Posts de 18 de fevereiro de 2013

As mulheres transformam o Brasil em Pasárgada para os jogadores. Eles não são tratados como amigos do rei. Eles são os próprios reis por aqui. Por que ir embora?

A vida de jogadores de futebol no Brasil.

Aqui é um paraíso.

Neymar, Ronaldo, Romário e tantos outros já descobriram.

Uma mulher em uma moto o reconhece.

Buzina, pede, implora um beijo.

Fred para o carro.

E pede para o amigo filmar a 'façanha'.

Lhe dá o beijo.

Ela vibra.

A conversa continua.

A cena cai na Internet.

Se Manuel Bandeira fosse vivo.

Também jogaria futebol.

Não perderia uma oportunidade.

Como dezenas de jogadores privilegiados fazem.

Com muito mais discrição do que Fred.

E escreveria até com mais gosto.

Feliz por estar no Brasil em 2013.

a210 As mulheres transformam o Brasil em Pasárgada para os jogadores. Eles não são tratados como amigos do rei. Eles são os próprios reis por aqui. Por que ir embora?

"Vou-me embora pra Pasárgada

Lá sou amigo do rei

Lá tenho a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada

Aqui eu não sou feliz

Lá a existência é uma aventura

De tal modo inconseqüente

Que Joana a Louca de Espanha

Rainha e falsa demente

Vem a ser contraparente

Da nora que nunca tive

E como farei ginástica

Andarei de bicicleta

Montarei em burro brabo

Subirei no pau-de-sebo

Tomarei banhos de mar!

E quando estiver cansado

Deito na beira do rio

Mando chamar a mãe-d'água

Pra me contar as histórias

Que no tempo de eu menino

Rosa vinha me contar

Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo

É outra civilização

Tem um processo seguro

De impedir a concepção

Tem telefone automático

Tem alcalóide à vontade

Tem prostitutas bonitas

Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste

Mas triste de não ter jeito

Quando de noite me der

Vontade de me matar

— Lá sou amigo do rei —

Terei a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada..."

Não precisa.

Muito menos de prostitutas...

Pasárgada é aqui, caro poeta...

a112 As mulheres transformam o Brasil em Pasárgada para os jogadores. Eles não são tratados como amigos do rei. Eles são os próprios reis por aqui. Por que ir embora?

A diretoria do Cruzeiro sorri. Por que na Vila Belmiro, Montillo não é nem sobra do jogador que era na Toca da Raposa. Em vez de companheiro, se tornou mais um jogador que Neymar precisa carregar nas costas…

ae27 A diretoria do Cruzeiro sorri. Por que na Vila Belmiro, Montillo não é nem sobra do jogador que era na Toca da Raposa. Em vez de companheiro, se tornou mais um jogador que Neymar precisa carregar nas costas...
O sorriso não sai da diretoria cruzeirense.

Chegou cedo, precoce.

Mas está lá, firme e forte.

Logo neste fevereiro chuvoso.

O motivo veste a camisa 10 do Santos.

Montillo.

O péssimo futebol mostrado pelo argentino trouxe um grande alívio a Gilvan Tavares.

O dinheiro recebido pelo meia bateu nos R$ 16,2 milhões.

Fora 30% dos direitos do volante Henrique.

Tudo isso por 60% dos direitos do meia.

O montante foi suficiente para reestruturar o Cruzeiro.

Marcelo Oliveira teve uma participação muito feliz na escolha dos nomes.

Mas havia o pé atrás.

Na Toca da Raposa, Montillo chegou a ser o melhor jogador do País.

Em 2010, o ano em que foi contratado.

Seguiu bem em 2011.

E mesmo caindo no ano passado, a cobiça continuou.

Corinthians, São Paulo, Fluminense, Grêmio e até o Flamengo tentaram levá-lo.

Os mais insistentes foram o Corinthians e o São Paulo.

Até o ex-presidente Zezé Perrella recomendava a negociação.

Gilvan Tavares segurou até que o Santos aceitou o que pediu.

E o negócio foi fechado.

Montillo chegou na Vila Belmiro cercado de expectativa.

Já se esperava pelas maravilhas que aprontaria ao lado de Neymar.

Seria o suficiente para que todos se esquecessem de Ganso.

