Carille calou o Morumbi. Seu Corinthians fez o que todos esperavam. Defendeu com competência e venceu o clássico nos contragolpes. 2 a 0. Rogério Ceni foi derrotado. Torcida do São Paulo perde a paciência. E chama o time de sem vergonha...
Foi o enredo que todos esperavam. A marcação, a consistência do Corinthians contra a força do São Paulo no ataque e sua fragilidade no sistema defensivo. Era mais do que evidente que Fábio Carille colocaria seu time para contragolpear. Teve 'escola'. Aprendeu com Tite. E seguiu o velho 4-1-4-1. Travando as intermediárias. Rompendo as artérias principais que articulam os ataques são paulinos.

Rogério Ceni sabia que essa seria a proposta de jogo do rival. Comprou a briga. Escalou seu time mais vibrante do meio para a frente. Inclusive com Cueva que vinha de estiramento na coxa direita. Mas a preocupação corintiana era com outro jogador tricolor. Luiz Araújo. E ele foi completamente anulado. O meia peruano, fora de ritmo, pouco produziu. Sua escalação foi um erro.

Ceni buscou Wellington Nem no meio. Mas só ficou 18 minutos em campo, quando sofreu uma lesão. Cícero entrou no seu lugar.

O São Paulo teve mais posse de bola, porém pouco concluiu.

Pela marcação fortíssima corintiana.

Rodriguinho foi o grande jogador da partida.

Deu o excelente passe para Jô marcar o primeiro gol.

E marcou o segundo.

Além dos gols, o Corinthians conseguiu ditar o ritmo lento do clássico.

Não permitiu a correria que o São Paulo tanto queria.

Ou seja, Ceni perdeu o combate para Carille.

O técnico iniciante não conseguiu uma solução tática para o impasse. E, em pleno Morumbi, diante de toda torcida são paulina, o Corinthians venceu o primeiro confronto pela semifinal por 2 a 0. Gols, de Jô, impedido por centímetros, mas impedido e de Rodriguinho, em falha de Renan Ribeiro. Ceni chegou a colocar dois atacantes de área, Gilberto e Lucas Pratto. Cássio foi obrigado a fazer ótimas defesas. Mas conseguiu garantir a vantagem de dois gols. E agora, os corintianos poderão até perder por 1 a 0, no Itaquerão, no próximo domingo.

O São Paulo terá de vencer por 3 a 0 para ficar com a vaga.

De nada adiantou o apoio de 45.366 são paulinos.

O time de Carille está muito próximo da final do Campeonato Paulista.

Irritada com a derrota, a torcida são paulina não perdoou.

E gritou ao final da partida.

"Vergonha, vergonha...

"Time sem vergonha..."

Era a segunda vez que o time perdia por 2 a 0 em casa, a primeira partida de decisões eliminatórias. Foi assim para o Cruzeiro na quinta-feira, pela Copa do Brasil. E hoje, pelo Paulista.

A fase de Rogério Ceni não é nada boa.

Está claro que contra time fortes defensivos, ele não consegue encontrar alternativas para o São Paulo. O time hoje dependeu de jogadas individuais, cruzamentos e bolas espirradas. Não houve trabalho tático. Faltou conjunto, ataque em bloco. Time com lenta saída de bola. Sem triangulações pelas laterais.

A estratégia de Ceni foi pífia.

As duas linhas de marcação corintiana funcionaram tranquilamente.

E a articulação dos contragolpes foi excelente.

1agenciacorinthians2 Carille calou o Morumbi. Seu Corinthians fez o que todos esperavam. Defendeu com competência e venceu o clássico nos contragolpes. 2 a 0. Rogério Ceni foi derrotado. Torcida do São Paulo perde a paciência. E chama o time de sem vergonha...

"Nossa estratégia é essa (contragolpear), está sendo nossa identidade. Podem falar o que quiser, mas estamos no caminho certo, marcando bem, saindo em contra-ataque, fazendo dois gols", comemorava, Jô.

No clássico, vale destacar, além do futebol, a digna atitude de Rodrigo Caio. Em uma dividida no primeiro tempo, Renan Ribeiro foi atingido na coxa direito. No lance estavam Jô e o zagueiro são paulino. Luiz Flávio de Oliveira, não teve dúvida. Deu cartão amarelo para o atacante corintiano. Ele estaria suspenso. Não poderia jogar no próximo domingo, o que seria ótimo para o time de Rogério Ceni.

Mas a honestidade falou mais alto.

Rodrigo Caio chamou Luiz Flávio e assumiu que foi ele quem atingiu Renan Ribeiro. O árbitro anulou o cartão amarelo injusto a Jô. A atitude do são paulino precisa ser destacada. Grande prova de que há lugar para dignidade nos gramados.

Jô e o juiz agradeceram a postura de Rodrigo Caio.

"Queria falar do Rodrigo Caio, parabéns a ele, que teve atitude de homem", reconhecia o atacante corintiano. Ele só estará no Itaquerão, no próximo domingo, graças à honestidade do zagueiro rival.

A diretoria e conselheiros do São Paulo ficaram irritados no Morumbi. Detestaram a partida do time. A esperança é nula de reverter as derrotas. Tanto para o Cruzeiro como para o Corinthians. Mas Leco segue defendendo Rogério Ceni. O presidente precisa do apoio do maior ídolo do clube na eleição marcada para terça-feira.

O dirigente até fingiu não ouvir o coro que dominou o estádio.

Nos últimos minutos do jogo, a torcida são paulina não perdoou.

E gritou a plenos pulmões.

"Time sem vergonha..."

As organizadas foram protestar fora do estádio.

Esperaram o time de Rogério Ceni ir embora.

E xingaram muito os jogadores.

Por enquanto o técnico está sendo poupado dos vexames.

Por enquanto....
211 Carille calou o Morumbi. Seu Corinthians fez o que todos esperavam. Defendeu com competência e venceu o clássico nos contragolpes. 2 a 0. Rogério Ceni foi derrotado. Torcida do São Paulo perde a paciência. E chama o time de sem vergonha...

http://r7.com/7Lyq