Agencia Estado733 De processado, boicotado, ao maior cabo eleitoral para a eleição na Fifa. A enorme mudança de Pelé em relação a Ricardo Teixeira...

"Existe muita corrupção, infelizmente.

Já aconteceu de a CBF não aceitar uma proposta nossa melhor do que a que acabou aceitando por causa de conchavos com outros grupos.

Propostas menores acabam sendo aceitas, só para não tirar outros grupos."

Pelé estava irritado porque não conseguiu comprar os direitos de transmissão do Brasileiro no início da década de 90.

Ele tinha a empresa Pelé Sports & Marketing.

E deu essas declarações à revista Playboy, em 1993.

As acusações não deixavam dúvidas.

Foi processado por Ricardo Teixeira.

Ficou de fora dos sorteios da Copa do Mundo entre 1994 e 2002.

Quem presidia a Fifa?

João Havelange, então sogro de Ricardo Teixeira.

O boicote era tão forte, que Havelange enfrentava pressão até de presidentes de países que desejavam ter Pelé, o melhor jogador de futebol de todos os tempos.

Nessas Copas, jornalistas de outros países procuravam colegas brasileiros para entender o que acontecia.

O rompimento acabou graças a pessoas poderosas no futebol, como Jota Hawilla.

Em 2008, Pelé passou a integrar o Comitê da Fifa para a Copa de 2014.

Mas a relação sempre foi fria entre os dois.

Havia muito ressentimento, que  foi sumindo com a confirmação da Copa no Brasil.

E com o crescimento do poder de Teixeira na Fifa.

Ele seguiu todos os ensinamentos de Havelange.

Sua amizade com o atual presidente da Fifa, Joseph Blatter, é mais do que íntima.

Blatter fez o que Teixeira indicou em relação ao Morumbi.

Sem pestanejar aceitou a Arena Itaquera, sem projeto nem nada, como estádio da abertura da Copa do Mundo.

E ponto final.

Foi um troco de Teixeira em Juvenal Juvêncio.

Ficar contra o presidente da CBF com a próxima Copa marcada para o Brasil é se preparar para tempestade.

E é justamente o que o setentão Pelé não quer.

Ele passou a ser o maior cabo eleitoral de Teixeira à presidência da Fifa.

Seu apoio é total, irrestrito, absoluto.

Quando a campanha para 2015 começar, ele irá até o Afeganistão, China, onde precisar para buscar votos para Teixeira.

Blatter encerrará o seu quarto mandato e ficou empolgado ao saber que Pelé apoia o seu canditado à sucessão.

Pelé é o embaixador da Copa do Mundo no Brasil.

Cargo dado por Teixeira a ele.

"Ele já mostrou ser um ótimo administrador.

É preparado.

Como candidato será uma grande conquista para o futebol mundial", falou Pelé.

Mas o que aconteceu com a 'corrupção', com o 'conchavo' que denunciou em 1993?

Pelé diz que 'foi coisa da imprensa' e que tudo já passou.

É incrível o que os anos fazem com as convicções de certas pessoas.

Principalmente em relação ao que pensava Pelé da CBF Ricardo Teixeira.

17 anos transformaram o seu jeito de ver as coisas.

A mudança foi radical.

De acusador a cabo eleitoral à presidência da Fifa.

Milagres do futebol.

Isto é Pelé...

Veja mais:
+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/miGL