gettyimages0022 DAlessandro...Você não é mais importante do que o Internacional. Lembre se disso ao tomar o primeiro pontapé amanhã dos africanos...
D' Alessandro.

Argentino que pode dar o título de bicampeão mundial ao Internacional.

Ou ser o pivô de uma desclassificação histórica.

Celso Roth é prático e metódico quanto um jogador de xadrez russo.

Principalmente nas entrevistas coletivas.

Ele usa os jornalistas para mandar recados que, dados cara a cara, poderiam desestabilizar o time.

E 'morrer' com o jogador.

Roth sabe que vive a redenção da carreira.

Depois de tanto perder, ele começou a ganhar.

E gostou.

Vencer a Libertadores o remoçou pelo menos dez anos.

A carranca foi embora.

Já é capaz de sorrir, conversar com os jornalistas e com os jogadores.

Sem grunir para ninguém, como fazia na fase perdedora.

Em Abu Dhabi, ele sabe que tem a chance da sua vida.

A principal rival para o título mundial, a Inter de Milão vive uma rara crise técnica.

Rafa Benites não se entende com seus jogadores.

Eles se sentem órfãos, abandonados por José Mourinho.

A convivência é ruim.

Os resultados, também.

Não é nada impossível o Internacional vencer a poderosa homônima e chegar ao bicampeonato mundial.

E deixar os tricolores gremistas roendo os ossos dos dedos de inveja.

Não há preço se isso acontecer.

Mas o meticuloso Roth sabe que existe um obstáculo antes da final.

A semifinal de amanhã contra os africanos do Mazambe.

O Internacional é mais do que favorito.

Assim como era o Pachuca, que acabou derrotado pelos esforçados jogadores do Congo.

Os africanos mostraram contra os mexicanos um poder de marcação irritante.

Dá raiva em quem assistiu ao jogo.

Imagine para quem é irritadiço por natureza.

Por quem quis agredir a babá por ter dado leite mais quente do que o ideal.

Isso aos três anos...

Assim é D'Alessandro, o meia enxaqueca.

Talentoso, mas com os nervos a flor da pele.

Celso Roth já perdeu a conta de quantas vezes já conversou com o jogador.

Ainda mais agora que ele está sendo convocado para a Seleção Argentina.

E tem toda a possibilidade de ser vendido para um grande clube europeu após o Mundial.

Mas, matreiro, Roth não ficou satisfeito.

E procurou a imprensa internacional para mandar o recado definitivo para o argentino.

Se pudesse falar em português claro seria: "Não nos sabote, por favor".

Roth só vê uma maneira de o Internacional proporcionar uma enorme decepção.

D'Alessandro perder a paciência e ser expulso.

Um mero revide a um pontapé e acabou...

Sem ele, o time gaúcho não conta mais com o diferente.

Com o talento, com o improviso.

Assim, depois da terapia interna, terapia via imprensa.

O recado já chegou a D'Alessandro.

Tomara que ele tenha se conscientizado.

Para provar que merece um clube muito maior do que o Wofsburg, Portmouth e Zaragoza, o argentino tem de domar seus nervos amanhã.

Mostrar a ele mesmo que tem talento e cabeça para atuar em uma equipe realmente forte européia.

A chance, os holofotes estarão apontados para ele.

Assim como os olhos determinados dos volantes e zagueiros africanos.

Será a verdadeira prova de fogo para o enfezado D'Alessandro, de quem o Inter tanto depende.

Roth foi inteligente, mandou o recado.

Tomara que o meia argentino tenha entendido.

Domingo, qualquer Gabiru pode decidir.

Mas o jogo-chave é o de amanhã...

D'Alessandro não pode nem pensar em ser o garoto mimado que reclama de tudo e de todos.

E não se julgar mais importante que a gloriosa camisa colorada...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/whXY