divulgacao38 Alckmin e Kassab se juntaram para salvar o estádio do Corinthians com meio bilhão de reais. O medo de Belo Horizonte ou Rio tomar a abertura da Copa fez com que unissem forças...
R$ 478 milhões.

Quase meio bilhão de reais.

O Estado e o Município de São Paulo se uniram para dar infraestrutura para Itaquera.

Extremo leste da cidade, o bairro nunca foi prioridade entre os governantes.

Mas passou a ser graças ao futebol.

O dinheiro chega para garantir a abertura da Copa do Mundo de 2014 no estádio do Corinthians.

Esse meio bilhão, anunciado com toda pompa e circunstância por Alckmin e Kassab chega na hora certa.

Quando o Corinthians estava com muita dificuldade em obter o financiamento para o estádio.

O BNDES e a Caixa Econômica Federal não estão se acertando em relação às garantias.

O total que deveria ser de R$ 400 milhões, saltou para R$ 700 milhões.

As obras que deveriam começar em março estão previstas para maio.

O próprio Corinthians garantiu que o estádio não ficará pronto para a Copa das Confederações em 2013.

Este anúncio foi um baque para o governo estadual e municipal.

Tanto Alckmin quanto Kassab sabem do eventual prejuízo se São Paulo não abrir a Copa.

Prejuízo material, com direito a perder a parte mais rica dos 600 mil torcedores que chegarão do Exterior para o Mundial.

E político.

Os dois podem ficar para trás em relação aos outros políticos que vão usar a Copa como prestígio pessoal.

A troca de presidente do Brasil aconteceu em um momento crucial.

Lula era o interlocutor dos sonhos para Andres Sanches e o comando da Odebrecht.

Dilma repassou a tarefa para seus assessores.

Principalmente o ministro dos Esportes, Orlando Silva.

O resultado está longe de ser o mesmo.

Ronaldo já foi envolvido para ajudar.

Ele busca com o seu prestígio alguma empresa disposta a pagar entre R$ 300 milhões e R$ 200 milhões pelo “naming rights” do estádio.

Pelo direito de batizar o estádio do Corinthians.

Andres Sanches sonhava que esta seria a parte mais fácil, com uma estatal bancando esse dinheiro.

Mas ninguém se manifesta.

Ainda mais com austeridade de Dilma nos seus primeiros meses como governante.

Tudo que ela não quer é ser acusada de favorecimento.

Ao mesmo tempo, as obras em Belo Horizonte estão muito adiantadas.

O Maracanã também não terá problemas.

Tanto Minas Gerais quanto o Rio de Janeiro se colocam como rivais para a abertura do Mundial.

Diante desse quadro, Alckmin e Kassab resolveram agir em conjunto.

Meio bilhão já está destinado a Itaquera.

Serão obras em torno do futuro estádio.

Meios de acesso, iluminação, saneamento, tudo o que for necessário.

Excelente para a população carente da região.

E um alento para a pressionada diretoria corintiana.

Ela acreditava que tudo seria fácil, com Lula agindo como uma fada madrinha barbuda.

Mas quem tem padrinho, não morre pagão.

A intervenção do governador e do prefeito não passará em branco pela massa votante corintiana.

Pelo menos é a esperança da dupla.

Essa foi a melhor notícia dos últimos tempos para Andres Sanches.

Com esse dinheiro paralelo crescem os boatos que acontecerá a liberação em breve da verba para o estádio.

E as obras devem começar mesmo em maio.

A meta é deixar o estádio pronto no início de 2014.

Como o Soccer City, na África do Sul, que foi inaugurado em março de 2010...

Três meses antes da Copa do Mundo...

Andres se recupera de uma grave queimadura na perna.

Teria se queimado em uma sauna.

E foi internado no luxuoso hospital São Luiz, unidade Morumbi, zona Sul de São Paulo.

Na Zona Leste, no bairro de Anália Franco, há também uma unidade do São Luiz.

Mas o presidente corintiano preferiu ficar no Morumbi.

Deve ter seus motivos...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7


http://r7.com/NGQE