Corinthians busca aliados poderosos para guerra nos bastidores. Os alvos: a liberação de R$ 820 milhões para o Itaquerão. E o confronto na Justiça, que travou de vez o patrocínio de R$ 31 milhões da Caixa Econômica à camisa do time…

gazeta2 Corinthians busca aliados poderosos para guerra nos bastidores. Os alvos: a liberação de R$ 820 milhões para o Itaquerão. E o confronto na Justiça, que travou de vez o patrocínio de R$ 31 milhões da Caixa Econômica à camisa do time...
O prestígio de campeão do mundo não tem valido.

Pelo menos para a Justiça brasileira e ao BNDES.

O Corinthians sofreu uma derrota sem precedentes ontem.

A diretoria tinha certeza que a Justiça acataria recurso da Caixa.

E a estatal voltaria a pagar os R$ 31 milhões anuais de patrocínio da camisa.

Sim, são 31 milhões e não R$ 30 milhões como eram divulgados no Parque São Jorge.

O recurso foi travado desde que o advogado Antônio Beiriz entrou com uma ação popular.

Ele pediu o fim do pagamento, já que a Caixa é uma estatal.

E estaria indo até contra a Constituição para ajudar o Corinthians.

O advogado foi além.

A Caixa é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Fazenda.

E estaria gastando com publicidade inócua e destituída de caráter informativo.

A decisão estaria em desacordo com o art. 37 da Constituição Federal.

O artigo determina princípios e regras norteadoras das escolhas do gestor público.

Ou seja, a Caixa Econômica Federal não precisa fazer publicidade.

Muito menos privilegiar um clube.

A tese foi acatada pelo juiz Altair Antonio Gregório.

Ele é da 6ª Vara do Tribunal Regional Federal do Rio Grande do Sul.

Gregório determinou a suspensão do pagamento do patrocínio.

A liminar travou o dinheiro no dia 28 de fevereiro.

Foi um golpe no departamento jurídico da Caixa.

E na diretoria corintiana.

A decisão foi, mesmo sem dinheiro, manter o time jogando com o logotipo da Caixa.

O departamento jurídico da estatal resolveu agir.

E de maneira fulminante entrou com um recurso para liberar o pagamento ao clube.

Ele foi julgado ontem.

Nova derrota da Caixa e do Corinthians.

O desembargador federal Cândido Alfredo Silva Leal Júnior foi firme.

E até irônico na decisão.

Ele entendeu que outros clubes que não têm "tão generoso” patrocínio acabarão prejudicados.

Pelo desequilíbrio que provoca a intervenção da empresa pública federal no mercado de publicidade futebolística.

"Já que os R$ 31 milhões irrigarão apenas os cofres do Corinthians, e não alcançarão os demais times."

Sua análise foi mais profunda.

"Existiam outros meios menos arriscados de patrocínio esportivo pela Caixa que não afrontassem tanto o princípio da impessoalidade, como prometer R$ 31 milhões apenas para o clube de futebol profissional mais rico do Brasil."

Ou seja, ele entendeu que ou a Caixa paga a todos os clubes ou a nenhum.

Principalmente o Corinthians, que no seu entender é o mais rico do Brasil.

A decisão do desembargador confirma a proibição do dinheiro continuar a ser pago ao Corinthians.

Ainda haverá o julgamento do mérito pela 4ª Turma da Corte.

Mas sem previsão quando acontecerá.

É possível que levem semanas ou até meses.

Tanto a Caixa como o Corinthians esperavam derrubar a ação popular ontem.

A decisão do presidente Mario Gobbi é esperar.

E manter o time jogando com o mesmo uniforme.

ae24 Corinthians busca aliados poderosos para guerra nos bastidores. Os alvos: a liberação de R$ 820 milhões para o Itaquerão. E o confronto na Justiça, que travou de vez o patrocínio de R$ 31 milhões da Caixa Econômica à camisa do time...

Como se nada estivesse acontecendo.

Quanto ao problema com o BNDES, também é grave.

A pressão é da Odebrecht.

Ela aceitou construir o Itaquerão para o Corinthians.

Sabia que a Prefeitura de São Paulo ofereceria R$ 420 milhões em incentivos fiscais.

Mais o BNDES emprestaria R$ 400 milhões ao Corinthians.

O custo do estádio chegaria a R$ 820 milhões.

Não contabilizados gastos de acabamento.

