gi2 Diego Souza e o desfecho que ele queria: ir para bem longe do Palmeiras...

Diego Souza não queria o Palmeiras desde o ano passado, quando ele conversou com dirigentes do Flamengo.

Como foi publicado neste blog e despertou a revolta de muitos palmeirensess, ele não se animou com a contratação de Felipão.

Poderia ter sido contratada Gisele Büdchen como treinadora, o meia exigia sua saída do clube.

Não perdoou as vaias, a perseguição da torcida e, principalmente, a falta de apoio da diretoria.

Sim, queria ser apoiado publicamente, apesar de ter mostrado o dedo médio aos torcedores palmeirenses em pleno Palestra Itália.

Diego Souza não se dobrou a apelos de dirigentes.

E colocou claro para quem teve a coragem de pagar R$ 10 milhões por ele: Palmeiras, de jeito nenhum!

Jota Hawilla, dono da Traffic, o corajoso a pagar tanto para o Benfica, não teve saída.

Depois de ter fracassado em 2009 e no primeiro semestre de 2010, nenhuma equipe do exterior se interessou por Diego.

Só equipes de dentro do Brasil.

A Traffic não gostou do assédio flamenguista, direto ao jogador.

No aniversário de dez anos da empresa, o presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil, pediu, insistiu, implorou.

Queria a prioridade por Diego Souza, se não houvesse proposta de fora.

Além disso, Vanderlei Luxemburgo, muito amigo de Hawilla, insistiu que seu time precisava do meia.

Isso quando o Atlético Mineiro nem estavava na zona do rebaixamento, como está.

A esperança de Hawilla era de que a contratação de Felipão mudasse o quadro.

Só que não mudou.

Pelo contrário, até.

Diego se mostrava até mais resistente.

Não queria nem conversar sobre o Palmeiras.

Com a decepção do início do Atlético Mineiro no Brasileiro, Kalil outra vez procurou Jota Hawilla.

E se mostrou a única saída viável.

O Corinthians quis o meia, mas a diretoria palmeirense implorou para que ele não fosse para o Parque São Jorge.

Para provocar, Andrés Sanchez conversou com Valdívia diante das câmeras, aqui na África do Sul.

Só para provocar.

A direção  do Atlético Mineiro tem o dinheiro do patrocinador, BMG.

E a negociação, anunciada por Kalil, ontem à noite, deve girar da seguinte forma: os mineiros comprando 50% dos direitos de Diego.

Ou seja: R$ 5 milhões.

O caso já está encerrado.

Diego Souza não terá de pedir desculpas à torcida palmeirense.

Os palavrões e o dedo médio que mostrou estão mantidos.

Vai buscar vida nova em Belo Horizonte.

Quem sabe começar a se identificar e respeitar uma torcida...

E Belluzzo e Felipão precisarão buscar alguém que tenha orgulho de vestir a camisa do Palmeiras...

Veja mais:

+ Acompanhe a cobertura da Copa no R7
+ Veja as principais notícias do dia

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/uoEO