1reproducao10 Jorge Henrique não deve jogar mais no Corinthians. Seu pecado: não conseguir treinar na manhã de sábado. E dar uma desculpa que não convenceu Tite. O treinador perdeu a confiança no seu jogador. Como aconteceu com Adriano, Martínez, Chicão...
O assunto é tratado com total sigilo.

Mas é tão grave que Tite não quis esperar.

Não aceitou a hipótese de deixar passar.

Pelo menos até os jogos finais do Paulista contra o Santos.

Nem mesmo a partida fundamental para a sobrevivência na Libertadores.

Na próxima quarta-feira contra o Boca Junior.

A única informação que vazou no Corinthians.

Tite não quer mais Jorge Henrique.

Não o deseja nem treinando com o grupo.

O jogador traiu a sua confiança.

Só isso é que os dirigentes informam.

Juram que não darão mais detalhes.

A questão é grave.

Tite só agiu assim desde que voltou ao Corinthians uma vez.

Foi com Adriano.

O atacante deu uma entrevista à TV Globo.

Nela falou estava sendo obrigado a jogar mancando.

E, ao contrário do que a Comissão Técnica divulgava, estava em forma.

Tite ficou revoltado.

Desabafou aos gritos no vestiário que nunca escalaria alguém mancando.

E desafiou Adriano a subir na balança.

O treinador tinha a certeza de que ele estava dez quilos acima do peso.

O jogador se recusou.

Muito nervoso, o técnico procurou a diretoria.

E disse que Adriano não atuaria mais com ele.

A direção do clube que escolhesse.

Mario Gobbi optou por Tite.

E o contrato de Adriano foi rescindido.

1futurapress Jorge Henrique não deve jogar mais no Corinthians. Seu pecado: não conseguir treinar na manhã de sábado. E dar uma desculpa que não convenceu Tite. O treinador perdeu a confiança no seu jogador. Como aconteceu com Adriano, Martínez, Chicão...

E será esse o caminho por Jorge Henrique.

O jogador está há quatro anos no Parque São Jorge.

Foi contratado junto ao Botafogo.

Atuou em 216 jogos.

Marcou 30 gols.

Muito importante taticamente foi titular na final do Mundial.

Este ano, tinha perdido espaço.

Renato Augusto tomou o seu lugar.

Contundido, a vaga passou a Romarinho.

A missão continuou a mesma.

Atacar e auxiliar ao máximo o lateral Alessandro.

No último sábado ele não treinou.

Não conseguiu ir para o campo.

Disse que teve problemas familiares durante a madrugada.

Mas não convenceu ao treinador.

De maneira discreta, foi afastado do banco de reservas.

E hoje veio a notícia do afastamento.

Tite não dá espaço para indisciplina no elenco.

Foi assim que Chicão deixou de ser capitão do time.

E hoje vegeta na reserva.

Ele não quis ficar no banco de reservas em 2011.

O treinador o afastou do time.

E por pouco não foi negociado.

Mas perdeu todo o prestígio que tinha.

Hoje é mero reserva.

Deverá ser vendido após a Libertadores.

No ano passado, Martinez reclamou das poucas chances.

Queria ser titular.

Falou em entrevista coletiva.

Acabou se indispondo com o treinador.

E com o grupo.

Campeão mundial no Japão, nem participou da festa em São Paulo.

Foi negociado com o Boca Juniors.

Sheik foi multado duas vezes por causa de atrasos.

E ficou várias partidas fora do time, no banco.

"Ninguém pode se considerar mais importante do que o grupo."

Esse é um mantra que Tite repete sempre aos jogadores.

Ele não tolera qualquer questionamento sobre o time titular.

Jorge Henrique havia perdido espaço.

Seu contrato vence em dezembro.

Tem 31 anos.

Botafogo e Flamengo e Cruzeiro haviam sondado a direção.

Interessados na sua contratação.

Havia a possibilidade de que fosse negociado.

Mas tudo pode ser acelerado com esse afastamento.

A direção está irredutível.

Não quer expor o que aconteceu.

Dirigentes e conselheiros só insistem na mesma tese.

Jorge Henrique teria traído a confiança de Tite.

A decisão do afastamento foi tomada na terça-feira.

E só tornada pública hoje à tarde.

Ele não terá mais nenhum contato com os companheiros de time.

Pelo rigor com que o treinador trata da situação, deverá sair do clube.

Negociado com outra equipe ou mesmo tendo seu contrato rescindido.

O jogador teria tido outra chance para se explicar na terça-feira.

Outra vez se complicou.

Tite teria perdido a paciência e, pior, a confiança nele.

Por isso não o quer mais no grupo.

Sua atitude serve como exemplo aos outros atletas.

A decisão já chegou até a presidência.

Mario Gobbi teria dado todo o apoio a Tite.

E acatado a sugestão de tirar Jorge Henrique do convívio do grupo.

Ele não atuará nas finais do Paulista.

E nem do jogo eliminatório da Libertadores contra o Boca.

Para quem conhece Tite, os indícios são claros.

Acabou a carreira de Jorge Henrique no Corinthians.

É apenas uma questão de definição.

Rescisão ou negociação com outro clube.

Resta saber a reação do grupo ao afastamento.

Jorge Henrique tinha ótimo ambiente com os companheiros.

Mas é nesse hora que se impõe o mantra de Tite.

"Ninguém pode se considerar mais importante do que o grupo."

Por tudo indica esse foi o pecado do jogador corintiano.

Ter ficado irritado com a reserva.

E não se preocupado com o treino de sábado pela manhã.

Daí a falta, na véspera do clássico contra o São Paulo.

Para sua falta de sorte, a desculpa que deu não convenceu a Tite.

A situação está complicadíssima, sugerindo ser irreversível.

Jorge Henrique está mais perdido do que no final do Mundial do Japão.

Quando confundiu a bandeira de Sergipe com a brasileira...

(Por meio de sua assessoria de imprensa, o jogador admitiu que errou.

E tenta consertar a difícil situação.

"Todos erramos.

Errei e já me desculpei.

Agora, meu futuro está nas mãos do clube.

Vou aguardar a decisão."

Foi seco demais para a delicada posição em que se encontra.

Um jogador que perdeu a confiança de Tite no Corinthians...)

(O Lance! banca uma versão bem mais pesada.

De acordo com o jornal, Tite se sentiu traído pelo atleta.

Teve todo cuidado com ele na morte de sua irmã.

O deixou à vontade para voltar aos treinos quando se sentisse bem.

E na noite de sexta-feira passada, ele teria saído para uma balada.

No sábado de manhã não tinha condições de treinar.

Disse ter ficado cuidado do filho com dengue.

Só que há quem garanta que ele ficou até altas horas na rua na sexta.

Depois de se certificar da situação, Tite decidiu pelo afastamento.)
2fotoarena Jorge Henrique não deve jogar mais no Corinthians. Seu pecado: não conseguir treinar na manhã de sábado. E dar uma desculpa que não convenceu Tite. O treinador perdeu a confiança no seu jogador. Como aconteceu com Adriano, Martínez, Chicão...

http://r7.com/Mdyh