Somados, fazem do Itaquerão um estádio de um bilhão de reais.

Mas para a Odebrecht interessam os R$ 820 milhões.

Com a certeza que o dinheiro viria, a construtora fez empréstimos para começar a obra.

Pegou R$ 150 milhões do Banco do Brasil.

E mais R$ 100 milhões do Santander.

As obras foram iniciadas a todo vapor.

Com três turnos de trabalho.

A Fifa foi avisada que não poderia contar com São Paulo para a Copa das Confederações.

O Itaquerão ficaria só para a Copa do Mundo, em 2014.

O estádio já está cerca de 60% concluído.

Só que o dinheiro do BNDES e da prefeitura não chegou.

ae53 Corinthians busca aliados poderosos para guerra nos bastidores. Os alvos: a liberação de R$ 820 milhões para o Itaquerão. E o confronto na Justiça, que travou de vez o patrocínio de R$ 31 milhões da Caixa Econômica à camisa do time...

O Corinthians com problemas fiscais e dívidas não conseguiu os R$ 400 milhões do BNDES.

O banco não aceitou as garantias de pagamento oferecidas pelo clube.

Há um impasse que dura cerca de um ano.

A situação está mesmo complicada.

A Odebrecht não quer tomar mais esses R$ 400 milhões emprestados em seu nome.

Não foi o combinado.

O ex-presidente Andrés Sanches foi à TV Gazeta avisar que as obras podem parar.

Deu um prazo de um mês para o BNDES liberar o dinheiro ao Corinthians.

Foi uma maneira de pressionar, jogar a opinião pública contra o banco.

Se as obras realmente pararem, podem comprometer a entrega do estádio no prazo.

Seria um vexame gigantesco a sede da abertura da Copa ser transferida para o Rio.

Um desgaste para o governo estadual e a prefeitura.

É esta a aposta de Andrés.

Que Geraldo Alckmin e Fernando Haddad se juntem.

PSDB e PT pressionando o BNDES em nome do Itaquerão.

O Corinthians já está perdendo.

Os juros dos empréstimos da Odebrecht para o Itaquerão serão pagos pelo clube.

Esse é o acordo.

Os R$ 420 milhões de CIDs (Comprovante de Incentivo ao Desenvolvimento) da Prefeitura também estão travados.

A nova administração da prefeitura de São Paulo vai parcelá-los.

Não irá liberá-los de uma vez, como queria a Odebrecht.

Primeiro chegarão R$ 100 milhões, provavelmente, neste mês.

Mas não há certeza.

O restante será dado em parcelas, mas sem prazo determinado.

A cúpula corintiana está tensa.

Logo após divulgar com orgulho a receita de R$ 330 milhões no balanço de 2012...

Não esperava esses golpes.

A Justiça travar o patrocínio da Caixa Econômica Federal.

E a exigência de garantias do BNDES persistir até agora, março de 2013.

Por isso começou a reagir.

Vai usar tudo o que tiver nas mãos.

Principalmente seus aliados mais poderosos.

E a pressão da opinião pública.

Ou seja, toda a sua força política nos bastidores.

Que não é pouca.

A guerra por dinheiro já começou...

Por falar em dinheiro, um leitor foi solícito.

Acaba de me passar trecho de entrevista de Andrés Sanchez.

Em agosto de 2010.

Falava animado sobre o Itaquerão.

Não vou nem comentar.

"No plano que eu tenho, não vai ter dinheiro público.

Apesar da hipocrisia neste País.

Tem muita gente em Itaquera que não frequenta o Parque do Ibirapuera ou da Aclimação.

E quem coloca dinheiro (nesses parques) é o poder público.

Tem de acabar com essa história.

De que estádio não pode ser feito assim, se a maioria da população pode usá-lo.

Se puder evitar o uso de dinheiro público, melhor.

E o do Corinthians não vai ter."

Garantiu ao Estado de S. Paulo.

Três anos depois...)

ae91 Corinthians busca aliados poderosos para guerra nos bastidores. Os alvos: a liberação de R$ 820 milhões para o Itaquerão. E o confronto na Justiça, que travou de vez o patrocínio de R$ 31 milhões da Caixa Econômica à camisa do time...

