noite de autógrafos Como trocar o Atlético Mineiro pelo Mirassol. Em uma lição...Tudo começou depois da vitória do Barueri contra o Flamengo.

O futebol empolgante nos 2 a 0 tinha explicação que passava do puro futebol.

Ao lado de Val Baiano, Renê confirmou que havia chegado ao clube paulista uma proposta.

Um time interessado na derrota dos cariocas daria dinheiro aos jogadores do Barueri.

A famosa mala branca.

Os dois jogadores do Barueri foram afastados pela diretoria.

Ficou claro que Renê não continuaria no clube.

Não havia mais ambiente.

Foi quando ele assinou um pré-contrato com a Portuguesa.

Só que Vanderlei Luxemburgo foi para o Atlético Mineiro e admirador do futebol do ótimo goleiro o convidou para ir jogar em Minas Gerais.

A negociação foi anunciada por todos os veículos de comunicação, sem notícias no final de ano.

Só que a diretoria da Portuguesa resolveu agir.

E anunciou que tinha um pré-contrato assinado com Renê.

A diretoria do Atlético Mineiro e principalmente Luxemburgo quiseram saber se era verdade.

Renê ainda ameaçou desmentir a história.

Ao mesmo tempo tempo chegou ao Canindé o pedido para que o acordo fosse desconsiderado.

Os dirigentes se sentiam traídos, mas aceitavam desfazer a transação.

Desde que René fosse pessoalmente ao clube.

Ele foi e a diretoria fez questão que a assinatura do destrato fosse fotografada.

E as fotos foram parar nos quatro cantos do País.

Ao mesmo tempo, Luxemburgo irritado e desiludido cancelava o convite para o Atlético Mineiro.

Clube algum gosta de jogador que esquece ter assinado um pré-contrato com outra equipe.

Os dirigentes da Portuguesa também não o queriam nem pintado de ouro.

A saída foi aceitar jogar no Mirassol.

Renê, aos 32 anos, vai tentar se destacar no Paulista e chamar a atenção de outro clube grande.

Fica só o conselho: se isso acontecer, que ele pense muito bem antes de assinar qualquer pré-contrato.

E, principalmente, não se esqueça que o assinou...

http://r7.com/vfMl