divulgação2221 Inter de Milão campeã mundial como se fizesse um coletivo contra o Mazembe. Que raiva, que desperdício, Inter de Celso Roth. Por isso Abel Braga, Falcão e Dorival Júnior são candidatos a comandar o time em 2011...
A conquista da Inter de Milão deu raiva.

Não do Mazembe.

Mas do Internacional de Porto Alegre, de Celso Roth, dos seus jogadores.

Bastou ter um pouco de personalidade e a Inter de Rafa Benitez venceu o título mundial por 3 a 0.

A facilidade foi tanta que poderia ter sido de seis, sete.

Em Abu Dhabi espetava o coração ver grande parte das arquibancadas lotadas de vermelho.

Torcedores do Internacional que esperavam ao menos a decisão do título.

Não o inútil terceiro lugar, conquistado diante dos sul-coreanos Seongnam por 4 a 2.

Em 17 minutos, a Inter de Milão marcou 2 a 0.

A estratégia mirabolante?

Bastou marcar a saída de bola dos africanos e tocar a bola com velocidade.

Ficou clara a fragilidade técnica do Mazembe.

Os italianos pareciam que estavam treinando.

Fazendo um coletivo.

Os torcedores colorados que se endividaram para viajar do Brasil até os Emirados Árabes não se conformavam.

Como?

Como o Internacional conseguiu perder para o Mazembe?

Como permitiu que pela primeira vez na história não houvesse um sul-americano diante dos europeus?

Celso Roth vai pagar essa conta.

A nova diretoria promete buscar outro comandante para 2011.

Dorival Júnior, Falcão, Abel Braga.

Esses são os nomes mais citados para comandar o Inter na Libertadores, na busca de voltar à decisão do Mundial de Clubes.

Esse sábado foi triste para os brasileiros.

Menos para Júlio César, Maicon, Lúcio, que sofreram na Copa da África, mas terminam o ano como campeões do mundo com a Inter.

Assim como Thiago Motta e Phillipe Coutinho também, lógico...

O Internacional jogando com personalidade tinha como enfrentar a Inter de Milão.

Mas faltou competência, ansiedade, força psicológica, competência para os brasileiros chegarem à final.

E ficou claro porque não vale a pena apostar em D'Alessandro.

Sua carreira acumula decepções quando mais se espera dele...

Como diz o tetracampeão brasileiro Muricy: "A bola não perdoa".

Que raiva, Internacional...

Que raiva, Celso Roth...

Que raiva, D'Alessandro...

Que prejuízo para quem foi a Abu Dhabi com a camisa colorada...

É ou não é caso para procurar o Procon e pedir o dinheiro de volta...

Propaganda enganosa...

http://r7.com/AovY