Um casal discutindo batata fritas?

Essa foi a metáfora engraçadinha que o presidente Luís Álvaro escolheu.

E explicou com ela a briga entre Robinho e Wesley, que mudou o ambiente no Santos.

A briga apagou o brilho da apresentação de Keirrison.

A impressão de quem vive o dia-a-dia da Vila Belmiro é que Dorival Júnior está perto, bem perto de perder o comando do grupo.

Paulo Henrique Ganso, André, Madson e Neymar já foram afastados por chegarem na concentração de madrugada.

Dorival jurou que nada parecido aconteceria.

Agora Robinho e Wesley brigam antes da partida contra o Fluminense.

Celular e retrovisor de carros arrebentados.

Situação parecida com a de um colégio interno.

Sem bedel.

O time perde em casa para o adversário carioca.

A confusão vaza.

O técnico toma a pior atitude possível: não quer falar sobre o assunto.

A postura do comandante não deve ser esta.

Ainda mais no Santos.

Com a saída de Fábio Costa, havia a impressão que as confusões acabariam.

Só que não foi bem assim.

Apenas mudaram.

Em vez de vale tudo, com direito a tentativa de tesouradas, meninos trocando tapas, chegando atrasados, quebrando o retrovisor de carro.

O Santos é mais do que favorito na decisão da Copa do Brasil contra o Vitória.

Os dois jogos valem a classificação para a Libertadores de 2011.

Não é hora para tanta bobagem acontecer.

Culpar Robinho é uma tentação.

Mas basta lembrar que na Seleção de Dunga ele foi garoto comportado, de cabelo cortado e barba feita e que ia dormir cedo com o restante do grupo.

O problema é o ambiente permissivo que domina a Vila Belmiro.

Alguém precisa parar de passar a mão na cabeça desse jogadores.

Ou comparar essas confusões com um casal comendo batata fritas...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/lCXx