divulgação321 Jonas e Grêmio.O casamento acabou. Separação de corpos, depois da Libertadores...
Entrevistei Jonas no final de 2010.

Na premiação dos melhores do ano.

Nas escadarias do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Ele estava feliz, animado.

Só ficou tenso quando perguntei sobre a cobrança da torcida do Grêmio.

Estava claro que ele detestava e se sentia perseguido.

Mesmo sendo o artilheiro do Brasileiro, já se mostrava muito irritado com a falta de apoio.

Não foi surpresa para mim o que aconteceu ontem no Olímpico.

Jonas estava desde o ano passado a ponto de explodir.

A torcida gremista é exigente.

Quer conquistas marcantes.

Para comemorar e se impor diante do rival eterno, o Inter...

E os que jogam de vermelho têm conquistas importantes mais recentes.

A Libertadores de 2010 foi uma dor imensa para os tricolores.

O time de Renato Gaúcho tem em Jonas o seu definidor, o artilheiro.

Desde que surgiu no futebol, sempre teve uma característica fortíssima....

É capaz de marcar três gols difíceis e perder quatro feitos, na pequena área, na mesma partida...

Mas ninguém pode tirar o mérito de ser um atacante raçudo ao extremo, batalhador e com presença de área...

Só que imprevisível...

Já foi chamado de pior atacante do mundo pela imprensa espanhola...

Logo na segunda partida do ano, contra o São José, ontem, sexta-feira, Jonas demonstrou sua mágoa...

Ele não se conformava com as vaias dos gremistas...

As de ontem só fizeram transbordar a raiva que acumulava desde 2010...

E foi à forra...

O São José vencia o jogo em um gol maravilhoso de Marabá...

As vaias e os palavrões eram mais fáceis de ouvir no Olímpico com pouco mais de oito mil torcedores...

Foi no ápice dos insultos que André Lima ajeitou e Jonas empatou...

Aí aconteceu uma das cenas mais inusitadas deste ano, que promete ser quente...

Jonas, com as câmeras da tevê voltadas para o seu rosto, começou a correr em direção à torcida...

Por respeito aos adolescentes que frequentam o blog, não vou ensinar novos palavrões...

O atacante encarou os torcedores e xingou, xingou, xingou...

Fez gesto pedindo que se calassem...

Renato Gaúcho que conhece muito bem a alma das arquibancadas do Olímpico fez o que lhe ocorreu...

Começou a jogar água em Jonas com uma garrafa para ver se ele se acalmava...

Mas o jogador estava possuído...

E continuou encarando uma das torcidas mais apaixonadas e violentas do País...

Para melhorar, ou piorar a situaçã, depende do ponto de vista...

Ainda viria o segundo gol...

O da virada...

Cobrança maravilhosa de falta...

Quem foi que cobrou?

Sim, com a ajuda do irônico destino, Jonas...

O gol deu alegria e mais raiva aos torcedores...

Porque o atacante se recusou a comemorá-lo...

Baixou a cabeça e mostrou que estava triste por ter proporcionado alegria aos gremistas no estádio...

Foi pior até...

Passou a ser xingado até o final da partida...

Percebendo que tudo poderia ficar pior, com a declaração de vez de guerra de Jonas, Renato interferiu...

Mandou seguranças o afastar da imprensa e ele foi para o vestiário ouvindo vaias e palavrões...

Jonas quer deixar o Grêmio...

Só que o time precisa dele...

A primeira partida da Pré-Libertadores contra o Liverpool do Uruguai é na próxima quarta-feira...

Renato Gaúcho e os dirigentes ficarão até lá tentando acalmá-lo...

Só que Jonas não suporta mais a falta de apoio dos gremistas...

E os torcedores não têm mais paciência com a sua inconstância...

Mas a diretoria já avisou o seu empresário, que também é seu irmão...

Antes do final da Libertadores, eles vão de se tolerar...

Mesmo com o fim do amor, Jonas e a torcida do Grêmio vão conviver na mesma casa...

O estádio Olímpico...

Depois, vão repartir os bens...

A partir de ontem, vão manter as aparências...

Mas cada um olha para um lado...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/DIt6