1llczuffa Jon Jones calou a boca do maior falastrão da história do UFC: Chael Sonnen. Virará lenda. Chael entrou para a história disputando três vezes o cinturão. Usando com sua grande arma a boca...
Jon Jones calou o último grande vilão do UFC.

Na luta que foi a sua última disputa de título da vida.

Com chance até ser ser o derradeiro combate.

Chael Sonnen conseguiu ir além do seu talento no octógono.

Chegou a duelar três vezes pelo cinturão.

Empurrado pela boca, pela autopromoção, muitas vezes pela estupidez.

Sonnen é um excelente wrestler.

Com refinada técnica para colocar seus adversários no chão.

Seu ground and pound é bom, nada fantástico.

Mas a facilidade para derrubar os oponentes lhe deu várias vitórias.

Fez história no wrestling norte-americano.

Chegou bem recomendado do WEC ao UFC.

Bastaram cinco lutas e a chance para disputar o cinturão.

Pela frente o favorito Anderson Silva.

Só que antes do combate Chael não desperdiçou os microfones.

Falou a todos que chegassem à sua boca.

Provocou, xingou, desrespeitou o Brasil, a família de Silva.

Roubou as manchetes, a atenção.

Mesmo com todos sabendo que Anderson Silva era fantástico.

As frases que interessavam era do seu desatinado desafiante.

"Diga ao Anderson que vou bater na sua porta dos fundos.

Dar um tapinha na bunda de sua mulher.

E falar para ela me fritar um bife, ao ponto, como eu gosto."

"Anderson Silva vem sempre com aquela babaquice.

Se curva para reverenciar o rival.

Isso não pode ser feito no Brasil.

Já estive lá.

E sei que, se você abaixar a cabeça, roubam tua carteira na hora."

"Saudações de São Paulo.

Já estou aprendendo a língua.

A dança das Paraolimpíadas se chama capoeira.

E a cocaína se chama brunch."

Passou de todos os limites.

Veio a luta e uma surpresa.

Ele fez Anderson Silva de carpete em dia de limpeza.

O derrubou no chão e bateu, bateu, bateu.

Como em um filme, no último assalto, veio a surpresa do campeão.

O triângulo que obrigou Sonnen a desistir da luta.

Vitória suada de Anderson Silva.

A luta foi excelente para o UFC.

Promoveu ainda mais o MMA no mundo.

O vilão falastrão quase venceu o 'invencível' no UFC.

O barulho foi tão bom que pouco se divulgou.

Sonnen acabou pego no antidoping.

Sua força fora do comum para derrubar Anderson não veio dos céus.

E sim de testosterona sintética.

Pegou um ano de suspensão.

Mas graças a recursos e pressão interna, a pena foi reduzida a seis meses.

Sonnen perdeu, mas foi como se tivesse vencido.

Ganhou respeito, atenção, espaço na tevê, publicidade.

Como os irmãos Fertitta e Dana White coloca para lutar quem eles querem, veio a revanche.

Sonnen iria enfrentar novamente Anderson Silva.

Mais ataques rasteiros.

Chegou até a colocar a camisa do Palmeiras.

Nunca ouviu falar do time paulista, mas posou com a camisa.

Sabia que era a do clube rival do Corinthians de Anderson.

11reproducao Jon Jones calou a boca do maior falastrão da história do UFC: Chael Sonnen. Virará lenda. Chael entrou para a história disputando três vezes o cinturão. Usando com sua grande arma a boca...

Mais e mais venda de pay-per-view como sonhava a organização do UFC.

Entre agosto de 2010 e julho de 2011, Sonnen deitou e rolou.

Capitalizou ao máximo esse espaço entre as lutas.

Ganhou notoriedade muito além de seu talento.

Quando veio a revanche, sem testosterona a mais, foi um vexame.

Conseguiu derrubar Anderson apenas no início do primeiro round.

Já apanhava quando o assalto terminou.

