1reproducao13 Eu também fui ameaçado de morte, revela o presidente Gilvan. O caos domina o Cruzeiro
"É uma coisa que fugiu do comum do Cruzeiro. Nunca aconteceu isso na história do clube. Isso veio de fora, por alguém que nunca foi do Cruzeiro, que chegou agora, com método diferente de trabalhar, de fazer ameaça, de ameaça de morte, ameaçar o presidente se não obrigar o Bruno Vicintin tirar uma notícia de um blogueiro.

"Eu falei que não aceito ameaça. Disseram que o Itair mandou me dizer que se eu não obrigasse o Bruno (Vicintin) a tirar da mídia esses negócios do blogueiro, ele iria colocar coisas da minha diretoria e denegrir a minha imagem. Mas disse que ameaça eu não aceito. Posso não ter acertado tudo na minha administração, mas tenho certeza que nenhum presidente (de clube) do Brasil durante o período da minha gestão fez melhor do que eu.

"Recebi o Cruzeiro com só um jogador valorizado e consegui equilibrar o time para não correr risco de rebaixamento em 2012. Já em 2013 e 2014 ganhei dois Brasileiros seguidos, que é um fato histórico no futebol brasileiro. Praticamente durante cinco anos de gestão, porque em 2012 eu não tinha receita, time e nem elenco

"Quem está comandando a política do Cruzeiro (são os partidários do Itair). Eu não vou ficar dando nomes de pessoas que estão chefiando a campanha política dele. E ele tem esse método de trabalhar, até de fazer ameaça de morte. Nunca existiu isso no Cruzeiro. Ele vai responder por isso e nós vamos provar para o Conselho do clube, que sabe o presidente que tem.

219 1024x680 Eu também fui ameaçado de morte, revela o presidente Gilvan. O caos domina o Cruzeiro

"Eu nunca apoiei o Itair. Pelo contrário. Chamei atenção dele quando ele entrou na sala falando mal de dirigente do Cruzeiro. Segundo, chamei o nosso candidato (Wagner Pires de Sá) e fizemos dois encontros com pessoas das mais ilustres do Conselho do Cruzeiro, como o Pedro, do Supermercados BH, o Emílio Brandi e vários outros. Eles, preocupados com a presença do Itair no Cruzeiro, chamaram o nosso candidato e falam: ‘Olha, Wagner. O senhor está recebendo o apoio do Itair, que inclusive está custeando as suas despesas de campanha. O senhor vai colocar esse homem para tomar conta do futebol? Se for colocar, nós não vamos apoiar’.

"Ele deu a mão para cada um e disse que não iria colocar. O Itair já me disse que a esposa dele não o deixa mexer com futebol mais. Outros conselheiros que não participaram daquele encontro fizeram um almoço e chamaram o Wagner para que ele confirmasse isso e ele tornou a confirmar dizendo que o Itair não iria mexer com futebol na gestão dele. Dois dias depois da eleição, ele anunciou que o Itair iria chefiar o futebol do Cruzeiro.

"Chamei o Wagner, sentei com o Bruno Vicintin e perguntamos: ‘Você vai fazer isso?’ Ele disse que não e que iria conversar com o Itair. Então voltei a dizer para ele que eu e o Bruno só o apoiaríamos com esta condição. Mas o Wagner disse que não poderia ligar para o Itair porque ele estava nos Estados Unidos. Porém, na mesma tarde ele foi para um programa de rádio com o Itair e anunciou que o Itair era o condutor do futebol do Cruzeiro. Diante disso, me senti desobrigado de apoiá-lo, e o Bruno também. Criou-se uma animosidade do Itair contra o Bruno que surgiu até ameaça de morte e eu mesmo fui ameaçado.

5reproducaoem Eu também fui ameaçado de morte, revela o presidente Gilvan. O caos domina o Cruzeiro

"Eu não sei se está preparado ou não. Só sei que conheci o Itair como dirigente do Ipatinga e depois que ele saiu o clube estava disputando a Terceira Divisão do Campeonato Mineiro. Agora, o Cruzeiro é outra coisa, é outra história. E nunca houve na política do Cruzeiro uma história tão indecente como esta que está acontecendo”

(O futuro do Cruzeiro preocupa?) "Sim. E muito. Inclusive com o que falam que vai ganhar de luvas para assumir (a vice-presidência de futebol), o que eu nunca ouvi falar, um diretor de futebol ganhar luvas.

“Acho que o mandato dele (Wagner Pires de Sá) vai ser sempre questionado por isso (pelo convite ao Itair Machado para ser o homem forte do futebol do clube) e não sei como ele vai conduzir esse mandato."

Depoimento do presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, à radio Itatiaia.

530 Eu também fui ameaçado de morte, revela o presidente Gilvan. O caos domina o Cruzeiro

Ele confirma ter sido ameaçado de morte, como seu vice Bruno Vicintin. Ambos garantem que as ameaças partiram de Itair Machado, que será o executivo de futebol do Cruzeiro, a partir de 2018. Vicintin registrou a ameaça em Boletim de Ocorrência.

Pessoas ligadas à diretoria de Gilvan garantem que Itair receberá R$ 1 milhão de luvas e salários de R$ 200 mil.

E garantem que a escolha do ex-presidente do Ipatinga é do senador e ex-presidente Zezé Perrella.

Por outro lado, pessoas ligadas ao presidente eleito, Wagner Pires, garantem que as denúncias de ameaças de morte são desculpa. Para desviar o foco da auditoria a nova diretoria promete fazer sobre as contas do clube.

"Isso é um absurdo. Jamais iria procurar a polícia e relatar a ameaça de morte que sofri, se não fosse verdade. As contas do Cruzeiro podem ser investigadas, eu até quero que sejam. Uma coisa não tem nada a ver com outra. Recebi a ameaça de morte. A tornei pública porque uma questão de segurança. Uma pessoa dessas não tem condições de comandar o futebol de um clube grande como o Cruzeiro. As autoridades precisam agir", desabafa Bruno Vicintin.

O blog tentou falar com Itair, deixou recado, mas não houve resposta...
640 1024x576 Eu também fui ameaçado de morte, revela o presidente Gilvan. O caos domina o Cruzeiro

http://r7.com/Z4fa