gettyimages0909 Exclusiva com Marcos Assunção. O problema do Palmeiras é a falta de união. Assim fica impossível ganhar qualquer coisa...
Kléber confirmou na TV Bandeirantes os empresários e jogadores do Brasil sabem.

O Palmeiras deve dois meses de salários.

Kléber está revoltado com o que vê no clube.

A promessa de montar uma grande equipe para 'ganhar tudo' que foi feita por Belluzzo para convencê-lo a deixar o Cruzeiro foi cumprida.

O atacante é um dos poucos a ter coragem de mostrar os erros do Palmeiras.

Marcos é contido.

Sabe do peso das suas palavras.

E a idade o ensinou a apenas sugerir como estão as coisas.

Ele está cansado de cobrar e ser acusado de tumultuar o ambiente do clube.

Mas há outro atleta que fala o que pensa.

Tem moral, futebol, experiência e personalidade.

Marcos Assunção.

Enquanto os dirigentes em período pré-eleitoral prometem Ronaldinho Gaúcho, Adriano, Messi, Cristiano Ronaldo, Gisele Büdchen como massagista, o volante se fixa na realidade.

Em entrevista exclusiva ele mostra que o caminho para a recuperação do Palmeiras é muito fácil.

O que falta é boa vontade e menos ego para quem comanda esse importante clube do Brasil.

Marcos, a última vez que nós conversamos você estava procurando clube e não achava.

Se ofereceu de graça para muitos que agora tentam lhe convencer para jogar lá, como o Santos...

É verdade...Você lembrou bem. Foi uma fase terrível para mim.

Sabia que estava pronto para ajudar qualquer clube grande, mas não me deram chance.

Fui vítima da ignorância dos dirigentes brasileiros.

Eles se dizem profissionais mas não sabem como estão os jogadores que estão atuando no Exterior.

Confiam em empresáros e muitas vezes são enrolados.

Esperei mesmo para o Santos, clube onde eu tenho uma grande ligação e não me deram chance.

Fui para o Grêmio Prudente e lá pude mostrar o que ainda conseguia fazer em campo.

Foi uma das grandes vitórias da minha carreira ter sido contratado pelo Palmeiras.

E agora ter vários times interessados em mim.

Você vai sair do Palmeiras?

A minha intenção é continuar.

Eu quero ficar.

A hora é de união, reconstrução.

Sou um homem de palavra.

Só saio se o Palmeiras não quiser contar mais comigo.

O que existe de tão errado no Palmeiras?

Uma pressão exagerada sobre os jogadores.

É como se o time fosse culpado de tudo que aconteceu de errado no Palmeiras nos últimos anos.

Os dirigentes são pessoas muito importantes em um clube.

São eles que precisam estar unidos para blindar a equipe.

Infelizmente há falta de união entre os dirigentes e os atletas acabam expostos.

Por mais que nos concentremos, falta tranquilidade para trabalhar.

Todos nós sentimos o clima tenso no clube.

E isso reflete em jogos importantes, como na partida contra o Goiás.

Há ansiedade, desespero para ganhar de qualquer jeito.

Assim as coisas não andam.

E atrasando salários?

Infelizmente é uma realidade brasileira.

Não é só o Palmeiras, não.

Mas é claro que atrapalha ainda mais.

Só que eu acredito que os nossos problemas deveriam ser discutidos e resolvidos entre nós.

No Palmeiras há uma coisa incrível: tudo vaza, sai na imprensa.

E o tudo fica muito pior.

O Felipão o colocou na reserva ao assumir o Palmeiras.

Você deu a volta por cima e é titular absoluto.

O que aconteceu?

Acho que ele foi mal informado das minhas condições.

Não sabia como eu estava.

Não culpo o Felipão, não.

Mas eu sei como estou e mostrei que poderia ajudar o time.

E o Felipão logo me colocou como titular.

Hoje conversamos muito para tentar fazer o Palmeiras ganhar seus jogos.

Me dou muito bem com ele.

Qual será o futuro do Palmeiras em 2011?

Antes de mais nada, pensar em reforços, troca de elenco, o que o Palmeiras precisa fazer é uma coisa só.

O clube tem de se unir.

O problema do Palmeiras é a falta de união.

Assim fica impossível ganhar qualquer coisa.

Com os dirigentes divididos, o reflexo é direto sobre o time.

E as críticas precisam ser internas.

Dirigente não pode criticar jogador pela imprensa.

E o mesmo vale para o jogador.

O Palmeiras só irá reagir quando se unir.

Esse é o caminho, não tem jeito.

A cura do Palmeiras está no próprio Palmeiras...

http://r7.com/iDfV