agenciaestado28 De candidato a melhor goleiro de 2009 a preso e condenado. Bruno mudou a maneira de o jogador brasileiro encarar as mulheres...
Rio de Janeiro

A condenação de quatro anos e meio de prisão de Bruno vai mexer ainda mais com o futebol brasileiro.

Só o fato dele estar na cadeia desde que Eliza Samudio desapareceu já havia mudado o comportamento de muitos atletas e clubes.

Jogadores começaram a repensar a maneira de agir.

Principalmente com as inúmeras mulheres que o assediam.

Passaram a pensar melhor nas conseqüências.

Empresários usam o caso de Bruno como exemplo para mostrar o quanto a vida de todos podem mudar.

De uma hora para outra.

Em dezembro do ano passado, Bruno estava concorrendo a melhor goleiro do Brasileiro.

Havia sido campeão nacional com o Flamengo.

Estava sendo sondado pelo futebol europeu.

Parecia e agia como se pudesse tudo.

Seus desentendimentos com Eliza já eram públicos.

Inúmeras pessoas na Gávea o aconselharam a se afastar dela.

Mas ele não ouviu.

E todos sabem da truncada história, do desaparecimento da mulher.

Bruno foi condenado por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal.

Seu contrato foi rescindido com o Flamengo.

O advogado afastado por estar viciado em crack.

O goleiro tem telefonado desesperado para jogadores pedindo dinheiro emprestado.

Tudo isso é passado para os garotos dos juniores dos grandes times do Brasil.

Bruno está sendo usado como exemplo de como a carreira, a vida de um jogador pode acabar.

A sua condenação acaba com a síndrome de inatingível que acomete a grande maioria dos atletas.

Até mesmo os mais rodados, acostumados às 'festinhas' de domingo à noite e segunda-feira à tarde, estão

tensos, preocupados.

O assédio das 'Maria Chuteiras' não é mais tão garantido quanto antes.

A relação doentia de Bruno e Eliza é assunto obrigatório nos clubes.

Os seguranças estão orientados a não permitir a aproximação de mulheres como acontecia.

Os dirigentes acordaram.

As histórias das tentativas de suicídio de Bruno deixaram o quadro ainda mais desolador.

A condenação de quatro anos e meio de prisão, sem o direito de recorrer em liberdade promete ser devastadora.

Nenhum jogador do País se sente à vontade ao falar nele.

Nenhum.

Ele virou sinônimo de tudo o que um atleta não deseja para o seu futuro.

No ano passado, ele concorreu ao melhor goleiro do Brasileiro...

E hoje está preso, condenado...

Não custa nada repetir...

Veja mais:
+ Veja os destaques do dia
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/BbqT