gettyimages281 Foi um absurdo o que fizeram com Lyoto Machida. Quanto vale a credibilidade do UFC, mister Dana White?

Rampage Jackson levantou o braço direito de Lyoto Machida, reconhecendo a derrota.

O gesto é universal.

E, com ele, encerrava a principal luta do UFC 123.

Desolado, Rampage sentou-se no chão e não queria levantar.

Estava entregue.

Sabia ter perdido a luta.

O brasileiro comemorava, discretamente, como é de seu feitio.

Mostrara na luta haver superado o trauma do violento nocaute que sofreu de Shogun.

Fiel ao seu estilo, no primeiro round conseguiu vencer o trauma psicológico.

Esgrimou e conseguiu escapar das investidas de Rampage, usando o seu poder de esquiva absurdo.

A luta foi igual no primeiro round.

No segundo, o americano conseguiu acertar um soco e deu uma queda em Lyoto.

No final do round, o brasileiro devolveu a queda.

Um ponto de vantagem para Rampage.

Mas veio o terceiro round.

Lyoto conseguiu uma saraivada de socos e ainda derrubou Rampage.

Conseguiu montar.

Esteve a ponto de conseguir vencer imobilizando seu braço.

Ele escapou por um triz.

Veterano, percebeu a enorme vantagem de Lyoto, que deveria ter conseguido dois pontos de vantagem.

Tanto que reconheceu a derrota, levantando o braço do adversário.

E sentando-se no chão como se estivesse de luto.

Mas veio o resultado.

Os juízes deram a vitória mais injusta do ano a Rampage.

Com vaias, a revolta da torcida americana foi contagiante.

Impossível não querer dar um high kick na televisão.

É como se alguns árbitros caseiros do futebol brasileiro tivessem ido para o UFC.

E, como acontece por aqui, sem personalidade, ajudaram o clube da casa.

Lyoto foi um gentleman em aceitar o inexplicável resultado, a sua segunda derrota.

Ainda mais do que ele, Rampage Jackson que desmoralizou os jurados não aceitando a decisão.

Ele mesmo ofereceu uma revanche a Lyoto.

Por mais que aconteça a revanche, o gosto da revolta é imenso.

Há muito interesse por trás de cada luta.

Principalmente apostas milionárias.

O round em que a luta vai acabar, até o minuto.

Se aposta em tudo.

E, principalmente, quem vai ganhar.

Resultados como o de ontem tiram parte da credibilidade do MMA.

Como dizem os grandes lutadores: deixou ir para as mãos dos juízes, 'senta e chora'.

Eles vão ajudar os norte-americanos.

Ou dar a vitória a quem interessar Dana White.

Lyoto já foi ajudado na primeira luta contra Shogun.

Agora está do outro lado.

Sentiu na pele o quanto é duro a injustiça.

O grande derrotado ontem não foi o brasileiro.

Foi o UFC.

Basta acompanhar as manchetes nos sites de todo o mundo.

Quanto vale a credilidade do MMA, mister Dana White?

Veja mais:

+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/w7KX