A falta de visão de Abel Braga complicou o Fluminense. Inacreditável deixar Rafael Sóbis e Felipe de fora. O treinador ajudou os paraguaios a levar o 0 a 0 para os Defensores del Chaco...
Abel Braga tem toda a responsabilidade.

Ele colaborou o quanto pôde.

Perdeu tempo demais.

Só colocou Rafael Sóbis e Felipe quando estava tarde.

Facilitou demais a missão do Olímpia.

Os paraguaios vieram para o Rio com o 0 a 0 em mente.

O técnico Ever Almeida abriu mão do jogo.

Armou sua equipe com três zagueiros fixos.

E mais três volantes.

A ordem era ter dez jogadores atrás da linha da bola.

A sua intenção era travar o time carioca.

Foi o que fez.

Sem muitas dificuldades.

O time de Abel Braga foi uma imensa decepção.

A torcida do Fluminense esperava muito mais.

Mesmo com a chuva que atormentava o Rio, ela foi a São Januário.

Mais de 14 mil torcedores que gritaram, incentivaram.

E no final cobraram o time.

O Fluminense foi irritante.

Principalmente sem a objetividade de Sóbis e Felipe.

Fred parecia que iria ter um ataque de raiva.

A bola não chegava para ele.

Sem Thiago Neves, Wagner deveria ser o articulador.

Só que esteve apático em campo.

Aceitou passivamente a marcação.

Não conseguiu achar Fred ou Wellington Nem.

Muito menos chutar de fora da área.

O Fluminense não teve força ofensiva.

Por vários motivos.

Abel Braga não conseguiu compactar o time.

Fred, isolado.

Wagner fora do jogo.

Bruno sem força alguma para atuar pela lateral direita.

Jean foi muito bem.

Se desdobrando no meio de campo.

Atuando como volante e meia.

Era o único com coragem de bater para o gol de fora da área.

Rhayner faz tudo perfeito, luta, tabela, avança em velocidade.

Mas sua incompetência em chutar para o gol é algo revoltante.

Inadmissível para um jogador profissional.

O que é visto com bom humor no Rio, na verdade é conivência.

Rhayner ocupa uma posição onde está sempre perto do gol.

Se não souber arrematar é melhor atuar como volante.

Um desperdício.

Vale a pena registrar que houve duas excepcionais chances de gol.

Mas a bola caiu nos pés errados.

Logo aos cinco minutos de jogo...

Wellington Nem descobriu um jogador do Fluminense livre.

Cara-a-cara com Martín.

Embora seja um bom goleiro, o profissional estava sozinho, livre.

Tinha a obrigação de marcar.

A não ser que se chame Leandro Euzébio.

O zagueiro não mostrou a menor sutileza, jeito.

Deu um chute forte em cima de Martín.

1fluminensefc A falta de visão de Abel Braga complicou o Fluminense. Inacreditável deixar Rafael Sóbis e Felipe de fora. O treinador ajudou os paraguaios a levar o 0 a 0 para os Defensores del Chaco...

Gol incrível desperdiçado.

Mas ele teria companhia na chance jogada fora.

Aos 19 minutos do segundo tempo.

Foi quando Fred saiu da área e serviu Rhayner.

Ele entrou na corrida, driblou Martín.

Mas na hora de chutar, errou o centro da bola.

Bateu de leve e ela saiu fraca, sem direção.

O Olimpia tinha em mente empatar.

Travar o jogo.

Foi o que conseguiu.

A articulação carioca era péssima.

Wagner parado no meio de campo nada fazia de útil.

Abel Braga estava paralisado.

Demorou para colocar Sóbis e Felipe.

Os dois melhoraram a equipe.

Se o Fluminense deu um sufoco verdadeiro no Olimpia foi graças aos dois.

Abel precisa de maneira urgente treinar chutes de fora da área.

Seu time não tinha espaço dentro da área.

Mas fora, sim.

Só que ninguém arriscava.

O 0 a 0 acabou sendo inevitável.

O Olimpia levou ótimo resultado para o Paraguai.

Na quarta-feira basta uma simples vitória e semifinal da Libertadores.

O Fluminense precisa se superar fora de casa.

No Rio, o empate de ontem foi irritante.

"Faltavam jogadas de profundidade.

Nós não conseguimos criar.

Não foi bom o resultado", alertou, preocupado, Fred.

Abel Braga esteve uma péssima noite.

Ele foi o responsável pelo resultado.

Nos últimos dez minutos seu time teve um a mais.

Aranda foi expulso.

Mesmo com mais espaço, o Fluminense como time não existiu.

Só dependeu de jogadas individuais.

De atletas que demoraram para entrar.

A semifinal da Libertadores ficou bem mais difícil.

Sobreviver no Defensores del Chaco será uma façanha.

A situação está tão difícil por falta de visão do seu treinador.

Abel Braga já salvou o Fluminense de situações terríveis.

Em São Januário ontem, ele contribuiu com o adversário.

Facilitou a missão do Olimpia.

Com Vagner, Rhayner ele já foi muito mal.

Deixar Edinho em campo, sem ter a quem marcar outro absurdo.

Agora resta prepara o Fluminense para a pressão paraguaia.

Quarta-feira que vem será um inferno.

Tudo poderia ser muito melhor.

Mas faltou visão do treinador para o time fazer a lição de casa.

Não fez.

E já se prepara para sofrer...

(Abel Braga se irritou ao ser questionado.

Seu raciocínio foi incompreensível.

Havia dito que era melhor empatar em 0 a 0 do que vencer por 2 a 1.

Diante de uma cachoeira de ironias, ele recuou...)
1reuters10 A falta de visão de Abel Braga complicou o Fluminense. Inacreditável deixar Rafael Sóbis e Felipe de fora. O treinador ajudou os paraguaios a levar o 0 a 0 para os Defensores del Chaco...

http://r7.com/Fk2b