1reproducaoestadodeminas2 A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?
"A dor maior é saber que o Brasil não pune seus criminosos como devia. Pessoas que cometem crimes estão soltas por aí. Olha o goleiro Bruno, que foi contratado por um time de futebol! Um criminoso não é ex-criminoso. A vítima dele não retorna. Pelo amor de Deus, as pessoas têm que ter um pouco de discernimento! O goleiro Bruno e os outros assassinos vão ser assassinos para sempre. Guilherme de Pádua quer ser chamado de ator? Ele já foi ator e não conseguiu continuar porque se especializou em crimes. É um assassino. Ponto final."

"Os valores destas pessoas são invertidos. Só pode ser isso. Não é possível, tem limite. Eu jamais permitiria que meu filho, um neto, tirasse foto com um assassino cruel, que não tem dó. O Bruno está aparecendo em tudo quanto é lugar, mas de uma forma negativa também. Acredito que essas pessoas, que tiram selfie com ele, não estão enxergando isso. Só para lembrar: ele é um assassino. Que banalidade.

"(Se ele merece uma segunda chance?) Qual a chance que deu a minha filha? Nenhuma. Teve tempo para desistir até o último segundo mas não...Ter uma nova chance, não falar do passado... Porque o dele é cruel e imundo. Fica fácil. Depois que cumprir a pena, pode sim, é assim. Mas também ele pode cometer um crime de novo. Porque ele não mudou. A hora que ele tiver a chance de nos matar, ela fará. Talvez seja essa a chance que ele está pedindo. É preciso colocá-lo de novo na prisão. Não ha arrependimento nessa pessoa. Nem um pingo. Continua arrogante como sempre foi."

Nas palavras de Raul Gazolla e de Sonia de Fátima Moura, a revolta.

Mostraram ao Extra indignação pela contratação de Bruno pelo Boa Esporte.

A revista Veja mostra em pesquisa que 80% da população é contra o retorno de goleiro ao futebol. Ele foi condenado a 22 anos e três meses por sequestro, assassinato e ocultação de cadáver. A justiça concluiu que ele foi o mentor da morte da modelo Eliza Samúdio. Foi a maneira que Bruno encontrou para se livrar de Eliza, que exigia uma pensão para cuidar do filho que teve com o jogador.

Guilherme de Pádua era ator da TV Globo. Em 1992, ele e sua esposa na época, Paula, mataram a atriz Daniella Perez com 18 golpes de tesoura. Atiraram o corpo em um matagal. Ele foi condenado a 19 anos e seis meses de prisão. Cumpriu apenas seis.

2reproducao11 A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?

Guilherme está solto desde 1999.

Nunca mais trabalhou como ator.

Uma aparição sua em qualquer novela traria, no mínimo, curiosidade.

Poderia garantir audiência.

Mas o meio artístico se recusou a dar nova chance.

Notoriedade a quem assassinou uma pessoa.

Seu nome foi amaldiçoado.

Banido.

2reproducaoestadodeminas A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?

Por que o futebol aceitou Bruno de volta, depois do crime bárbaro?

A direção do Boa Esporte queria notoriedade. Conseguiu.

"Foi um erro absurdo para a administração do clube. Parece que foi uma estratégia de marketing mal realizada. A diretoria apostou na contratação do atleta para ganhar mais credibilidade e acabou gerando o efeito contrário.

"É difícil que o time não conseguirá novos patrocínios se seguir com o goleiro. Pela saída dos patrocinadores, está nítido que as empresas não querem ter seu nome envolvido com um time que investiu no goleiro denegrindo sua imagem.

"Foi um dos maiores erros de administração já vistos no futebol brasileiro e a contratação do goleiro pode trazer ainda mais problemas para o clube. Além da perda de apoiadores, o Brasil inteiro passou a torcer contra o Boa Esporte em função da chegada do Bruno."

A análise é de um dos maiores especialistas em marketing esportivo no país, Amir Somoggi.

Ao detalhar ao Lance! sua opinião, Amir mostra o tiro no pé dado pelo pequeno clube.

Kanxa, Gois & Silva, Nutrends Nutrition,a Magsul, Cardiocenter Varginha.

As empresas fizeram questão de abandonar o Boa Esporte por causa de Bruno.

Mas a situação tem tudo para se tornar pior.

O prefeito, em exercício, de Varginha, Vérdi Lúcio Melo, havia avisado.

"Particularmente, sou contra a contratação do Bruno pelo Boa Esporte."

Vérdi sabia que a imagem da prefeitura ficaria atingida.