127 Comentários

"Corinthians busca aliados poderosos para guerra nos bastidores. Os alvos: a liberação de R$ 820 milhões para o Itaquerão. E o confronto na Justiça, que travou de vez o patrocínio de R$ 31 milhões da Caixa Econômica à camisa do time…"

12 de March de 2013 às 10:20 - Postado por Cosme Rímoli

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Luiz Paulo
    - 12 de março de 2013 - 10:26

    "Oscar" do esporte no Rio esquece Corinthians e remete pouco ao Brasil O primeiro Prêmio Laureus realizado no Brasil ganhou poucos ares de sua nova casa. A cerimônia realizada no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira, teve menções à cultura verde-amarela, com algumas trilhas sonoras, mas o único momento em que se falou português foi no discurso do paratleta Daniel Dias. Logo no início da festa a organização do “Oscar” do esporte ignorou o campeão mundial Corinthians em seu vídeo de resumo da temporada 2012. SMALL SEMPRE SMALL...TIMINHO MINUSCULO!

  • Paulo
    - 12 de março de 2013 - 10:35

    Não se preocupem, o emrpréstimo do BNDES virá; eu sei que tem gente rezando para isso não acontecer (mesmo caso da caixa), mas eles virão.

  • Mauricio
    - 12 de março de 2013 - 10:37

    O Corinthians vai sair dessa. Eles conseguem tudo. Não sei como, mas vão conseguir. Como vc mesmo disse, a força do Timão nos bastidores é muito grande.

  • Rafael M.
    - 12 de março de 2013 - 10:37

    A única certeza é que acaba em pizza.

  • Flavio_SPFC
    - 12 de março de 2013 - 10:45

    Esse é o time mais rico do Brasil? Não tem estadio e nem dinheiro para construir? PESSIMA ORGANIZAÇÂO. CONTA COM O OVO ANTES DE A GALINHA BOTAR. MORUMBI A VISTA... Como é vergonhoso ver o TIME EUROPEU de ITAQUERA, IMPLORANDO POR DINHEIRO. PARABENS... TIRE DINHEIRO PUBLICO MESMO... PAIS DA VERGONHA!!!!

  • maninho
    - 12 de março de 2013 - 10:45

    LIMINARES E AVISOS ...PUTS ... QUANTO ALARDE PARA FUNDAMENTOS DESCABIDOS... ENQUANTO A CARAVANA PASSA OS CÃES LATEM...

  • Iron Junior
    - 12 de março de 2013 - 10:48

    olá Cosme; Acho que na verdade há um grande complô contra o Corinthians! Esse advogado gremista só entrou na justiça por esta com medo do grêmio enfrentar o Corinthians e perder ai fica tentando bagunçar o que estava quieto, acho que deveria se preocupar com outras coisas mais importantes já que a caixa econômica também patrocina outros clubes no futebol brasileiro, Agora vem cá Cosme, porque só o Corinthians? Acho que tem treta nesse negocio aí viu! Agora falando do estádio eu vejo o seguinte, sei que minha opinião não vale muito, mais acredito que o melhor para o Corinthians teria sido a compra ou arrendamento do Pacaembu, reformaria ele e usaria por muitos anos, cara seria muito melhor gastaria menos dinheiro e não teria essa polemica toda. Gostaria de saber sua opinião sobre.

  • João
    - 12 de março de 2013 - 10:51

    Esse instinto de vira-lata ainda vai nos matar. Até entendo que temos um passado colonialista, somos filhos bastardos de uma união imposta pela violência, mas... quando aprenderemos a utilizar o sucesso alheio para crescer ao invés de ficar apenas praguejando contra quem o alcança? O Corinthians tem hoje a maior previsão de arrecadação do futebol brasileiro, são quase R$ 330 milhões. O que isso gera? Ações pautadas num clubismo indisfarçado, dor de cotovelo, argumentos pseudo-moralizantes. Quando aprenderemos a conviver de maneira mais digna em relação ao sucesso alheio? O sucesso do Corinthians, pelo visto, incomoda demais! Não tem jeito, em se tratando de Brasil, a inveja é mesmo uma M...

  • Indignação
    - 12 de março de 2013 - 10:54

    Palmas para o LULLA....nem todos são bobos e otários..

  • Thiago
    - 12 de março de 2013 - 10:58

    Muito boa a iniciativa dessa ação popular, parabéns ao autor, esse patrocínio da Caixa é um estupro jurídico, rasgaram a Constituição Federal, o Corinthians com seus padrinhos políticos tem utilizado a máquina pública em seu benefício!! É um absurdo!!

1 2 3 4 5
6234