1reproducao12 A primeira estocada artística contra a Copa mais cara de todos os tempos no Brasil. Desculpe, Neymar, pode virar um hino do Mundial. Enquanto Chico, Caetano e Gil dormem. E Geraldo Vandré, sem ilusões, foi embora há anos...
Os protestos contra a Copa do Mundo ganharam poesia.

Nada da vândalos quebrando caixas eletrônicas.

Criminosos oportunistas atrás de máscaras soltando rojões.

Não se importando quem vai atingir.

Infiltrados de aluguel servindo interesses políticos.

Quem acredita de verdade ser a Copa um disparate, ganhou parceria.

E do mais alto nível.

Maria Rita gravou “Ciranda do mundo”, “Maria do Socorro”, “Novo amor”.

Ana Carolina escolheu “Pra tomar três”.

Já Maria Gadu, "No Pé do Vento".

Falamansa, Roberta Sá, Teresa Cristina e muitos outros já cantaram suas músicas.

Filho do maestro Edino Krieger, ele já ganhou o prêmio Shell de 1998.

Pela trilha sonora da peça Auto da Compadecida.

Entre várias outras premiações.

Ou seja, seu currículo o qualifica.

Gravou o primeira música de protesto contra o Mundial.

Uma seresta.

Seu nome é simbólico.

"Desculpe, Neymar."

É uma estocada nos gastos com a Copa.

Queixa com o festim de milhões com a população tão mal tratada.

De letra fácil, tem tido muita aceitação nas redes sociais.

Há uma certeza.

Ela é a primeira manifestação artística contra o Mundial.

Mas há a certeza no mercado fonográfico que outras virão.

Com sua voz calma, tranquila Krieger dá firmes estocadas.

Faz pensar quem ouve ou lê a letra.

O compositor usa a sua vasta experiência.

Evoca Neymar, Parreira, Felipão.

E vai destilando a revolta com o que considera desperdício.

Vê o país 'guiado por ladrões' até o Mundial.

Irônica, firme, arrebatadora.

Lembra uma outra que nunca ficou esquecida.

Mesmo impedida de ganhar um festival que era seu.

Talvez não por acaso a derrota veio na TV Globo.

Em plena ditadura militar, que completa 50 anos este mês.

Mas entrou para a história.

Os coturnos foram derrotados...

Abaixo a letra dessa nova queixa contra os abusos dos poderosos...

Desculpe, Neymar
Mas nesta Copa eu não torço por vocês
Estou cansado de assistir ao nosso povo
Definhando pouco a pouco
Nos programas das TVs
Enquanto a FIFA se preocupa com padrões
Somos guiados por ladrões
Que jogam sujo pra ganhar
Desculpe, Neymar
Eu não torço desta vez

Parreira, eu vi
Aquele tetra fez o povo tão feliz
Mas não seremos verdadeiros campeões
Gastando mais de 10 bilhões
Pra fazer Copa no país
Temos estádios lindos e monumentais
Enquanto escolas e hospitais
Estão à beira de ruir
Parreira, eu vi
Um abismo entre Brasis

Foi mal, Felipão
Quando Cafu ergueu a taça e exibiu
Suas raízes num momento tão solene
Revelou Jardim Irene
Um retrato do Brasil
A primavera prometida não chegou
A vida vale mais que um gol
E as melhorias onde estão
Foi mal, Felipão
Nossa pátria não floriu

Eu sei, torcedor
Que a minha simples e sincera opinião
Não vai fazer você, que ganha e vive mal
Deixar de ir até o final
Junto com nossa seleção
Mesmo sem grana pra pagar o ingresso caro
Nunca vai deixar de amar o
Nosso escrete aonde for
Eu sei, torcedor
É você quem tem razão

"Desculpa, Neymar" vale a pena ser ouvida.

Edu Krieger agiu, sem medo.

Enquanto Chico Buarque, Gil e Caetano Veloso dormem.

E Geraldo Vandré, sem ilusões, já foi embora daqui há muito tempo...

http://r7.com/rkoB