A jogada não deixa dúvidas. Willian preparou o corpo, esperou o adversário ficar ao seu lado e deu a cotovelada em Bolaños, no Grenal de domingo. De propósito. O lance foi idêntico ao que havia feito em Willian Barbio da Chapecoense, no Campeonato Brasileiro de 2015.

O golpe no Grenal foi tão violento que provocou duas fraturas no equatoriano. O jogador cuspia sangue, mas continuou jogando até o final do primeiro tempo. Só quando seu rosto desfigurado chegou ao vestiário, os médicos gremistas o levaram imediatamente ao hospital.

Bolaños será operado nesta quinta-feira. Seria amanhã, mas os médicos adiaram em mais 24 horas. Para que o rosto desinche um pouco mais. A previsão de recuperação e volta aos gramados: entre um mês e 45 dias.

Ou seja, o jogador estrangeiro mais caro de 2016, R$ 19,5 milhões, perderá toda a fase de grupos da Libertadores. Ele era o principal atleta de Roger. O grupo 6 é considerado o da 'morte'. O líder Toluca, LDU e San Lorenzo são as outras equipes que disputam por duas vagas. A chance de eliminação é uma possibilidade real para qualquer time. Seria a certeza de prejuízo na competição mais importante para o ano gremista.

Nas três próximas semanas, ele está proibido de comer comidas sólitas. Só alimentação líquida.

A direção gremista divulgou a radiografia das duas fraturas na mandíbula.

312 A cotovelada de Willian em Bolaños pode ter uma sentença histórica. O lateral do Internacional ser impedido de jogar, enquanto o gremista não se recuperar. Seria a vitória da justiça...

Mas e Willian?

Ele disse que 'não teve a menor intenção' de acertar Bolaños. Sim, foi isso mesmo. Disse que os dois são baixinhos. Ele se preparava para uma dividia com os ombros. Só que o atacante gremista acabou acertando seu rosto no cotovelo do jogador do Internacional. Ou seja, o culpado foi o equatoriano...

Só que o procurador Luiz Francisco Lopes protocolou a denúncia de agressão. Willian pode pegar até 12 jogos por agressão. Será julgado em dez dias pelo Tribunal de Justiça Desportiva. O Internacional já avisou que irá colocar todo o seu corpo de advogados para defender o atleta.

"Estão querendo criar um demônio, estão querendo criar uma criminalidade. Isso não existe no Internacional. Estão tentando fazer de Willian um vilão", decretou o presidente Vitorio Piffero. E já mostra a linha de defesa do seu time. Colocar a culpa no equatoriano. Dizendo que ele foi responsável pela contusão se agrava. O motivo: continuar em campo, até o intervalo.

"Como pode um jogador cabecear, correr, marcar e ser o melhor em campo do Grêmio no primeiro tempo com a mandíbula daquele jeito?"

Mas a tese não deverá se sustentar. Nos 45 minutos que esteve em campo, Bolaños não enfrentou outra dividida desta natureza. Com o cotovelo no seu maxilar.

Há uma grande pressão nos bastidores do julgamento. Para os gremistas, Willian deveria fora dos gramados. O mesmo tempo que Bolaños levará para se recuperar. A agressão poderia chegar, como pena máxima, a 12 jogos. Mas não deve chegar a tanto.

45 A cotovelada de Willian em Bolaños pode ter uma sentença histórica. O lateral do Internacional ser impedido de jogar, enquanto o gremista não se recuperar. Seria a vitória da justiça...

Daí a possibilidade de algo justo. O agressor ficar fora o mesmo período que o agredido. A tese está clara, transparente. O artigo 254-A é o que prevê: praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente. O seu parágrafo quarto resume o que muita gente espera que aconteça.

"Na hipótese de o agredido permanecer impossibilitado de praticar a modalidade em consequência da agressão, o agressor poderá continuar suspenso até que o agredido esteja apto a retornar ao treinamento, respeitado o prazo máximo de cento e oitenta dias."

Seria uma decisão fantástica. Desestimularia pontapés, cotoveladas. Agressões entre jogadores. Ainda mais em clássicos regionais. A violência em campo contamina a torcida.

A direção do Internacional segue na tese da agressão sem intenção. Mas a pressão em todo o Brasil é enorme. O fato de ser reincidente pesa contra Willian.

A direção do Grêmio chegou a ameaçar registrar um Boletim de Ocorrência na Polícia, ao serem constatadas as duas fraturas na mandíbula do atacante. Recuou.

Agora diz que estuda a possibilidade de disputar o resto do Campeonato Gaúcho com reservas. Como represália ao Internacional. Mas deve mudar de ideia.

Basta a justiça esportiva brasileira cumprir o seu papel.

Afastar William do futebol.

O mesmo período de Bolaños.

Será um aviso aos truculentos.

Machucar alguém refletirá no agressor.

Como deve ser.

O futebol brasileiro espera esta decisão.

Olho por olho.

Dente por dente.

Mandíbula por mandíbula...
73 A cotovelada de Willian em Bolaños pode ter uma sentença histórica. O lateral do Internacional ser impedido de jogar, enquanto o gremista não se recuperar. Seria a vitória da justiça...

http://r7.com/w_b9