Esse foi o erro de avaliação.

Montillo nunca foi um meia articulador, o maestro do time.

Ele é um ótimo meia atacante.

Joga da intermediária para a frente para definir as jogadas.

Tabelar com o atacante de referência ou chutar ele mesmo ao gol.

O ideal é que tenha dois jogadores à sua frente.

E um articulador por trás.

Muricy ou o tem colocado muito à frente.

Ou atrás.

Humilde, o argentino não reclama.

Mas também não rende.

O Santos está aproveitando mal demais seu investimento.

Sua contratação mais cara da história.

Embora seja o início de temporada, suas atuações são assustadoras.

E cada vez piores.

Não conseguiu sequer marcar um gol desde que foi contratado.

Em Belo Horizonte todos sabem.

Ele é muito temperamental, sensível.

Quando vive uma fase boa, ninguém o segura.

Mas se começa a jogar mal ele necessita de muito apoio.

Dos companheiros e do treinador.

Ele ainda está se adaptando à Vila Belmiro.

E o clube a ele.

Muricy Ramalho não tem muita condição de apoiá-lo.

O treinador está sendo cobrado, criticado por dirigentes.

E torcedores.

Ele não consegue arrumar o time como um todo.

Não para de pedir reforços.

Montillo chegou ao Santos em um momento ruim.

Neymar já percebeu o desconforto do companheiro.

Tem conversado com ele, tentado ajudá-lo.

Mas lhe falta tempo até para respirar.

A pressão que o melhor jogador do Brasil sofre é imensa.

Tem de carregar o Santos às vitórias.

Assim como a Seleção Brasileira.

Dar conta dos 12 patrocinadores.

E ainda da namorada global que mora no Rio de Janeira.

Não é à toa que não teve paciência para escapar da quinta expulsão na carreira, ontem.

Montillo admitiu que a fase está ruim.

E ela pode refletir na Seleção Argentina.

Sabella o acompanha de perto e sabe que não está no seu melhor.

Aos 28 anos, o meia está obcecado com a ideia de disputar a Copa.

Acreditou que estava dando um enorme passo para isso ao aceitar o Santos.

Só que seu começo não poderia ser pior.

Nada está dando certo para ele.

Para o time, para Muricy Ramalho e para Neymar.

Os torcedores já o vaiaram em Campinas, quando foi substituído.

Muricy precisa saber que ele é atleta que abaixa a cabeça.

Precisa de apoio.

Cuca acompanhou de perto essa instabilidade.

Tudo isso faz com que Gilvan Tavares respire tranquilo.

Depois de ser tão apedrejado em 2012, o presidente cruzeirense tem recebido elogios.

A venda de Montillo foi a melhor coisa que poderia acontecer ao Cruzeiro.

O clube estava endividado, sem recursos.

Se virou bem demais com o arrecadado e revolucionou seu elenco.

Enquanto o grande jogador que o Santos contratou ainda não chegou.

Ele se perdeu no ambiente tenso, confuso que domina a Vila Belmiro.

Muricy diz que está reformulando o elenco.

E a diretoria deixa claro que já deu peças suficientes para não reclamar.

Principalmente Montillo.

Atleta que preferiu no lugar de Robinho.

Só havia dinheiro para um dos dois.

A palavra do treinador pesou e veio o ex-cruzeirense.

O argentino que já acha que tudo está pesado, que se prepare.

Vai piorar ainda mais.

O Santos quer o meia que encantou o Brasil.

Não esse jogador tímido, facilmente marcável que desembarcou na Vila Belmiro.

Chegou para ser o companheiro de Neymar.

E não mais um jogador para o garoto carregar nas costas...

O primeiro chat de 2013. Basta clicar na home do R7. Às 15 horas. Até as 16h30. Uma hora e meia para ‘conversarmos’ sobre futebol. Quem tiver coragem, que venha…

 O primeiro chat de 2013. Basta clicar na home do R7. Às 15 horas. Até as 16h30. Uma hora e meia para conversarmos sobre futebol. Quem tiver coragem, que venha...
O primeiro chat de 2013.

Uma hora e meia de conversa com os leitores.

Começa às 15 horas.

Para participar basta procurar o link na home do R7.

Corinthians, Libertadores, Palmeiras.