Mal recomeçou o segundo, Silva muito melhor.

Chutes, socos, tudo entrava com facilidade.

Até que Sonnen resolveu dar uma cotovelada giratória.

Acertou a grade e ficou exposto para uma saraivada de golpes que acabaram a luta.

Anderson Silva recuperou sua dignidade.

E até ironizou o vilão, o convidando para um churrasco.

Sem o tapa na bunda da sua esposa, lógico.

Demorou, mas Anderson percebeu que falar era o único recurso de Sonnen.

Mal imaginaria ele que outra oportunidade de título surgiria.

Dan Henderson iria enfrentar Jon Jones pelos meio pesados.

Mas teve um grave problema no joelho faltando poucos dias para a luta.

Precisaria sofrer uma cirurgia e desistiu do combate.

Chael Sonnen desafiou Jon Jones.

Falou que lutaria no dia seguinte.

Tiraria o seu cinturão como um sorvete de uma criança.

E várias besteiras do gênero.

Jones não aceitou o combate.

Só que Dana White ficou alucinado com a ideia.

Não só forçou o combate como os dois seriam os capitães rivais de um TUF.

Foi um sucesso nos Estados Unidos.

Sonnen funcionou perfeitamente como falastrão que é.

Tanto que cavou a profissão de comentarista.

Criativo, engraçado, ganhou seu espaço como vilão.

Chegou até a lamber o sapato de Rashad Evans ao vivo.

Ele apostou que Lyoto Machida não venceria Dan Henderson.

O brasileiro ganhou.

E Sonnen lambeu a bota de Rashad.

Tudo estava engraçado até que veio a luta de ontem.

Jon Jones é o mais destrutivo lutador de MMA do planeta.

Sua técnica apurada tira os golpes mais letais do Muay Thai e do Kickboxing.

Tem 11 anos a menos do que Sonnen.

Quieto, calado, decidiu fazer uma 'homenagem' ao oponente.

Sorte de quem estava em Newark.

Jones usou o wrestler para derrubar o vilão do UFC.

Por duas vezes usou a mesma técnica se Sonnen.

Era como se fosse um clone.

A diferença só era sentida quando começava o festival de socos e cotoveladas.

Na última vez que derrubou o falastrão foi mais sério.

Furioso, quis acabar o combate.

As cotoveladas entraram em cheio no rosto de Sonnen.

Sobrou até uma joelhada no peito.

Totalmente atordoado e ensanguentado, teve a luta acabada aos 4min33.

O árbitro Keith Peterson evitou o massacre maior.

Se resistisse até o término do primeiro assalto, venceria.

11reproducaotwitter Jon Jones calou a boca do maior falastrão da história do UFC: Chael Sonnen. Virará lenda. Chael entrou para a história disputando três vezes o cinturão. Usando com sua grande arma a boca...

O motivo, Jon Jones havia quebrado o dedão do pé esquerdo.

Fratura exposta, não teria condições de continuar.

Irônico.

Mas Sonnen admitiu ao final da luta.

Percebeu que aos 36 anos não tem como ir além de um top ten.

Disputar cinturões com chance de vitória nunca mais.

"Não vou ser um dos caras que vai ficar por aí sem ter um caminho para o título.

Acho que esta foi minha última chance."

Ele apanhou tanto que ninguém se opôs.

Mesmo com o osso querendo sair do dedão, Jon Jones sorria.

"Fui mais Chael Sonnen que o Chael Sonnen."

Ele igualou o recorde de Tito Ortiz, são cindo defesas de cinturão.

Quer vencer mais uma luta.

Enfrentar Anderson Silva e depois subir de categoria.

Lutar entre os pesos pesados.

Sua trajetória fantástica está traçada.

A de Chael Sonnen também.

Deverá ganhar bem a vida como comentarista de UFC.

Graças à parte do corpo que lhe deu fama no MMA.

A boca...

http://r7.com/CyZm