Cuca pode começar a se arrepiar. Alexandre Kalil, empolgado, já revela articular para a final da Libertadores ser no Independência. E já avisa que, nas oitavas, o ingresso ficará ainda mais caro. Para o dirigente pagar entre R$ 40,00 e R$ 600,00 é muito barato para o atleticano…

reuters1 Cuca pode começar a se arrepiar. Alexandre Kalil, empolgado, já revela articular para a final da Libertadores ser no Independência. E já avisa que, nas oitavas, o ingresso ficará ainda mais caro. Para o dirigente pagar entre R$ 40,00 e R$ 600,00 é muito barato para o atleticano...
Empolgação tem preço.

Não faz nada bem no futebol.

É preciso serenidade nas derrotas.

Muitas vezes, ainda mais nas vitórias.

A campanha do Atlético Mineiro na Liberadores é empolgante.

A melhor entre todos os 32 clubes da Libertadores.

São quatro jogos, quatro vitórias.

Elas são representativas.

Tanto fez Belo Horizonte, Argentina, Bolívia.

O time se impôs diante da cobrança de sua torcida.

Envergonhou os torcedores do Arsenal, goleando em Sarandi.

E se superou no ar rarefeito de La Paz, vencendo o The Strongest.

A equipe de Cuca já está sendo cantada em verso e prosa.

O treinador faz o possível para seus jogadores não se empolgarem.

Embora rodados, Ronaldinho, Tardelli, Jô, Victor estão confiantes.

Percebem que o time encaixou e descobriu sua maneira de disputar a Libertadores.

Com um futebol solidário, com os setores agrupados, em bloco.

São pelo menos nove jogadores atrás da linha da bola quando é atacado.

E a velocidade nos contragolpes leva pelo menos três jogadores como opção para quem tem a bola.

As vitórias seguidas vão mostrando que há espaço para o sonho.

O desejo do título inédito na sua história.

Uma coisa bem diferente é ter o sonho.

Acalentá-lo entre os seus.

Outra é expor, avisar como ele será.

Esse costuma ser um erro fatal.

Porque, caso não se concretize, a cobrança virá.

Forte, pesada.

No caso da Libertadores, pior ainda.

É esta falta de visão que atingiu em cheio Alexandre Kalil.

O presidente do Atlético Mineiro está desesperado pelo título.

Tem ao seu lado em Belo Horizonte um vizinho incômodo.

O Cruzeiro com suas duas Libertadores.

E o novo Mineirão remodelado, como palco, com capacidade para 62 mil pessoas.

Kalil mantém um time que vale pelo menos o dobro do que o rival.

A folha salarial já ultrapassa R$ 6,5 milhões.

O dirigente quer fazer matar duas raposas com uma cajadada.

Ganhar a Libertadores e ter um lucro inédito, usando a empolgação de seus torcedores.

Transformar 23 mil lugares em 62 mil.

O truque é uma saída bem desagradável.

E usado pelo Corinthians desde que trocou de vez o Pacaembu pelo Morumbi.

Aumentar ao máximo o preço dos ingressos.

Ou seja, fazer com que cada torcedor pague por três, por quatro atleticanos.

De uma maneira discreta, o clube já cobra caro para quem vai à Libertadores.

Os preços vão de R$ 40,00 a R$ 600,00.

Com a classificação antecipada às oitavas, veio a novidade.

Os ingressos vão aumentar.

siteatleticomineiro Cuca pode começar a se arrepiar. Alexandre Kalil, empolgado, já revela articular para a final da Libertadores ser no Independência. E já avisa que, nas oitavas, o ingresso ficará ainda mais caro. Para o dirigente pagar entre R$ 40,00 e R$ 600,00 é muito barato para o atleticano...

O presidente quer muito mais do que arrecadou nos primeiros jogos da competição.

Contra São Paulo e The Strongest, foi em média, pouco mais de R$ 950 mil.

O que já é interessante, porque o público pagante foi de 18 mil torcedores.

A meta é atingir pelo menos R$ 1,2 milhão.

Kalil deixa escapar algo que não deveria.

Que seu departamento jurídico já estuda algo que deveria ser secreto.

Uma maneira de levar a final da Libertadores para o Independência.

Mesmo com a Conmebol avisando que só estádios com mais de 40 mil acolhem a decisão do torneio.

Uma meia verdade.

Já que o Santos decidiu em 2011 no Pacaembu contra o Peñarol.

Foram 37.984 santistas.

E uma renda de R$ 4.266.670,00.

E o Corinthians em 2012, diante do Boca Juniors.

Com 40.186 presentes e 37.959 pagantes.

Arrecadação de R$ 2.580.912,00.

Números que mexem com o coração do dirigente atleticano.

Ele deseja uma façanha.

Virar as costas com gosto para o novo Mineirão.

Principalmente para a nova administração do estádio.

No programa Alterosa no Ataque declarou sem meias palavras.

Sobre a pressão de levar o Atlético para o Mineirão na fase decisiva da Libertadores.

"Eu não ligo para pressão.

Não é Minas Arena, empresa de fora que fará pressão.

Eu não sofro pressão nem do governo, imagina de empresa de fora.

Se ela quiser sentar com bons modos financeiramente, o dobro do que está no contrato, não me interessa.

Eu não vou arcar com 70% de despesas no ar-condicionado de camarote que eu tenho zero.

Não sou retardado mental."

Toda essa conversa antecipada até sobre decisão de Libertadores é prematura.

Ainda mais para Cuca, um treinador traumatizado.

Basta se lembrar de 2011.