Flamengo, Fluminense, Luxemburgo.

Montillo, Cruzeiro, Atlético.

Rogério Ceni, Zizao, Copa do Mundo.

Neymar, Felipão, Marin.

O leitor escolhe o assunto.

O futebol começou de verdade em 2013...

a39 O primeiro chat de 2013. Basta clicar na home do R7. Às 15 horas. Até as 16h30. Uma hora e meia para conversarmos sobre futebol. Quem tiver coragem, que venha...

Tite dá uma lição de seriedade à diretoria. Não inscreve Zizao nem entre os 30 jogadores da Libertadores. O chinês foi uma farsa que só desgastou o Corinthians. Inadmissível para um clube campeão do mundo…

a111 Tite dá uma lição de seriedade à diretoria. Não inscreve Zizao nem entre os 30 jogadores da Libertadores. O chinês foi uma farsa que só desgastou o Corinthians. Inadmissível para um clube campeão do mundo...
A seriedade venceu.

Tite fez questão de não inscrever Zizao na Libertadores.

Não desperdiçou uma das 30 vagas que o Corinthians teve direito.

A tolerância era em relação ao chinês sempre foi perto do zero.

O técnico o respeitava, mas não via a menor condição dele estar no elenco.

Foi uma imposição absurda do vice-presidente Luiz Paulo Rosenberg.

Seu plano de conquistar o mercado da China foi um fracasso.

A desproporcional apresentação de Zizao se tornou piada no Parque São Jorge.

Rosenberg não teve o menor cuidado em escolher um chinês para atuar no Corinthians.

Acreditou que bastasse ele ter nascido na China.

E as muralhas chinesas seriam cobertas de camisas corintianas.

Orientais tatuariam o rosto de Zizao no peito.

Haveria fila de pedido de amistosos com o Corinthians.

Fã clubes do atleta pioneiro a atuar no Brasil.

Devaneios sem o menor fundamento.

Dignos de quem pensa que as pessoas não têm cérebro.

Zizao nunca fez parte da fraca seleção chinesa.

Não tinha lugar nem nos grandes clubes.

Estava afastado por falta de condições técnicas.

Ganhava dinheiro jogando futebol de salão.

Quando recebeu a proposta de atuar no Brasil.

A oferta misturou a Nike e assessores de Rosenberg.

Em uma palestra, o vice corintiano não deixou dúvidas.

Estava para trazer um chinês perna-de-pau para o Corinthians.

Seria sua grande sacada mercadológica.

Trouxe até o cônsul da China em São Paulo para a apresentação.

Logo o primeiro indício de ópera bufa.

Humoristas enganaram o jogador.

Descendentes de orientais, um homem e uma mulher subiram ao palco.

Se diziam um casal.

Ela se fingiu de grávida e afirmou que colocaria o nome do filho de Zizao.

O jogador ficou emocionado e deu uma camisa do Corinthians para ela.

Puro embuste.

A sua apresentação no clube vai completar um ano em março.

Ela foi o mais retumbante fracasso.

Tite ficou constrangido diante do fraco futebol de Zizao.

Procurou o presidente Mario Gobbi e diz que não o colocaria para jogar.

Gobbi aceitou e apenas pediu que o deixasse treinar.

Não queria uma guerra com Rosenberg.

E foi o que aconteceu, Tite o deixou treinar.

Sem matérias interessantes para todos os dias, as TVs se interessaram pelo chinês.

E o levaram para passear como um turista por São Paulo.

Submisso e sem falar o idioma, Zizao se submetia.

Ele tem a plena consciência que seu fraco futebol não lhe permitiria ser um alvo de reportagens na China.

Só mesmo no Brasil, quando várias vezes foi motivo de galhofa, de covardia.

Fazer graça com um chinês que não fala português.

Como se os repórteres que o ridicularizavam fossem fluentes em chinês.

Uma estupidez que Zizao aceitava.

Ficou fora da Libertadores de 2012.

No Brasileiro só entrou quando o time havia desistido da competição.

Entrou contra o Cruzeiro em outubro, depois de escancarada pressão da TV Globo.

No início deste ano, no modorrento Campeonato Paulista, a mesma coisa.

Manipuladora, a emissora forçou a pressão de torcedores.

