544s As lágrimas e a confissão de Julio César. O melhor goleiro do mundo...

Port Elizabeth...

O melhor goleiro mundo chorou.

Toda a prepotência e má vontade que mostrou durante toda a Copa do Mundo acabaram.

Nem parecia o jogador que dava entrevistas por ordens superiores.

E as obedecia porque tinha juízo.

Se dependesse dele, teria passado o Mundial calado.

Mas hoje quis falar.

Julio César fez uma via crucis na enorme zona mista daqui do estádio Nelson Mandela Bay.

Deu explicações por mais de uma hora.

Falou, se explicou, pediu desculpas.

E assumiu: falhou no gol de empate da Seleção Holandesa.

Foi incapaz também de avisar sobre o que batizou de 'jogadinha', que deu a vitória para os europeus na cabeçada do nanico Sneidjer.

"Eu tenho de admitir: falhei.

Peço desculpas.

No jogo que não poderia, não fui o goleiro que o Brasil precisava.

No primeiro gol, a bola era mais minha do que do Felipe Melo.

Eu errei.

Não saí forte como poderia.

Como deveria.

E no segundo, triste ver aquela jogadinha manjadar dar certo.

Cobrar escanteio no primeiro pau para outro jogador cabecear é velho demais.

Eu lamento muito não ter sido o goleiro que todos esperavam que eu fosse.

Ainda mais neste jogo que custou a eliminação do Brasil.

Eu estou abalado demais."

A derrota quebrou a sequência maravilhosa de vitórias que Julio César teve na Inter de Milão.

Nesta temporada ganhou o Campeonato Italiano, a Copa da Itália e a Champions League.

Apostava que depois da vitória brasileira na Copa América, na Copa das Confederações, viria a conquista do Mundial.

"Nós trabalhamos muito por isso.

Dunga conseguiu montar um grupo sensacional.

Não merecíamos cair agora.

Não estávamos preparados para cair.

Tínhamos convicção que fazíamos tudo certo.

Todos se doaram ao máximo.

Mas falhas fizeram com que o Brasil fosse eliminado.

Lamento muito que eu seja um dos grandes responsáveis por essas falhas.

Não vou fugir da minha responsabilidade.

Por isso chorei tanto."

Julio César chegou ao Mundial cotado para ser um dos atletas que brigaria pelo prêmio de melhor jogador da Copa.

Sai pela porta dos fundos.

Com uma contusão na coluna que ninguém sabe precisar qual a gravidade.

O colete protetor não é apenas para ele se sentir mais seguro.

É porque ele sente dor, mesmo.

Talvez não tanto quanto a da eliminação brasileira.

Julio César sabe que acabou hoje uma fase triste da Seleção Brasileira.

A fase das mentiras, das informações sigilosas...

Tantos segredos para quê?

Lágrimas de derrotados não interessam...

Veja mais:

+ Acompanhe a cobertura da Copa no R7
+ Veja as principais notícias do dia

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/stw0