reuters116 Kleber: a vontade de humilhar o estimula na vida. E principalmente contra o Atlético Mineiro...

A torcida do Atlético Mineiro nunca irá esquecer a imitação de galo de Kleber.

Jogando pelo Cruzeiro, ele ironizou o símbolo do maior rival ao comemorar um gol.

E ainda fingiu que estava chorando.

Foi a morte para os atleticanos.

Sofreu todo tipo de ameaça dos torcedores.

Mas ele tem o couro curtido por tanto sofrimento na infância dura da periferia de São Paulo.

Não se intimidou.

Kleber lida bem demais com essa história de cultivar inimigos.

Em todo jogo contra o São Paulo, clube que o lançou para o futebol, mas o desprezou...

E diante do Atlético Mineiro, sua adrenalina fica a mil.

Na importante partida de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana, ele quer decidir.

Marcar gols.

Sim, no plural.

Sabe que terá pela frente o seu adversário pessoal.

E com os jogadores reservas.

Dorival Júnior preserva os seus principais atletas para evitar o rebaixamento no Brasileiro.

Teoricamente abre mão da Copa Sul-Americana.

Mas é claro que tentará ganhar a partida.

O Palmeiras é mais do que favorito.

Mesmo sem saber se poderá contar com Valdivia, depois da bobagem de tê-lo colocado diante do Universitário de Sucre sem estar recuperado do estiramento da coxa.

O time de Felipão tem a obrigação de vencer.

O que interessa é o estralho apetite de Kleber.

Na concentração ele está animado como se fosse uma final.

Tudo pelo prazer de humilhar de novo a torcida do Atlético Mineiro.

Há pessoas que são movidas a raiva, a provocação...

Kleber é uma delas...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/tv_C