divulgação22 Grêmio perdoa e tenta buscar o filho traidor: Ronaldinho Gaúcho...
Depois de 10 anos, a redenção de Ronaldinho Gaúcho?

Os dois maiores ídolos da história do Grêmio juntos?

O torcedor acordou embasbacado hoje em Porto Alegre.

O presidente Paulo Odone confirmou as negociações para tentar repatriar o filho renegado.

Nos últimos dez anos, os gremistas aprenderam a detestar o talentoso meia.

Tudo devido à saída pela portas dos fundos.

O clube chegou a recusar propostas de R$ 70, R$ 80 milhões por ele.

Esperava uma que passasse da casa dos R$ 100 milhões, quando tomou uma facada pelas costas.

Ronaldinho Gaúcho assinou com o Paris Saint Germain em 2001 e não rendeu quase nada ao Grêmio.

A saída foi feia demais.

Os dirigentes se sentiram traídos e passaram esse sentimento aos torcedores.

Ao Brasil inteiro.

Nos anos seguintes, Ronaldinho tinha de andar com óculos escuros, boné e seguranças quando ia a Porto Alegre.

Ao ser reconhecido, o jogador era xingado, provocado e sofria ameaças de agressão.

Várias diretorias que passaram pelo Olímpico diziam que era mais fácil ele jogar no Inter do que voltar.

Só que Paulo Odone pensa diferente.

Ele conversou por diversas vezes com Assis, irmão/procurador/conselheiro de Ronaldinho Gaúcho.

O assunto: o retorno do jogador.

Assis também surgiu no Grêmio e sempre revelou mágoa e arrependimento da maneira com que seu irmão caçula deixou o clube.

A situação no Milan está péssima.

O treinador Massimiliano Allegri pediu, e a diretoria até já contratou Cassano, da Sampdoria.

Disse aos dirigentes que será muito mais útil do que o Brasileiro.

Ao contrário do Palmeiras, que espera a liberação de graça, o Grêmio busca recursos para comprar Ronaldinho Gaúcho.

Estando aberto até a receber empréstimo do irmão Assis.

As negociações com o Milan já começaram.

A supresa torcida gremista começa a esquecer as mágoas.

E se houver um sincero pedido de desculpas, as portas do Olímpico estarão abertas.

Todo o ressentimento esquecido.

Até porque tem a Libertadores de 2011 pela frente.

Que disputará com o maior rival, o Internacional.

A negociação está indo rápida demais.

O presidente Odone está otimista.

E o torcedor do Grêmio está com o coração dolorido, mas feliz.

Disposto a perdoar a grande traição.

Tudo pelo prazer de ter os dois maiores ídolos do clube, Renato e Ronaldinho trabalhando juntos.

O que parecia impossível está muito perto de acontecer...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/ef9j