Afinal, R$ 300 mil anuais de dinheiro público são despejados no clube. Além de a prefeitura bancar contas de água, luz e manutenção, ceder alojamento para jogadores, disponibilizar profissionais da área da saúde e até ônibus para organizadas.

Mas Vérdi não poderia cortar essas mordomias.

Só o prefeito titular, Antônio Silva, que volta de férias.

E ele está sendo pressionado pela população para abandonar o Boa Esporte.

318 A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?

O presidente do clube, Rone Moraes, garante não se importar.

Se a prefeitura não seguir pagando, dando estrutura, leva o time para outra cidade.

"Não devemos satisfação a patrocinador algum em relação à parte técnica. Eles não tem que dar aval para uma contratação ser feita, por isso não consultei ninguém. Soube agora que pessoas da prefeitura são contra e que o jurídico lá vai analisar a questão. Pois bem. Se a prefeitura de Varginha não nos quiser aqui, vamos embora. O clube não vai acabar por causa disso."

A CBF não faria qualquer objeção.

O Boa Esporte já abandonou Ituitaba em 2011 por dinheiro.

A prefeitura de Varginha oferecia mais e melhores condições ao time.

Não custa nada, Rone Moraes levar a equipe para outra cidade.

Depende do dinheiro oferecido.

Varginha nunca morreu de amores pelo clube de aluguel.

Mulheres da cidade se pintaram de vermelho, imitando sangue.

E protestaram contra a contratação do goleiro.

 A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?

Na campanha de 2016, que levou o time à Série B, a média de público foi de 700 pessoas. E o recorde de torcedores foi de oito mil pessoas, na decisão da Série C contra o Guarani. Moraes insiste com Bruno porque acredita que o estádio Municipal Prefeito Dilzon Luiz de Melo, conhecido por Melão, possa ter ocupados pelo menos dez mil da sua capacidade para 15 mil pessoas. O que seria excelente, para uma cidade com cerca de 120 mil habitantes.

Rone ironizou a revolta da mãe de Eliza Samúdio.

Ele é pai de três filhos. Duas meninas, uma de 19 anos e outra de 16, ele foi direto, quando perguntado sobre a luta de Sonia de Fátima Moura para encontrar e enterrar o corpo da filha.

"Eu cuido das minhas filhas, sei com quem elas andam e onde vão.."

Guilherme de Pádua não deve nada à Justiça.

615 A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?

Mas nunca mais trabalhou como ator.

Não conseguiu voltou à sua profissão.

Bruno está em liberdade até que seu recurso seja julgado.

Pode voltar para a cadeia a qualquer momento.

O Boa Esporte nunca contratou ex-presidiários.

Assassinos jamais tiveram chances de reabilitação no clube.

A não ser Bruno.

Ele vai ganhar o maior salário do clube, R$ 30 mil.

Por decisão de Rone Moraes.

O dirigente adepto do 'fale mal, mas fale de mim'.

Enquanto grande parte da população do país está chocada, as filas para selfies com Bruno só aumentam. Pais esperam com filhos no colo para fotos e autógrafos. O goleiro, aos 32 anos, segue treinando. Cada vez mais alegre.

Tem a certeza que logo estará em um clube grande.

E assume que sonha com a Seleção Brasileira.

Ele e Guilherme de Pádua são dois assassinos.

Mas a diferença de tratamento fora da prisão é brutal.

A tevê fechou as portas ao ator.

Já o futebol mostra sua face mais indecente.

424 A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?

E assiste o Boa Esporte celebrar Bruno.

Garantir o maior salário jamais pago pelo clube.

Os dirigentes sorriem vendo as filas por selfies.

Nunca tiveram um ídolo com tanta notoriedade.

Com a palavra, Sonia, a mãe de Eliza.

"Lógico que tenho medo do Bruno. Não era para ter? Lá atrás, a minha filha com uma criança no colo, não tinha nem quatro meses, foi pega, morta, teve o corpo sumido, esquartejado e dado aos cães e acontece o que acontece... ele andando livre, leve e solto, dando risada da cara da sociedade, da cara da Justiça, com a maior cara de cínico e ainda tirando sarro. Claro que tenho medo. Ele dá entrevista com a maior cara lavada, sem o menor respeito pela vida humana."

Que país é esse?
6reproducaoestadodeminas A televisão baniu Guilherme de Pádua pelo assassinato de Daniella Perez. O futebol recebe de braços abertos, celebra Bruno, o assassino de Eliza Samúdio, a mãe de seu filho. Que país é esse?

http://r7.com/SUEh