no Verona...

Na Inter desbancou o ídolo italiano Toldo...

E se firmou como um dos melhores goleiros no mundo...

Estava com ele na Copa da África do Sul...

Vi passar da prepotência dos primeiros jogos...

Às lágrimas pela eliminação do Brasil, com grande participação dele...

Sua falha no gol de empate da Holanda, saindo como um juvenil...

Desestabilizou a Seleção Brasileira...

E desencadeou a eliminação da Copa, tomando a virada naquele jogo...

Nos vestiários, Júlio César chorou como uma criança...

Nem parecia o mesmo homem que nas coletivas se mostrava superior, irritado ao ter de responder perguntas...

Entrou em depressão...

Mano Menezes percebeu que ele precisava de uma quarentena...

Ficou afastado da Seleção desde então...

Tempo suficiente para ganhar o Campeonato Mundial de Clubes com a Inter...

Mano acredita que chegou a hora...

Júlio César retoma o lugar que é seu...

Atualmente é o melhor goleiro que nasceu no território nacional...

Tem a chance de mostrar para a história a que veio...

Se nasceu para deixar sua marca na Seleção...

Ou é um jogador destinado aos clubes...

Ricardo Teixeira e Mano o consideram ideal para ser o titular em 2014...

Victor, Gomes e Fábio podem esquecer...

O primeiro teste para provar que o trauma holandês passou será contra a França, no próximo mês...

A convocação esteve longe de ser unanimidade...
´
Com Júlio César será sempre assim...

Ou se repara no seu ótimo reflexo como goleiro...

Ou na sua prepotência...

Que Susana Werner o acalme neste retorno à Seleção Brasileira...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/jnhD