reuters032 Exclusiva com Fábio, melhor goleiro do Brasil: o maior injustiçado na Seleção de Mano Menezes...

Ter a sensação de que o tempo está passando...

Ser o melhor da sua posição no Brasil...

E a Seleção sempre lhe vira as costas...

É assim que Fábio do Cruzeiro se sente.

Escolhido como o melhor goleiro na eleição da CBF de 2010.

Bola de Prata da revista Placar.

Os prêmios, os elogios da crítica, as declarações de amor da torcida do Cruzeiro não bastam.

Aos 30 anos, Fábio está vendo a chance de disputar uma Copa do Mundo diminuir a cada convocação de Mano Menezes.

Ele sabe que Júlio César voltará a ser convocado em 2011.

E que Victor é o goleiro de confiança de Mano no Brasil.

O que fazer nesta terrível e injusta situação?

Foi o que perguntei a ele em entrevista exclusiva no Teatro Municipal no Rio.

Segurando o prêmio de melhor goleiro do Brasil, deixando Victor para trás, Fábio mostrou o dilema.

Mas deixou claro seu caráter, um jogador maduro e admirável...

Fábio o que você pode fazer para convencer Mano que merece uma chance?

De coração aberto? Não sei.

Eu tenho dado o meu melhor no Cruzeiro.

Nunca estive tão bem em termos de cabeça, de reflexo, de clube, família.

As pessoas não deixam de reconhecer o meu rendimento.

Fico torcendo a cada convocação mas ela não vem.

Sinceramente, não sei o que fazer a não ser jogar e torcer.

Você acha que é melhor pedir a convocação pela imprensa ou se calar?

Tudo o que não quero é passar para o Mano a imagem de alguém prepotente que está exigindo jogar pela Seleção.

Se falar em toda entrevista que me sinto preparado para servir a Seleção posso me queimar.

Não sou de fazer lobby.

Tanto que dou pouquíssimas entrevistas.

Prefiro ficar focado no meu trabalho.

Agora também tem o outro lado.

Meus amigos e as pessoas que torcem por mim dizem que se eu ficar quieto vou parecer conformado.

Satisfeito com a situação.

Não quero forçar nada, mas também não estou conformado.

Sonho com a Seleção e acredito que estou fazendo por onde.

O que você acha do Victor, do Júlio César, da concorrência?

O nível dos goleiros brasileiros subiu muito.

Respeito demais o Victor, o Júlio César são excelentes jogadores.

Eu não tenho nada a falar mal de ninguém.

A Seleção está bem servida, mas vejo um espaço para que eu possa ajudar.

Atuo em um dos maiores clubes do País.

Ser goleiro do Cruzeiro exige muita responsabilidade e o trabalho está sendo bem feito.

Os prêmios, os elogios mostram um reconhecimento.

Por isso espero tanto pela Seleção.

Ganhar a Libertadores pelo Cruzeiro pode ajudar nesta briga?

Tomara porque sei que nosso time entrará forte demais na Libertadores.

O Brasileiro escapou por pura falta de sorte.

Em jogos decisivos aconteceram várias coisas que acabaram nos prejudicando.

Mas tínhamos potencial para ser campeão e não apenas vice.

Todos os jogadores do Cruzeiro sabem disso.

E na Libertadores faremos tudo para compensar algumas injustiças que aconteceram.

Quero muito dar o título para a nossa torcida porque ela merece.

Agora se vai valer para ser convocado pela Seleção eu não sei.

Continuo torcendo e esperando uma convocação.

Mas com todo o respeito que o nosso treinador merece.

Nunca vou falar uma palavra contra o Mano Menezes, sendo chamado ou não...

Afinal, você é o grande injustiçado da Seleção Brasileira?

Não vou falar isso, por exemplo.

De jeito nenhum.

O Mano Menezes sabe o que faz.

E o que é melhor para a Seleção.

Se um dia lembrar de mim, sabe que estarei esperando pronto para ajudar.

E se a convocação não vier nunca, mesmo você sendo o melhor do País?

(Muito sério) Vou torcer para quem estiver lá.

Não sou uma pessoa rancorosa.

Tenho obrigação com o meu clube, com o Cruzeiro, com a minha família, com meus amigos.

Continuarei a fazer o meu trabalho da melhor forma possível.

Nunca torcerei contra ninguém...

Veja mais:
+ Veja os destaques do dia
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/MTml