divulgação1101 Depois de vender porcentagem de Neymar, Santos deve vender partes de Ganso. Bem barato. Igualzinho ao que fazia Marcelo Teixeira...
Quando Luis Álvaro articulava a sua candidatura para a presidência do Santos, ele gostava de tocar em um ponto.

Pegava em um dos vários calcanhares de Aquiles de Marcelo Teixeira.

Insistia que achava um absurdo o concorrente ter repassado partes dos direitos federativos dos jogadores.

Teixeira vendia a grupos econômicos.

Principalmente o de Delcir Sonda.

Foi assim com Robinho, por exemplo.

Luís Álvaro não concordava com a maneira fácil de ganhar dinheiro.

E repassar barato demais o patrimônio santista.

Pois bem, nada como estar no poder.

Querendo reforçar o time para de qualquer maneira tentar ganhar a Libertadores, a direção santista foi em um alvo importante.

Aproveitando a depressão e a reserva de Elano no futebol turco, foi fácil convencê-lo a voltar para a Vila Belmiro.
Mas como pagar os três milhões de euros, cerca de R$ 6,6 milhões ao Galatasaray?

O caixa do Santos está baixo.

As dívidas ultrapassam R$ 150 milhões...

Para não perder a oportunidade, Luís Álvaro seguiu o mal falado caminho de Marcelo Teixeira.

Vendeu partes dos direitos federativos de Neymar e Arouca.

E com grande desconto, principalmente, Neymar.

Os 5% ao grupo Guia, na verdade, conselheiros amigos do presidente, saíram por R$ 3,5 milhões.

Eles valem na verdade, R$ 5 milhões.

O lucro de R$ 1,5 milhão aos conselheiros tem a explicação que o Santos precisava do dinheiro no ato

Arouca teve 20% dos seus direitos federativos vendidos por R$ 1,7 milhão.

Conversando com pessoas ligadas a Luís Álvaro, a estratégia vai continuar.

Por isso ele conseguiu na justiça todos os 100% dos direitos federativos de Ganso.

Será parte deles que o Santos usará para pagar os próximo jogadores contratados.

O atual presidente se defende daquilo que prometeu nunca fazer.

A sua explicação é que o Conselho Deliberativo foi consultado e aprovou sua maneira heterodoxa de negociar.

Ele diz que Marcelo vendia e não consultava ninguém.

Mas não é o ato de consultar que está sendo julgado.

Mas o de vender, a preço baixo demais, os direitos federativos de estrelas santistas.

O dirigente que se dizia tão imaginativo, criativo, está usando uma estratégia tosca de arrumar dinheiro.

Esta vendendo barato um produto caríssimo.

De alto poder de revenda.

Triste estratégia e que não combina em nada com seu discurso modernoso...

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/2ViJ