1reproducao42 Gabriel Jesus tenso, irritadiço. Ansioso, não consegue jogar bem. Sua promessa, de fazer o Palmeiras campeão brasileiro, antes de ir para o Manchester City, sabota seu futebol...
Quando Gabriel Jesus voltou da Olimpíada do Rio com a medalha de ouro, ele fez questão de abraçar Cuca. E garantiu ao técnico. "Vou embora, mas saio daqui com o Palmeiras campeão do Brasil."

O atacante de 19 anos se sentia grato demais. O clube aceitou vendê-lo para o clube que ele desejava, o Manchester City, de Pep Guardiola. Gabriel foi seduzido pelas promessas do treinador que de que, nas suas mãos, será um dos melhores jogadores de mundo. Manchester United, Barcelona, Real Madrid e Inter de Milão foram desprezados. Mesmo com o United oferecendo mais do que os R$ 102 milhões do City.

Paulo Nobre sabia que enfrentaria um problema imenso se não fizesse a vontade do jogador. Primeiro pela conversa com Guardiola. Depois pelo fato de a mãe do atleta, Vera Lúcia Diniz de Jesus, já ter aceito adiantamento do Manchester City.

Como reconhecimento, o garoto exigiu do clube inglês que ficasse até o final do Brasileiro. Ele queria fazer o Palmeiras campeão depois de 22 anos.

Gabriel Jesus voltou obcecado pelo título. Em cada treino, deixava claro que não fugiria das dividas. Não se esconderia de todo o segundo turno, como temiam alguns.

Só que o efeito colateral foi inesperado. O garoto perdeu a concentração. Se mostra afobado, irritadiço nas partidas. Está claro que seu futebol caiu por tanta ansiedade.

Nos últimos dez jogos do Brasileiro, marcou apenas uma vez.

Há sete partidas visita as redes.

E recebeu dez amarelos.

2reproducao14 Gabriel Jesus tenso, irritadiço. Ansioso, não consegue jogar bem. Sua promessa, de fazer o Palmeiras campeão brasileiro, antes de ir para o Manchester City, sabota seu futebol...

Nem parece o atacante titular da Seleção de Tite. Onde está muito mais focado, preciso, equilibrado. O reflexo foi imediato no Palmeiras. O time tem se ressentido do seu bom futebol. Cuca vai procurar nesta semana acalmá-lo. Fazer com que esqueça essa ansiedade. Tentará convencê-lo que os cinco pontos de diferença do Palmeiras para o Flamengo são suficientes para garantir o título.

Só que o treinador fará mais do que isso. Ele já percebeu que Gabriel Jesus carece de um bom trabalho ofensivo do seu meio de campo. Contra o Santos, no esquema covarde que montou, o atacante vivia de chutões dos zagueiros e volantes. A carência palmeirense de bons meias está sempre presente.

Ao contrário do que acontece com a Seleção Brasileira, o Palmeiras de Cuca troca o cérebro pela correria. E aí fica muito mais fácil para os adversários anularem seu principal jogador.

Mesmo com dificuldade para jogar, Gabriel Jesus tem mantido um comportamento exemplar. Nada de reclamação com os companheiros ou com o treinador. Ele está tão obcecado que não pensa no que está acontecendo. Apenas deseja ganhar logo o título brasileiro.

Jogadores mais experientes como Rafael Marques, Arouca e Edu Dracena têm conversado para que Gabriel Jesus esqueça os árbitros. Ele segue reclamando demais dos juízes. Situação que facilita os cartões amarelos. Não está fácil. O atacante de 19 anos está muito tenso.

O pior é que os adversários já perceberam. E não deixam por menos. Ele é provocado em toda a partida. E tem sofrido criminoso rodízio de faltas. Fossem mais competentes, os árbitros brasileiros perceberiam e tomariam providências, como prevê a lei. Infelizmente, não são.

O caminho do Palmeiras até a final do Brasileiro: Internacional em casa; Atlético Mineiro, fora; Botafogo, em casa; Chapecoense, em casa; e Vitória, fora.

Serão os últimos cinco jogos de Gabriel Jesus pelo clube. Contra o Santos ele atingiu 19 clássicos paulistas sem conseguir marcar um gol sequer. Uma prova clara do que sua afobação pode fazer com seu futebol diferenciado.

Cuca sabe.

Para o Palmeiras ser campeão, precisa resolver o problema.

Seu time é dependente de Gabriel Jesus.

Mas o jogador talentoso, decisivo, talentoso, centrado.

Não o garoto de 19 anos afobado, tenso, irritadiço.

Potencial ele já provou que tem de sobra.

Pena que o futebol brasileiro despreze os psicólogos.

O caso é clássico.

Pura ansiedade.

Para Gabriel Jesus perder o título seria desonroso.

Quebraria sua palavra.

Porém quanto mais ele quer resolver o jogo sozinho, pior joga...
 Gabriel Jesus tenso, irritadiço. Ansioso, não consegue jogar bem. Sua promessa, de fazer o Palmeiras campeão brasileiro, antes de ir para o Manchester City, sabota seu futebol...

http://r7.com/Ks4p