E o chinês entrou quando os titulares estavam de férias.

Fez uma boa jogada contra o fraco Paulista da provinciana Jundiaí.

No empate em 1 a 1.

A Globo explorou o gol de todos os ângulos.

Na sua 'valorização' só achincalhava Zizao e o próprio Corinthians.

Tite entrou em cena.

E tratou de colocar o chinês no seu lugar.

Bem longe do time titular.

Agora completa o serviço não o inscrevendo na Libertadores.

Não merece uma vaga entre 30 jogadores.

O recado à direção corintiana é claro.

Chega de palhaçada.

Zizao tem até empresário, lógico

Ele se chama Flávio Pires.

E foi aconselhado a levar Zizao de volta à China.

Aproveitar as imagens do jogador nas quatro partidas que fez pelo Corinthians.

Jogou no time campeão do mundo.

E a desventura deve terminar em maio.

A propaganda saiu pela culatra.

Rosenberg pensou que o Corinthians iria se aproveitar de Zizao.

Mas foi Zizao que tirou proveito.

Assessores do vice corintiano foram até à China no final do ano.

Tinham certeza de que conseguiriam patrocínio não só para a camisa.

Mas um grande grupo econômico chinês para batizar o Itaquerão.

As viagens fracassaram.

O projeto afundou de vez.

Da próxima vez que um clube resolver apostar em um atleta chinês, que o faça de verdade.

E contrate um jogador com condições técnicas para ser titular.

De preferência, um ídolo.

Na China, Zizao é um desconhecido que está no futebol brasileiro.

Desconhecido que estava encostado, jogando futebol de salão.

Tite acabou com a festa.

A seriedade venceu.

Zizao já ganhou um ano de salário e teve notoriedade inimaginável diante da falta de talento.

Agora só resta o caminho de volta para a China.

Nem para a reserva do reserva do reserva ele serve.

Um clube campeão do mundo tem de se levar a sério.

Foi essa a postura que norteou Tite.

E ele o baniu da Libertadores.

Agora só falta aos dirigentes acabarem a farsa.

Ele é um jogador sem a menor condição de jogar no Corinthians.

Que nasceu na China

Nada além disso.

Sem poder para atrair patrocínio algum.

Só provocar constrangimento.

Sua vinda foi uma das piores ações de marketing da história...

 Tite dá uma lição de seriedade à diretoria. Não inscreve Zizao nem entre os 30 jogadores da Libertadores. O chinês foi uma farsa que só desgastou o Corinthians. Inadmissível para um clube campeão do mundo...

Flamengo e Santos são candidatos naturais a levar Kléber, disponível no Grêmio. A surpresa é o interesse do Palmeiras. De onde ele saiu para ‘nunca mais voltar’. Porém ‘nunca’ é uma palavra que não existe no futebol…

a38 Flamengo e Santos são candidatos naturais a levar Kléber, disponível no Grêmio. A surpresa é o interesse do Palmeiras. De onde ele saiu para nunca mais voltar. Porém nunca é uma palavra que não existe no futebol...
Barcos, Vargas, Marcelo Moreno, Welliton, Willian José e Yuri Mamute.

O Grêmio tem seis atacantes.

Kléber deixou de ser prioridade há muito tempo.

Atacante de R$ 600 mil mensais.

Acabou o entusiasmo do time gaúcho e de Vanderlei Luxemburgo.

Seus tornozelos foram seus pontos fracos.

Sofreu fratura no direito no Campeonato Gaúcho.

Ficou sem jogar por três meses.

No final do ano teve de operar o esquerdo.

Sofreu uma lesão fibular.

Acabou sendo um dos símbolos do fracasso gremista em 2012.

O que seria a dupla dos sonhos: ele e Marcelo Moreno foi a do pesadelo.

Tanto que Luxemburgo pediu a contratação urgente de novos atacantes.

Quis despachar o boliviano ao Palmeiras.

Mas ele se negou a ir.

"Não vai para clube de fracassados", destacou o pai do jogador.

O Grêmio tenta agora se livrar de Kléber.

Mas não está nada fácil.

O clube acertou um contrato com ele até 2016.

Recebe R$ 600 mil mensais.

Fará 30 anos em agosto.

