divulgação12 Juiz não deixou o Palmeiras vencer. Mas nada justifica a grossura de Felipão. Ele precisa respeitar o cargo que ocupa...

Impossível não ficar revoltado com o que aconteceu com o Palmeiras em Sete Lagoas.

Mesmo não tendo jogado bem, só não venceu os reservas do Atlético Mineiro graças ao árbitro Marcelo de Lima Henrique.

Ele teve uma arbitragem bizonha, inaceitável.

Os mineiros só empataram a partida depois de um pênalti inexistente de Márcio Araújo em Obina.

Até o atacante ficou surpreso com a marcação.

Antes, Marcelo já havia voltado atrás em um pênalti que havia marcado com toda convicção de Jairo Campos em Lincoln.

Seguiu o auxiliar que apontou impedimento.

O estranho foi a demora que Marcelo agiu.

A direção do Palmeiras vai protestar alegando que o auxiliar foi avisado por alguém de fora que viu na tevê o dificíl impedimento.

E o Palmeiras acabou empatando com os reservas do Atlético Mineiro.

No dia 10 de novembro, Dorival Júnior ameaça colocar os titulares no Pacaembu.

E brigar com o que tem de mais forte para tentar ficar com a vaga para a semifinal da Sul-Americana.

O post deveria acabar aqui.

Mas não pôde.

Novamente Valdivia, o chileno sentiu dores na coxa esquerda.

Ficou 18 minutos em campo apenas.

Que médicos são esses que o liberam para jogar?

Como o blog já havia avisado, o médico Otávio Vilhena não quis dar entrevistas.

Valdivia já avisou que não entrará mais em campo enquanto não estiver recuperado.

Ou seja, estava sendo induzido a jogar.

Felipão fez mais uma vez um papel lamentável.

Indigno para alguém com seu currículo.

Depois de outra atuação decepcionante do time dirigido pelo técnico que mais recebe no Brasil, ele tratou de descontar na imprensa sua frustração.

Primeiro chamou os repórteres de estarem fazendo palhaçada por perguntarem sobre Valdivia.

Depois apontou para um dos jornalistas na coletivo e o chamou de ser o 'mais palhaço'.

Lembrando que a coletiva é sempre uma covardia a favor do entrevistado.

Depois de fazer a pergunta, a palavra fica com o técnico, com o jogador ou com o dirigente.

Felipão atacou quem quis e não ouviu o troco.

Ele perdeu toda a noção de civilidade ao ouvir que o médico não quis falar sobre Valdivia.

"Foda-se", respondeu e encerrou a triste coletiva.

Pouco importava para ele se crianças e mulheres acompanhavam a coletiva ao vivo.

Felipão precisa se colocar no seu lugar.

Ele é um profissional de respeito internacional.

Está comandando o Palmeiras, não um time de várzea.

A imprensa pode questioná-lo, ele recebe R$ 700 mil livres também para ser questionado.

É sua função esclarecer o torcedor palmeirense.

Ele tem muitos mais argumentos do que simplesmente sair xingando descontrolado quando não gosta da pergunta.

A direção do Palmeiras precisa deixar de ser fraca e questionar seu treinador.

Ele não pode desviar o foco toda vez que o time vai mal e que escala de maneira precipitada Valdivia.

Felipão está desrespeitando o Palmeiras.

A Unimed, patrocinadora especial do técnico palmeirense.

Alguém precisa mostrar para Felipão que papel ridículo ele está se prestando...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/rDO7