O mundo é uma aldeia.

Cada vez menor.

As pessoas não podem se esquecer disso.

Ficou impossível um velho jogo dos empresários e jogadores.

Antigamente era fácil falar uma coisa para a imprensa brasileira.

E outra para a europeia.

Principalmente quando não era um grande veículo.

Foi o que fez David Barcos.

Irmão e empresário do atacante.

Falando ao site italiano TuttoMercato.

"A ideia é não ter Barcos jogando a Série B com o Palmeiras.

Ele está na Seleção Argentina.

E está à procura de um lugar para permanecer com um nível elevado.

E poder continuar a ser convocado."

Assim, direto, sem meias palavras.

Deixou o irmão à disposição dos clubes italianos.

Foi além.

Lamentou que ainda nenhuma equipe de lá o tenha procurado.

"Infelizmente, no momento, são apenas rumores.

Nenhum clube italiano falou comigo, mas o Barcos quer jogar no Campeonato Italiano.

Na Itália, há, sem dúvidas, muitas equipes para o meu irmão.

Sem dúvida, uma oferta da Itália seria cuidadosamente considerada.

Qualquer pessoa que planeja levar Barcos, pode contatar-me.

Porque, repito, estamos dispostos a considerar uma proposta."

O título da matéria é singelo.

E não deixa dúvidas.

'Agente de Barcos: Quer a Itália. Pronto para deixar o Palmeiras.'

Mais direta impossível.

David deu detalhes fundamentais.

Disse que a multa rescisória de R$ 40 milhões não deve ser levada em consideração.

"Depois do rebaixamento, acho que o Palmeiras aceitaria negociar por um valor menor.

Não pode ser considerado um problema."

Confirmou que não houve a renovação para 2015.

O que David declarou foi o oposto do que Barcos vem repetindo.

O argentino disse que ama o clube.

E por conta desse 'amor' ficaria no Palmeiras e jogaria a Segunda Divisão.

Membros da atual diretoria não estranharam as declarações de David.

Vazou o aumento que Tirone queria dar a Barcos de maneira silenciosa.

E o Conselho Deliberativo o travou.

O salário iria de R$ 200 mil para R$ 500 mil mensais.

Só que os conselheiros se revoltaram.

O compromisso do argentino já iria até o final de 2014.

Não haveria motivo para antecipar a sua renovação.

"O Valdivia ganha quase R$ 500 mil (R$ 375 mil mais parcelas de luvas).

Não acho justo o Barcos ganhar menos da metade", tentou justificar Arnaldo Tirone.

Só que os conselheiros foram firmes.

Travaram o aumento que ainda não havia sido assinado.

David confirmou aos italianos que não houve a antecipação da renovação.

A sua entrevista foi muito oportuna, precisa.

A janela de transferências para a Europa se abre hoje, 3 de janeiro.

Está claro que se for procurado por um clube italiano tentará negociar o irmão.

Se possível antes da eleição no Palmeiras, no dia 21.

Ainda com Tirone, mais fácil de negociar.

O que aconteceu foi ótimo.

Acabou a ilusão.

A única situação que poderia segurar Barcos seria o aumento.

Ganhar mais do que o dobro para continuar no Palmeiras.

E disputar a Segunda Divisão, arriscando a sua convocação para a Seleção Argentina.

Sem aumento, não haveria compensação.

O 'amor' fica para outra ocasião.

O contrato de Marcos Assunção já venceu.

A chance de renovação está cada vez mais difícil.

Não houve o empenho prometido por Tirone.

Agora, a assumida vontade do irmão de tirar Barcos do Palmeiras.

A W.Torre não quer antecipar dinheiro da arena para contratações.

Até agora, o clube só conseguiu dois reforços desde que foi rebaixado.

O goleiro Fernando Prass e o lateral Ayrton.

O Conselho Deliberativo travou a atual diretoria.

A dívida já passa dos R$ 210 milhões.

Os conselheiros só liberam contratações se forem viáveis financeiramente.

Ou seja: existam parceiros que a banquem.

O treinador Gilson Kleina está irritado.

Em cada entrevista sua paciência com a diretoria fica menor.

Como já foi antecipado aqui no blog, a prioridade neste ano será a Segunda Divisão.

Paulo Nobre e Décio Perin avisaram às torcidas que tentarão a Libertadores.

Mas é puro discurso.

Os dois sabem que não há verbas ou tempo para montar um time competitivo.

Será uma equipe barata recheada de jogadores que voltam de empréstimo.

Como Souza e Wendel.

E mais vários atletas saídos dos juniores.

Com muita chance de não contar com Marcos Assunção.

E principalmente Barcos.

Seu irmão já demonstrou o quanto quer vê-lo longe da Segunda Divisão.

Levá-lo para a Europa.

E manter a chance de disputar a Copa do Mundo pela Argentina.

Apesar de todo amor do irmão pelo Palmeiras...

a4 Irmão oferece Barcos a equipes italianas. Conselheiros palmeirenses não estranham. Eles barraram o aumento que o argentino ganharia para continuar no Palmeiras. Por isso as chances são reais dele ir embora. E não disputar a Segunda Divisão, apesar de todo amor ao clube...

http://r7.com/wXAl