Ele fez uma campanha sensacional na primeira fase da competição.

Foi o melhor entre todos os times.

Era o treinador do Cruzeiro.

A empolgação da diretoria e da torcida era enorme.

Chegou logo primeiro mata-mata, contra o Once Caldas.

E o time foi eliminado.

Por isso, é preciso bom senso.

Sangrar os próprios torcedores já virou moda no Brasil.

Mas falar em final de Libertadores depois de quatro jogos é demais.

Até mesmo para Alexandre Kalil.

Pressão desnecessária sobre um time que está empolgante...

siteatleticomineiro2 Cuca pode começar a se arrepiar. Alexandre Kalil, empolgado, já revela articular para a final da Libertadores ser no Independência. E já avisa que, nas oitavas, o ingresso ficará ainda mais caro. Para o dirigente pagar entre R$ 40,00 e R$ 600,00 é muito barato para o atleticano...

91 Comentários

"Cuca pode começar a se arrepiar. Alexandre Kalil, empolgado, já revela articular para a final da Libertadores ser no Independência. E já avisa que, nas oitavas, o ingresso ficará ainda mais caro. Para o dirigente pagar entre R$ 40,00 e R$ 600,00 é muito barato para o atleticano…"

14 de March de 2013 às 09:48 - Postado por Cosme Rímoli

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • humberto
    - 19 de março de 2013 - 22:21

    Eu não sei se o galo vai ganhar, ser eliminado, afinal ninguém tem certeza de nada. Agora me respondam uma coisa: que torcida no Brasil não estaria empolgada e orgulhosa do seu time, se ele estivesse vivendo o mesmo momento do galo? Se algum título de expressão vier, ótimo, senão, paciência, vamos continuar, empolgados, orgulhosos e acima de tudo amando o galo, independentemente da opinião de quem quer que seja. Porque nós não somos atleticanos de coração, e sim de alma, pois o coração um dia morre, mas a alma é eterna.

    Responder
  • Marcos Almeida
    - 18 de março de 2013 - 06:52

    O Galo segue imbatível no Independência; nem o América que é o dono de fato do estádio escapa de perder pro Atlético. O Atlético tem time pra desencalhar e ganhar até dois títulos importantes nesse ano- caso ganhe a Libertadores seria um sério candidato ao título mundial, título esse que o Cruzeiro não tem. Pena que o Galo lembra a seleção holandesa: dá um show de bola nos primeiros jogos mas na hora da decisão se borra de medo...

    Responder
  • Franklim Alves
    - 17 de março de 2013 - 23:40

    Deixa ele Cosme, ele falar isso só vai tornar a eliminação mais divertida! Daqui a pouco a torcida leva faixa de campeão pro estádio, que nem ano passado, huahauhauahuahuahauhauahaa

    Responder
  • Marcelo
    - 17 de março de 2013 - 11:25

    Parabéns pelo texto, Cosme! Concordo inteiramente com suas palavras! Naturalmente o clube precisa trabalhar nos bastidores para fazer o que for melhor caso chegue a uma final, mas discutir publicamente este tipo de assunto tão prematuramente (primeira fase do torneio) não nos ajuda em absolutamente nada! Abraços

    Responder
  • André
    - 16 de março de 2013 - 00:44

    O melhor de tudo é a tal articulação pra levar final da Libertadores pro Independência. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk! Essa é boa... um time que não tem expressão nacional, quanto mais internacional, vai ter influência na Conmebol pra conseguir uma decisão dessa? hahahaha!

    Responder
  • Rudgeri
    - 15 de março de 2013 - 22:57

    Respeito o Galo pois eh um time como o meu Azulao, as vezes medio, as vezes pequeno, nunca eh grande de fato mas beleza, NAO DESISTE NUNCA! isto que eh importante. E pensar que o ultimo titulo dos caras foi em 1971...Virgem maria, misericordia, ate meu filho QUE NASCEU EM 1990 viu o Azulao assombrar o Brasil e a America...

    Responder
  • José Luiz de Carvalho
    - 15 de março de 2013 - 15:52

    Vindo de Kalil, nada surpreendente. Uma figura grotesca, folclórica,mas principalmente, muito mal educado.Sempre viveu de profecias furadas. Não dá uma dentro. Vamos ver onde o falastrão vai parar.

    Responder
  • Mauro
    - 15 de março de 2013 - 12:36

    Aqui em Minas já estamos acostumados com essa "turma do foguete molhado" que é a torcida do Patético. Em 2005, no ano em que caíram prá segunda divisão, a campanha deles começou com uma 'arrasadora' vitória sobre o Figueirense no Mineirão por 4x1 e recebi vários e-mails de amigos atleticanos com a tabela do Brasileirão e dizendo que se o campeonato acabasse naquele dia o galo seria campeão, ou seja, foram os campeões brasileiros da primeira rodada. Depois deu no que deu: segundona à vista. Ano passado eles ganharam meia estrela amarela por terem sido os campeões brasileiros do primeiro turno. Se fosse campeonato argentino, tudo bem, poderiam comemorar à vontade. Agora já se proclamaram campeões da 1ª fase da Libertadores. O bom é que é sempre assim, quanto maior a empolgação, maior o tombo.

    Responder
  • Mauro
    - 15 de março de 2013 - 11:35

    Puxa vida!!! O Patético já está na final e ninguém me contou???

    Responder
  • Cristiano R.
    - 15 de março de 2013 - 11:06

    Não vi nada de mais, alias todo time tem pretenção em chegar as finais, ou não?

    Responder
1 2 3 4 5