45 1024x737 Gol irregular dá a vitória para o Santos contra o Palmeiras. Juiz não marcou falta absurda de Kayke em Edu Dracena. Tem esses quatro, cinco árbitros... Esses porras ficam fazendo o quê? perguntava Roger Guedes...

Um lance irregular, grotesco de tão claro, deu a vitória para o Santos contra o Palmeiras por 1 a 0. Aos cinco minutos do segundo tempo, Jean Mota tentou servir Kayke, em um contragolpe em velocidade. Edu Dracena chegaria antes, mas foi empurrado pelo atacante santista. As mãos nas costas fizeram com que tropeçasse nas próprias pernas e caísse. Sozinho, Kayke marcou. E olhou para o árbitro Wilton Pereira Sampaio, inexplicavelmente, não marcou falta.

O gol foi absurdo.

Erro crasso que valeu a vitória para o Santos, que marcou a estreia de Levir Culpi. O Palmeiras, outra vez, mostrou futebol irregular. Só passou a atacar efetivamente depois de estar perdendo. E obrigou Vanderlei a pelo menos quatro grandes defesas. Mas o time de Cuca segue time confuso, tenso, que ainda busca personalidade. E acumulando resultados ruins.

Em sete rodadas, o Palmeiras é o 15º, já a 12 pontos do líder Corinthians. Já o Santos chegou a 12 pontos, na quinta colocação. Mas, finalmente, conseguiu vencer o primeiro clássico em 2017.

"Tem esses quatro, cinco árbitros... Esses porras ficam fazendo o quê ali atrás do gol? Desculpa o palavrão, mas eles ficam fazendo o quê? Foi falta no Dracena, duas vezes, uma em que a gente iria fazer o gol e outro lá na defesa. É uma vergonha. Ficam ali atrás gol conversando? Não é possível", desabafava Roger Guedes.

"O juiz que tem de dizer o que foi. Eu procurei o meu espaço (no lance do gol). Quando eu vi ele (o Edu Dracena) estava no chão. E fiz o gol", dizia Kayke, como a convicção de ter feito o que todos viram, falta clara no zagueiro palmeirense.

"O primeiro tempo foi mais estudado, mais contido, poucas oportunidades, três ou quatro, o Santos também teve três ou quatro. No segundo o Santos fez um gol cedo, na minha visão uma jogada irregular, que acaba desestabilizando por um momento. O Santos ficou melhor por dez, 12 minutos depois do gol. Aí tomamos conta do jogo, criamos muitas oportunidades, muitas, não lembro de eu ter vindo na Vila com nenhum time e ter tido tantas chances de gol. A maioria delas certas, mas o Vanderlei estava em uma noite inspiradíssima", dizia Cuca após o clássico.

"Fizemos um gol que achei normal, sem falta. E tivemos duas ou três oportunidades boas para marcar. Essa coisa de justiça é muito vulnerável. Não sei se foi certa ou errada a vitória, mas merecemos", ironizava, Levir Culpi. "Tem muita coisa para ajustar ainda. Eu estava conversando com o Elano e queríamos trocar uns cinco, os caras correram muito", completava sério o novo técnico santista.

O clássico foi muito disputado. Levir substituiu Dorival Júnior para deixar o Santos mais efetivo e usar os jogadores que a diretoria contratou. Levir não é culpado, mas bastante esperto. Tratou, mesmo em casa, dar estrutura, maior coerência à equipe. Mesmo atuando na Vila Belmiro, quando o treinador acreditasse ser o momento, ele montaria duas linhas de quatro e colocaria o time para se defender. Ele queria também Lucas Lima acordado, solidário, muito mais participativo do que vinha sendo neste ano com Dorival.

 Gol irregular dá a vitória para o Santos contra o Palmeiras. Juiz não marcou falta absurda de Kayke em Edu Dracena. Tem esses quatro, cinco árbitros... Esses porras ficam fazendo o quê? perguntava Roger Guedes...

E o ataque, com correria, luta.

Sem brilhantismo, mas efetivo.

Cuca tratou de fazer uma aposta arriscada. Colocou o Palmeiras com três zagueiros. No 3-5-2. Ele está testando todo tipo de formação. Precisa encontrar uma identidade ao Palmeiras. Seu time 'de hoje' foi cauteloso, moroso no primeiro tempo. Só na segunda etapa, perdendo o jogo, o milionário time da Crefisa subiu a marcação. E aí criou chances que Vanderlei, muito confiante, neutralizou.

Mas o árbitro Wilton Pereira Sampaio desequilibrou o jogo. Não marcando falta clara de Kayke em Edu Dracena. Wilton interferiu em toda a dinâmica de jogo. Levir Culpi queria estrear vencendo. E logo um clássico. Ele recuou sua equipe. Ao mesmo tempo que Cuca adiantou o Palmeiras. Ele queria, de qualquer maneira, evitar nova derrota.

E o Palmeiras usando a velocidade e ataque em bloco, criou várias chances. Vanderlei estava em uma noite excelente. Conseguiu evitar que Roger Guedes, Willian, Guerra e Raphael Veiga empatassem.

215 Gol irregular dá a vitória para o Santos contra o Palmeiras. Juiz não marcou falta absurda de Kayke em Edu Dracena. Tem esses quatro, cinco árbitros... Esses porras ficam fazendo o quê? perguntava Roger Guedes...

Fernando Prass também teve de fazer duas grandes defesas em cabeçadas de David Braz e Lucas Veríssimo.

Outro lance polêmico aconteceu aos 49 minutos do segundo tempo. Lucas Veríssimo segurou Edu Dracena. A impressão de todos que assistiam à partida foi de pênalti. Wilton nada marcou, provocando a ira dos jogadores palmeirenses.

O clássico foi equilibrado, intenso.

E decidido pelo árbitro.

Um absurdo.

A CBF tem a obrigação de afastá-lo...
514 1024x682 Gol irregular dá a vitória para o Santos contra o Palmeiras. Juiz não marcou falta absurda de Kayke em Edu Dracena. Tem esses quatro, cinco árbitros... Esses porras ficam fazendo o quê? perguntava Roger Guedes...

http://r7.com/xbSs