Santos e Flamengo são os primeiros da fila.

Muricy Ramalho já pediu à diretoria um artilheiro.

Perdeu a confiança em André e Miralles.

Quer alguém mais capacitado para atuar com Neymar.

Os gaúchos ofereceram Marcelo Moreno.

Mas o treinador santista gostaria de Kléber.

Jogador com personalidade mais forte.

Não há um atleta com esse perfil na Vila Belmiro.

Luís Álvaro trava diante do salário do jogador.

O investimento é alto para um atleta sem retorno.

Ou seja, que está perto dos 30 anos.

A Gávea tem uma grande atração por Kléber há anos.

Mas as negociações nunca deram certo.

Cruzeiro e Palmeiras não quiseram liberá-lo em anos anteriores.

Agora o caminho está aberto.

Foi Paulo Pelaipe quem o levou ao Grêmio.

Ele é o responsável pelo futebol na Gávea.

O acesso é fácil.

Só que as dificuldades estão nos salários do atleta.

Dorival Júnior gostaria de tê-lo na vaga aberta pela saída de Vagner Love.

Só que os R$ 600 mil assustam.

Ainda mais depois do fraco ano passado do atacante.

Inesperado é o interesse do Palmeiras no jogador.

Gilson Kleina é o maior defensor de sua contratação.

Acredita que sua personalidade explosiva seria excelente para a Série B.

E falou abertamente aos dirigentes.

Os maiores inimigos do jogador no Palestra Itália se foram.

Luiz Felipe Scolari, Roberto Frizzo e Arnaldo Tirone.

Mas há a Mancha Verde.

Desde a revelação que ele foi membro da Gaviões da Fiel tudo mudou.

Acabou a ligação entre ele e a organizada palmeirense.

A ponto de os torcedores irem exigir a sua saída.

Fizeram um grande protesto diante da casa do jogador.

Foi uma grande baderna.

Com direito a batucada, palavrões e ameaças.

A família do atacante ficou muito assustada.

E Kléber foi para o Grêmio disposto a nunca mais voltar.

Sem a pressão palmeirense ficou mais solto.

E assumiu sua ligação com o Corinthians na infância, na adolescência.

Até sua torcida pelo time no Mundial de Clubes do Japão.

Não poderia imaginar que seu nome voltaria a ser cogitado no Palmeiras.

Na negociação de Barcos, o Grêmio deve um jogador por empréstimo até o final de 2013.

Cedeu Vilson em definitivo.

E mais Léo Gago, Rondinelly, Leandro.

Marcelo Moreno se recusou a jogar pelo clube rebaixado.

A primeira opção seria meia Marco Antônio.

Mas surgiu a possibilidade de Kléber.

Um ídolo a quem só seria necessário pagar os salários.

É exatamente essa a dificuldade maior.

Paulo Nobre e Brunoro teriam de dobrar não só a fúria da Mancha.

Mas a de conselheiros.

Barcos saiu por receber R$ 500 mil no novo contrato feito com Tirone.

Nobre disse que o clube economizaria com sua saída.

Como explicar o retorno de Kléber por R$ 600 mil?

Além disso há o medo da reação dos torcedores em geral.

Não se sabe como veriam uma terceira passagem do atleta no Palmeiras.

Se a rejeição da Mancha Verde contaminou a todos.

Os médicos gremistas afirmam que seu retorno acontecerá em março.

Já estará apto para jogar no dia 5, contra o Caracas em Porto Alegre.

Ele foi inscrito pelo time na Libertadores.

Mas isso não significa nada.

O Grêmio não colocará dificuldades em negociá-lo.

Até por empréstimo.

O grande entrave está nos seus salários.

Não abre mão de ganhar integralmente o que acertou até o final de 2016.

Seja com que camisa for.

Seria muito mais fácil a do Santos ou a do Flamengo.

Mas que ninguém descarte a do Palmeiras.

De onde saiu em 2011 'para nunca mais voltar'.

Porém no futebol, 'nunca' é uma palavra que não existe...

ae26 Flamengo e Santos são candidatos naturais a levar Kléber, disponível no Grêmio. A surpresa é o interesse do Palmeiras. De onde ele saiu para nunca mais voltar. Porém nunca é uma palavra que não existe no futebol...